Melhores filmes para assistir na Netflix em 2020


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Se você é daqueles entusiastas de cinema então aproveite a sorte dos novos tempos para assistir de casa filmes incríveis na Netflix. Com um catálogo enorme e variado, é fácil se perder entre tantas opções: dramas, comédias, documentários, animações...

Pensando em te dar uma mãozinha, preparamos uma lista com doze filmes incríveis disponíveis na plataforma de streaming para facilitar a sua escolha.

Melhores dramas

Roma (Roma) (2018)

Imperdível, Roma é um relato biográfico inspirado na infância do diretor Alfonso Cuarón.

O longa metragem que recebeu um Oscar como melhor filme estrangeiro é ambientado no México dos anos 70 e traz os dramas cotidianos de uma família de classe média alta.

Roma

Com um olhar intimista e poético, Roma é filmado a preto e branco e levanta uma série de questões ainda hoje atuais como a desigualdade social, o machismo e a jornada dupla vivida por tantas mulheres latino-americanas.

Não perca uma análise completa do filme Roma.

História de um casamento (Marriage Story) (2019)

Apesar de assistirmos a uma série de divórcios no nosso círculo de amigos e familiares, a verdade é que pouco ou nada vemos sobre esse tema no cinema.

O filme de Noah Baumbach veio corrigir essa lacuna apresentando o fim de um longo relacionamento vivido por Charlie (Adam Driver) e Nicole (Scarlett Johansson), que gerou um filho pequeno.

Candidato ao Oscar de melhor filme e melhor roteiro original, vemos no longa o destino do casamento entre um diretor de teatro e uma atriz. Os dois simplesmente crescem para lados opostos e acabam por optarem pelo divórcio.

marriage story

O longa metragem apresenta a perspectiva dos dois lados e também todos os dramas que envolvem a ruptura de uma longa relação: como será a criação do filho que tem em comum? Como irão partilhar os bens? Como aqueles que estão ao redor vão lidar com a separação?

Leia uma análise completa do Filme História de um Casamento (Marriage Story).

O menino do pijama listrado (The Boy in Striped Pajamas) (2008)

A obra cinematográfica é uma adaptação do livro O menino do pijama listrado. O filme, lançado em 2008, conta a história do menino Bruno (Asa Butterfield), que tem oito anos e é filho de um oficial nazista que trabalha em um campo de concentração.

Alheio aos problemas da guerra e ao ofício do pai, o menino acaba por fazer amizade com Shmuel (Jack Scanlon). O garoto usa pijama listrado e está do outro lado da cerca eletrificada, em um campo de concentração.

The Boy in Striped Pajamas

Emocionante, o filme fala acima de tudo sobre a amizade genuína e nos mostra a questão da guerra sobre a perspectiva do olhar da criança.

Se desejar saber mais sobre essa história descubra o artigo sobre a obra literária O menino do pijama listrado.

Dois Papas (The two popes) (2019)

O filme dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles parte de um pressuposto pouco acordado no cinema: a questão religiosa. Os protagonistas aqui são duas figuras católicas: o cardeal argentino Jorge Bergoglio (vivido por Jonathan Pryce) e o papa Bento XVI (Anthony Hopkins).

A trama começa a se mexer quando o cardeal resolve pedir aposentadoria após discordar de uma série de orientações dadas pelo papa. Ele então compra uma passagem para Roma, onde irá formalizar o pedido.

dois papas

Entretanto inesperadamente o papa acaba por ir o visitar e desse encontro com os dois surge uma longa conversa. No diálogo, ambos refletem sobre o destino na igreja, os problemas que o catolicismo enfrenta e os seus próprios dilemas pessoais.

Melhores comédias

Nada a esconder (Le Jeu) (2018)

Nada a esconder

O primeiro filme francês dessa lista é uma comédia que reúne amigos de longa data em uma situação inusitada - assim poderia ser definido Nada a esconder.

Durante um jantar de confraternização na casa de um deles, um dos amigos propõe um jogo diferente. A gincana é a seguinte: todos devem colocar os celulares no centro da mesa e o que aparecer na tela (chamadas, emails, mensagens) deve ser tratado em voz alta, em público.

Le Jeu

O jogo aparentemente inofensivo acaba por provocar uma verdadeira chuva de problemas e os casais à mesa tem que se explicar uns aos outros para justificarem situações constrangedoras.

Nada a esconder é uma comédia contemporânea e muito divertida, pode ser um ótimo passatempo para quem está a procura de boas gargalhadas leves.

Não sou um homem fácil (Je ne suis pas un homme facile) (2018)

O protagonista de Não sou um homem fácil - Damien - é um machista de carteirinha que vê a sua vida mudar quando sofre um acidente e acorda com o mundo ao contrário: agora quem domina são as mulheres.

A criação francesa nos faz rir justamente porque aponta os absurdos da nossa sociedade contemporânea ainda muito marcada pelos homens nos lugares de poder.

Je ne suis pas un homme facile

Ao rimos de Damien acabamos por rir de nós mesmos, afundados num contexto que ainda, infelizmente, não trata com igualdade homens e mulheres. Assim como na vida real, é Damien que precisará se adaptar à realidade tendo que engolir muitos sapos do sexo oposto.

Ele tem mesmo os seus olhos (Il a déjà tes yeux) (2016)

Ele tem mesmo os seus olhos

A comédia francesa Ele tem mesmo os seus olhos fala sobre relações familiares, adoção e preconceito (as avessas).

Paul e Sali são casados e não podem ter filhos - embora esse fosse o maior sonho do casal. Ansiosos, entram na fila de espera da adoção e um belo dia recebem o tão esperado telefonema: afinal há um bebê de seis meses pronto para ser adotado por eles!

O surpreendente aqui é que se trata de um bebê branco de olhos azuis que vai parar numa família composta por pai e mãe negros.

il a déjà tes yeux

Observamos no longa como a sociedade não está preparada para lidar com situações não usuais e como o casal reage com o estranhamento das pessoas por terem adotado uma criança que não se parece nada com eles.

Melhores filmes infantis

Os Croods (The Croods) (2013)

A animação da DreamWorks se passa na era pré-histórica e tem como personagens principais os membros da família Croods composta por pai (Grug), mãe (Ugga), filhos (Thunk e Eep) e avó.

Vivendo em uma caverna, a particularidade dessa família é que o pai morre de medo do mundo lá fora - Grug é uma clássica figura masculina protetora. A revolução na história acontece quando a filha Eep, adolescente, conhece o jovem Guy e resolvem explorar o mundo apesar de todas as ressalvas do pai.

The Croods

Os croods fala sobre família, mas também sobre a necessidade de quebrarmos regras e sobre a coragem de irmos de encontro aquilo que desejamos apesar de todos os transtornos que essa escolha possa gerar.

A fantástica fábrica de chocolate (Willy Wonka & the Chocolate Factory) (1971)

Um clássico que provavelmente muitos de nós assistimos agora está também disponível na Netflix para uma verdadeira sessão nostalgia.

A primeira versão de A fantástica fábrica de chocolate, lançada em 1971, é um filme musical que tem como protagonistas Willy Wonka (Gene Wilder) - o dono da fábrica de chocolates - e o pobre menino Charlie (Peter Ostrum).

A história começa quando Charlie tira a sorte grande ao abrir uma barra com o tíquete dourado. O garoto ganha a oportunidade de visitar a tão sonhada fábrica e passa a interagir com Willy Wonka, que afinal se revela uma figura dúbia - ao mesmo tempo aparentemente bonzinho e forte manipulador.

Willy Wonka & the Chocolate Factory

Se você quer um bilhete para o passado e uma boa sessão de remembering esse é o filme que não pode faltar na sua lista.

Melhores documentários

Absorvendo o tabu (Period. End of sentence.) (2018)

Absorvendo o tabu

O documentário Absorvendo o tabu recebeu o Oscar e não poderia passar despercebido por aqui.

A diretora Rayka Zehtabchi nos conta como a menstruação é vista nas comunidades rurais da Índia e de que forma a introdução de uma máquina para criar absorventes íntimos a baixo custo causou uma verdadeira revolução nesses vilarejos.

Period. End of sentence.

O filme que trata sobretudo do machismo mostra como uma série de meninas precisam abandonar os estudos e como a falta de produtos de higiene adequados condena à exclusão essas mulheres.

Minimalismo: um documentário sobre as coisas importantes (Minimalism: A Documentary About the Important Things) (2016)

Os protagonistas desse documentário são Joshua Fields Millburn e Ryan Nicodemus, dois rapazes que resolveram mudar de estilo de vida adotando uma postura minimalista no dia-a-dia.

O filme faz uma severa crítica ao consumismo exacerbado (a cultura de consumo ocidental desenfreada) e apresenta uma maneira diferente de viver o nosso cotidiano sem sermos cercados de tantas coisas (objetos, móveis, roupas, gadgets, peças decorativas).

Minimalismo

A ideia dos dois protagonistas é reduzir aquilo que temos ao máximo, ficando apenas com o que é essencial.

Democracia em vertigem (2019)

O documentário Democracia em vertigem, assinado pela cineasta Petra Costa, mostra os bastidores de um período conturbado da vida política do Brasil: o fim do governo do PT e o impeachment da então presidenta Dilma Roussef.

A produção se preocupa em voltar o olhar para um país polarizado, violento e sobretudo em crise que vê as suas instituições de poder serem colocadas a prova.

Democracia em vertigemApesar de procurar explicar o fenômeno político que o país atravessava, o documentário é também um registro pessoal e poético de como Petra e a sua família experimentaram esse período importante da história do Brasil.

Conheça uma análise do Documentário Democracia em vertigem.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).