16 melhores filmes produzidos pela Netflix que são imperdíveis


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

Os filmes originais da Netflix têm tido cada vez mais destaque no cenário cinematográfico. As plataformas de streaming têm se esforçado para concorrer com grandes produtoras, criando ótimos filmes e conquistando prêmios, elogios e boa repercussão.

Assim, selecionamos algumas excelentes produções da Netflix que todo mundo deveria assistir.

1. Ataque dos cães (2021)

Um dos grandes filmes de 2021 é Ataque dos Cães, uma realização da Netflix. O longa-metragem dirigido pela neozelandesa Jane Campion trata de questões delicadas em um ambiente hostil.

Trazendo Benedict Cumberbatch como protagonista, esse é faroeste que se passa nos anos 20 e que expõe a masculinidade tóxica e seus efeitos maléficos nas relações humanas.

Aclamado pelo público e pela crítica, o filme tem uma aprovação de 94% no Rotten Tomatoes, foi indicada a 12 categorias no Oscar e venceu a de melhor direção, além de sair vitoriosa também em diversos outros festivais.

2. A filha perdida (2021)

Outro sucesso da Netflix é A Filha Perdida, produção lançada na plataforma no final de 2021.

A belíssima interpretação de Olivia Colmam combinada com a direção de Maggie Gyllenhaal transformaram a história da escritora italiana Elena Ferrante em uma obra cinematográfica imperdível.

A trama percorre a história e as memórias de Leda, uma professora acadêmica de meia-idade que decide tirar férias no litoral da Grécia para curtir a solitude.

Mas lá chegando se depara com uma família grande e espaçosa. Ela conhece Nina e sua filha pequena, passando a observá-las e se incomodar com a relação entre as duas.

Na verdade, Leda entra em contato com situações que disparam gatilhos emocionais e memórias dolorosas, trazendo à tona sentimentos do passado e a relação com suas próprias filhas.

Um filme necessário que fala sobre maternidade de uma maneira crua e sem romantizações. Indicado em muitas categorias no Oscar e vencedor de prêmios importantes, também foi bem avaliado pelo público e recebeu aprovação de 94% no Rotten Tomatoes.

3. Não Olhe Para Cima (2021)

Com direção de Adam McKay, Não Olhe Para Cima traz como protagonistas Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence, conta ainda com a bela atuação de Meryl Streep.

Vencedor de vários prêmios importantes, o filme conta a saga de Randall Mindy e Kate Dibiasky lutando para serem levados a sério em sua recente e terrível descoberta.

Eles são astrônomos eencontram evidências de que um meteoro está prestes a se chocar com o planeta e destruí-lo. Assim, buscam a todo custo conscientizar as autoridades da gravidade do problema. Mas para isso terão que enfrentar o pensamento que visa o lucro acima da vida e o negacionismo.

4. Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo (2017)

Com o título original de I Don't Feel at Home in This World Anymore, esse é um filme de 2017 que apresenta a história de Ruth, uma mulher em depressão que leva uma vida monótona.

Após assaltantes invadirem sua casa e levarem seu computador e itens de valor sentimental, ela decide pedir ajuda ao vizinho para tentar reaver suas coisas. Assim, eles se envolvem em um esquema perigoso e emocionante.

O filme é assinado por Macon Blair em seu primeiro trabalho como diretor. Bem recebido pela crítica, esse drama que mistura comédia e investigação criminosa foi aclamado no Festival Sundance de Cinema, que premia produções independentes.

5. A mão de Deus (2021)

Essa é uma produção italiana assinada por Paolo Sorrentino que apresenta o drama de um adolescente vivendo em Nápoles nos anos 80.

Fabietto vem de uma família caótica e possui poucos amigos, se amparando no amor pelo futebol e tendo Diego Maradona como ídolo (daí a referência ao título do longa).

Após ser abalado por uma tragédia familiar, o garoto fica transtornado e precisa descobrir novos interesses. Assim, percebe que deve dedicar sua vida ao cinema.

O filme traz referências e homenagens à arte cinematográfica, sobretudo ao mestre da sétima arte Federico Fellini. Com uma história envolvente, uma bela fotografia e boas interpretações, A Mão de Deus é com certeza um filme para ser visto na Netflix.

6. O Tigre Branco (2021)

Esse é um drama policial escrito e dirigido por Ramin Bahrani e baseado no livro de mesmo nome do indiano Aravind Adiga.

A trama se passa na Índia e acompanha Balram, um jovem de origem pobre que, com muita inteligência e sagacidade, consegue ascender socialmente.

Um filme que aborda a desigualdade, as injustiças e a perversidade humana. Foi bem aceito pela crítica, concorrendo ao Oscar no ano seguinte.

7. Dois Papas (2019)

Com várias indicações ao Oscar e Globo de Ouro de 2020, Dois Papas apresenta fatos baseados na realidade, exibindo os bastidores da alternância do cargo de papa em 2013.

Na ocasião, o então papa Bento XVI renunciou e deu lugar ao cardeal Jorge Mario Bergoglio, que veio a se tornar o Papa Franscico.

No filme os dois pontífices se encontram e protagonizam conversas filosóficas sobre os rumos da igreja católica e os motivos que levaram à troca de poder.

Apesar de tais encontros não terem ocorrido na vida real, o longa mostra de forma clara e poética um momento histórico importante no século XXI.

As interpretações de Anthony Hopkins e Jonathan Pryce são primorosas e a direção de Fernando Meirelles foi uma boa escolha.

8. Tick, Tick... Boom (2021)

Lin-Manuel Miranda estreia como diretor nesse drama-musical de 2021. Baseia-se na peça de Jonathan Larson, dramaturgo que faleceu nos ano 90.

A história percorre a trajetória de Jon, um rapaz simples que quer ser um escritor renomado de teatro e que, prestes a fazer 30 anos, se depara com mudanças na sua vida, o que o fará ter que bancar suas escolhas.

A produção ganhou destaque no seu lançamento e recebeu prêmios importantes como o Globo de Ouro, além de concorrer ao Oscar.

9. História de um casamento (2019)

Marriage Story, seu título original, é um filme de Noah Baumbach que traz as ótimas interpretações de Scarlett Johansson e Adam Driver nos papéis de um casal recém-separado que precisa lidar com o luto pelo fim da relação.

A narrativa percorre os sentimentos e dramas do casal que, com um filho pequeno, terá que encontrar maneiras de conviver harmonicamente, mesmo com todas as mágoas e ressentimentos que restaram.

Um filme que mostra o enlace e o desenlace amoroso de forma simples e humana, aproximando o público e gerando identificação. Talvez por isso a produção, indicada a seis categorias no Oscar, tenha feito tanto sucesso.

10. O Irlandês (2019)

Lançado na Netflix em 2019, O Irlandês exibe um elenco de peso com Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci. O filme, com roteiro de Charles Brandt e Steven Zaillian e com direção de Martim Scorcese, é baseado no livro autobiográfico de Charles Brandt, intitulado Heard You Paint Houses.

Frank, apelidado de "O irlandês", é um mafioso que está prestes a morrer e começa a rever seu passado no crime, suas escolhas e os acontecimentos em sua vida.

A produção foi muito elogiada, concorrendo ao Oscar e recebendo 95% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

11. Meu Nome é Dolemite (2019)

Esse filme norte-americano é dirigido por Craig Brewer e aborda a vida do comediante, ator, cantor e produtor artístico Rudy Ray Moore.

O artista é vivido por Eddie Murphy, que foi indicado ao Globo de Ouro como melhor ator de comédia pelo papel e teve um reconhecimento positivo da crítica.

O título do filme "Dolemite" faz referência ao personagem mais famoso de Rudy, um cafetão que protagonizou quatro filmes do astro, além de ser destaque em shows de stand-up.

12. Mank (2020)

Esse é um drama biográfico de 2020 que mostra os bastidores e as complicações em torno da produção do clássico do cinema Cidadão Kane, de 1941.

Produzido por David Fincher, aborda a vida problemática do roteirista Herman J. Mankiewicz, seu alcoolismo e o universo hollywoodiano dos anos 30 e 40.

As críticas do público são boas e o filme recebeu aprovação de 84% no Rotten Tomatoes.

13. A Voz Suprema do Blues (2020)

A atuação de Viola Davis nesse filme foi um dos presentes cinematográficos de 2020. A atriz interpreta Ma Rainey, uma importante cantora de blues norte-americana dos anos 20.

Outro nome de sucesso no longa é Chadwick Boseman em seu último papel antes de sua morte em agosto do mesmo ano.

A produção, assinada por George C. Wolfe, se passa em Chicago e mostra os bastidores de uma gravação musical em um estúdio quando o blues começou a fazer sucesso nos EUA.

Conflitos e reflexões em torno do racismo são evidentes, mostrando Ma Rainey e sua banda no enfrentamento de desafios enquanto buscam afirmar seus talentos.

14. Roma (2018)

Roma é um filme de 2018 do mexicano Alfonso Cuarón. Com grande repercussão, venceu o Oscar no ano seguinte nas categorias de melhor direção, melhor filme estrangeiro e melhor fotografia, além de outros prêmios importantes como o Globo de Ouro.

Se passa nos anos 70 e mostra o cotidiano de uma família de classe média/alta e a relação deles com suas empregadas, principalmente Cleo, a protagonista.

Com uma fotografia belíssima em preto e branco, a trama aborda os contrastes sociais, o racismo e o machismo.

15. Lazzaro Felicce (2018)

Esse é um filme peculiar e interessante que conta a história de um jovem humilde e bondoso que trabalha como camponês para uma família em uma fazenda na Itália.

A subserviência e a exploração nas relações de trabalho são aqui exibidas de maneira evidente e atravessam o espaço-tempo de maneira fantástica e imaginativa.

Lazzaro é um personagem que carrega uma carga dramática e a simbologia da inocência, rompendo a temporalidade e se inserindo em diferentes contextos para escancarar a fragilidade e a crueldade humana.

A direção do longa, muito elogiado pela crítica e premiado em vários festivais, é da italiana Alice Rohrwacher.

16. Beasts Of No Nation (2015)

O primeiro longa-metragem produzido pela Netflix foi lançado em 2015 e já impactou positivamente o público e a crítica. Beast Of No Nation tem como base o livro homônimo de Uzodinma Iweala, escritor nigeriano.

Idealizado por Cary Fukunaga, o filme conta a história de Agu, um garoto que vive em um país africano em guerra e que, após ficar órfão, se vê obrigado a lutar entre guerrilheiros.

Um filme forte e comovente que entrega boas interpretações, fotografia e narrativa.

Você também pode se interessar:

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.