21 melhores filmes românticos para ver na Netflix


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

Filmes de romance costumam ser uma ótima pedida para os casais apaixonados ou para quem gosta de histórias sobre relacionamentos e seus dramas.

Muitas vezes o gênero mistura humor, o que contribui para dar um tom leve e divertido. Mas a verdade é que os filmes de amor também podem ser profundos, além de revelar histórias de superação, poder e mistério.

Por isso, selecionamos os melhores filmes românticos presentes no catálogo da Netflix para curtir sozinho(a) ou acompanhado(a).

1. A Época da Inocência (1993)

Direção: Martin Scorsese

A Época da Inocência é uma adaptação do livro homônimo de Edith Wharton publicado em 1920. O filme é de 1993, foi assinado pelo reconhecido cineasta norte-americano Martin Scorcese e traz as atuações de Daniel Day-Lewis, Michelle Pfeiffer, Winona Ryder.

A trama se passa nos EUA em 1870 em meio à alta burguesia e exibe uma história de amor cheia de dramas, traições, abusos e a busca por manter as aparências.

O filme foi indicado ao Oscar e outras premiações importantes, levando troféus do Globo de Ouro e BAFTA.

2. A incrível Jessica James (2017)

Direção: James C. Strouse

Esse é um filme um pouco diferente das histórias de romance comuns. Trata-se de uma comédia romântica em que um ponto de destaque é a representatividade de mulheres negras, já que a protagonista conseguiu levar para a tela elementos de identificação de jovens negras norte-americanas.

Dirigido por James C. Strouse, traz a atriz Jessica Williams no papel de Jessica James, uma dramaturga em começo de carreira em Nova York que está superando uma recente separação quando conhece o também recém-divorciado Boone.

3. Orgulho e preconceito (2005)

Direção: Joe Wright

Uma das histórias de amor mais conhecidas do Ocidente é Orgulho e Preconceito, escrita por Jane Austen no começo do século XIX. A narrativa ganhou diversas adaptações, sendo o filme de 2005 reconhecido como um dos mais fieis à história original.

A trama conta sobre Elizabeth Bennet e Mr. Darcy. Os dois se conhecem em uma festa da elite inglesa e a partir de então desenvolvem uma relação marcada por conflitos, desconfianças, preconceitos e vaidades.

Entretanto, a atração entre eles é maior e aos poucos percebem que julgaram mal um ao outro, se abrindo ao amor.

4. Trama Fantasma (2018)

Direção: Paul Thomas Anderson

Um filme sobre amor, poder e mistério, assim é Trama Fantasma, de Paul Thomas Anderson. Passado na década de 50, o enredo exibe Reynolds Woodcock (Daniel Day-Lewis), um estilista workaholic que trabalha com sua irmã.

Reynolds tem uma vida amorosa bastante dinâmica, sempre conhecendo novas mulheres, até que um dia encontra Alma (Vicky Krieps), uma mulher determinada que trabalha como garçonete e por quem desenvolve uma grande paixão.

5. Elisa & Marcela (2019)

Direção: Isabel Coixet

O filme espanhol Elisa & Marcela é uma bela produção em preto e branco assinada pela cineasta Isabel Coixet.

Lançado em 2019, conta a história verídica de um casal de mulheres que conseguiu enganar a Igreja e se casar há mais de 100 anos na província de Corunha, noroeste da Espanha.

Isabel entrou em contato com o caso através do livro Elisa y Marcela – Más Allá de los Hombres, escrito por Narciso de Gabriel. Assim, o livro foi de grande ajuda para criação do roteiro.

6. Seu Nome Gravado em Mim (2020),

Direção: Chu Yu-ning

Seu nome gravado em mim é um romance de 2020 dirigido pelo taiwanês Chu Yu-ning.

O filme aborda a relação homoafetiva de Jia-han e Birdy, dois rapazes que enfrentam a homofobia e o constrangimento familiar na tradicional Taiwan dos anos 80.

O filme teve destaque na Ásia, pois surge no momento em que seu país é o primeiro a legalizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Assim, a produção se tornou um sucesso em Taiwan e agora integra o catálogo da Netflix também no Ocidente.

7. Como superar um fora (2018)

Direção: Bruno Ascenzo, Joanna Lombardi Pollarolo

O título original dessa produção peruana é Soltera Codiciada. Dirigido por Bruno Ascenzo, Joanna Lombardi Pollarolo, o filme trata de maneira leve bem humorada o sofrimento de uma mulher, quando o namorado de longa data termina a relação de forma insensível.

Maria Fe, vivida por Gisela Ponce de León, é uma publicitária com mais de 30 anos que vê seus planos desabarem ao ser "abandonada". Assim, o filme mostra as diversas fases do luto de uma relação, até que Maria Fe se reconstrói e entende que seu amor-próprio deve sempre vir em primeiro lugar.

Um filme que surpreende e causa identificação em todas as pessoas que já passaram por desilusões amorosas.

8. Mary Shelley (2019)

Direção: Haifaa Al Mansour

A história do romance entre Mary Wollstonecraft e o poeta Percy Shelley é revelada nesse filme de 2019 dirigido por Haifaa Al Mansour.

A jovem, que na época tinha 17 anos, viria a se tornar a célebre escritora Mary Shelley, autora do livro Frankenstein.

Essa é uma boa oportunidade de conferir uma história baseada em fatos reais que se passa no século XIX na Inglaterra e perpassa toda a juventude de Mary até se tornar um ícone feminino da literatura inglesa.

9. Margarita com canudinho (2020)

Direção:Shonali Bose e Nilesh Maniyar

Essa é uma bela produção indiana de 2020 sobre superação e amor. A história trata de diversas questões importantes, mostrando que todas as pessoas têm direito de amar.

Laila é uma jovem com paralisia cerebral que vive com sua família em Delhi, na ìndia. Ela se apaixona por um colega e, sentindo-se rejeitada, sofre e procura consolo nos braços da mãe.

Buscando independência e se aprofundar nos estudos, Lala vai para os EUA com a mãe estudar na Universidade de Nova York. É lá que conhece uma jovem ativista e vive com ela uma relação amorosa.

10. Perdi meu corpo (2019)

Direção: Jérémy Clapin

A animação Perdi meu corpo é uma produção francesa de 2019 que foi muito bem recebida no circuito de festivais de cinema. Ganhador de vários prêmios, o longa-metragem vem conquistando o público por conta de sua originalidade ao abordar temas como o amor e o autoconhecimento.

Na trama acompanhamos a trajetória de uma mão decepada que vaga pela cidade à procura de seu corpo. O dono do membro é Naoufel, um rapaz francês que vive as descobertas do amor e de si mesmo.

11. A teoria de tudo (2014)

Direção: James Marsh

A incrível história do cientista britânico Stephen Hawking é retrata nesse longa-metragem de 2014 dirigido por James Marsh.

O filme é um drama e romance inspirado no livro Travelling to Infinity: My Life with Stephen, de Jane Hawking, esposa do físico que viveu com ele desde 1965 até 2018, ano de sua morte.

Stephen é dono de uma das mentes mais brilhantes dos séculos XX e XXI e precisou lidar com uma doença degenerativa grave, a esclerose lateral amiotrófica.

12. Hoje eu quero voltar sozinho (2014)

Direção: Daniel Ribeiro

Hoje eu quero voltar sozinho é uma história delicada sobre a descoberta do amor. Leonardo é um adolescente cego que anseia por liberdade e autonomia.

Na escola, conta a ajuda e amizade de Giovanna, uma garota que esconde uma paixão pelo amigo. Com a chegada de Gabriel, um novo aluno em sua turma, Leonardo vai descobrir outros sentimentos e desejos, vivenciando seu primeiro amor.

Dirigido por Daniel Ribeiro, o filme brasileiro foi muito bem recebido pela crítica e surgiu como uma adaptação do curta-metragem Eu não quero voltar sozinho.

13. O despertar de Motti (2018)

Direção: Michael Steiner

O universo judaico é abordado nessa comédia romântica escolhida para representar a Suíça no Oscar de 2019.

Com direção de Michael Steiner, o longa-metragem traz a figura de Motti, um jovem judeu que contraria a tradição familiar ao se apaixonar por uma "shiksa", uma mulher que não faz parte da cultura ortodoxa.

É uma narrativa envolvente e original, pois utiliza também o recurso da "quebra da quarta parede", ao mostrar o protagonista explicando ao expectador algumas situações e tradições comuns em sua cultura.

14. Me chame pelo seu nome (2018)

Direção: Luca Guadagnino

O romance Me chame pelo seu nome foi lançado em 2018 e logo de cara despertou interesse ao exibir uma história LGBT da descoberta do amor em meio a um cenário paradisíaco no mar da Itália.

O filme traz uma leveza e sutileza que encantaram o público, pois o fato de ser um romance homoafetivo não teve um peso diferente para a família do rapaz.

Assim, esse é um exemplo de como o cinema pode contribuir para naturalizar comportamentos da sociedade e tratar dos temas com a desenvoltura e espontaneidade que deveriam ser tratados na vida real.

15. Ela quer tudo (1984)

Direção: Spike Lee

filme Ela quer tudo

O primeiro longa-metragem do cineasta norte-americano Spike Lee foi She's Gotta Have It, nome original de Ela quer tudo. Lançado em 1984, o filme traz uma história inovadora para sua época ao exibir uma protagonista negra que se relaciona com três homens ao mesmo tempo.

Nola Darling é uma artista que vive no Brooklyn e leva sua vida de maneira autêntica e livre. Assim, namora homens com personalidades muito diferentes, pois cada um a satisfaz de uma maneira.

O filme da década de 80 deu origem a recente série de mesmo nome, também dirigida por Spike Lee, e que faz algumas adaptações, retirando inclusive uma cena polêmica do filme.

16. Pérolas no Mar (2018)

Direção: Rene Liu

A produção Pérolas no Mar, dirigida pela chinesa Rene Liu, é um daqueles filmes que mostra o amor de maneira realista, buscando sair um pouco da cômoda ideia de que basta um sentimento intenso para que todo o resto dê certo.

Ao se conhecerem em um vagão de trem, um rapaz e uma moça desenvolvem um grande afeto e a partir de então vivenciam experiências transformadoras. Após dez anos o casal se reencontra e reflete sobre tudo o que se passou.

17. As leis da termodinâmica (2018)

Direção: Mateo Gil

Las leyes de la termodinâmica é o título original desse filme espanhol. de 2018 dirigido por Mateo Gil.

Passado em Barcelona, a comédia romântica nos apresenta Manel, um jovem cientista que procura explicar o amor através dos eventos físicos como as "leis da termodinâmica".

O filme usa uma linguagem contemporânea, com efeitos de animação, e mescla conteúdos de documentário, o que contribui para deixá-lo interessante.

18. Árvore de Sangue (2020)

Direção: Julio Medem

O romance intitulado originalmente de El árbol de la sangre foi lançado em 2020 e tem direção do espanhol Julio Medem.

Na história acompanhamos o casal Rebeca e Marc em uma viagem a antiga residência dos antepassados dela. Juntos, buscam desvendar mistérios familiares e precisam lidar uma importante descoberta.

Com belos cenários e um enredo que mistura excentricidade e intensidade, essa é uma boa pedida para quem gosta de um bom drama.

19. A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata (2020)

Direção: Mike Newell

Um filme delicado e sensível, The Guernsey Literary And Potato Peel Pie Society, no original, se passa na Inglaterra na década de 40.

O contexto é pós Segunda Guerra e tra como protagonista Juliet Ashton, uma escritora que decide viajar a Guernsey, um local em que o trauma da guerra foi grande. Lá ela se envolve com os moradores e se apaixona por Dawsey, um agricultor charmoso e misterioso.

Merecem destaque a fotografia e o figurino do longa-metragem, além das boas atuações.

20. Um lugar chamado Notting Hill (1999)

Direção: Roger Michell

Um lugar chamado Notting Hill já se tornou um clássico quando se fala em filmes de amor. O longa-metragem foi lançado em 1999 e traz nos papéis principais Julia Roberts e Hugh Grant.

Conta sobre a paixão inesperada de Anna Scott, uma atriz de Hollywood, com William Thacker, um charmoso e anônimo dono de uma livraria.

A história é uma romântica e divertida aventura pelos caminhos do coração, mostrando que quando se trata de paixão, todas as pessoas tem comportamentos parecidos, até mesmo a mais cobiçada e poderosa celebridade.

21. Olhos de Gato (2020)

Direção: Jun'ichi Satô, Tomotaka Shibayama

filme Olhos de Gato

O longa-metragem japonês Olhos de gato foi uma grata surpresa para quem gosta de animações orientais. Segundo filme do Studio Colorido, é assinado por Jun'ichi Satô e Tomotaka Shibayama e foi lançado em 2020.

Miyo Sasaki é uma garota apaixonada por Kento Hinode e sonha em conquistar seu amor. Determinada, Miyo decide transformar-se em uma gata para se aproximar do rapaz.

Você também pode se interessar:

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.