Final de Lost explicado


Carolina Marcello
Escrito por Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes
Publicado em

Lost é uma série norte-americana de aventura, drama e ficção científica que conquistou o público internacional desde o seu lançamento, em 2004. O enredo acompanha um grupo de pessoas que sofrem um acidente de avião e precisam sobreviver juntas numa ilha.

A narrativa cheia de mistérios terminou em maio de 2010, com a sexta e última temporada. O desenlace surpreendente continua despertando perguntas e teorias, tantos anos depois da sua exibição.

Atenção: a partir deste ponto, você vai encontrar spoilers!

Cenas finais da série: o que significam?

O último episódio de Lost conseguiu dividir os espectadores, frustrando as expectativas de uns e superando as de outros. Nele, os habitantes da ilha se reúnem novamente, numa espécie de capela: trata-se de uma realidade pós-vida.

Isso não significa, no entanto, que eles estiveram mortos o tempo todo. Embora alguns tenham morrido na ilha, outros sobreviveram, deixaram o local e continuaram seus destinos, falecendo bem mais tarde. No entanto, depois da morte, todos foram parar ao mesmo lugar.

A última temporada narra eventos que acontecem nesta linha temporal. Durante a maior parte do tempo, somos levados a pensar que representa uma realidade paralela, onde nenhum deles sofreu o desastre de avião, mas todos acabaram se conhecendo.

Cenas finais da série Lost.

No entanto, o desenlace da série vem esclarecer que aquelas ações ocorrem depois do período que os náufragos passaram juntos. Após morrerem em diferentes circunstâncias e momentos, seus espíritos se reencontram, conduzidos para o mesmo espaço.

As várias linhas temporais contribuem para a complexidade da narrativa. Além de acompanharmos o cotidiano dos sobreviventes, em algumas cenas conhecemos o passado dos personagens e noutras podemos vislumbrar o seu futuro.

Subvertendo aquilo que o público esperava, aqui o foco não está no modo como eles se salvaram, mas sim nos laços que formaram pelo caminho. Devido às experiências que partilharam, suas almas ficaram conectadas de forma irreversível.

Assim, quando suas vidas terminam, eles têm a oportunidade de se unir de novo. Conversando, finalmente, sobre tudo o que aconteceu, podem corrigir os erros que cometeram e encontrar um estado coletivo de harmonia.

Teorias do público e explicação dos criadores

Durante as seis temporadas da série, os espectadores foram elaborando diversas interpretações e teorias. O último episódio deixou muitas questões sem resposta, algo que perturbou e até enfureceu uma parte do público que procurava soluções objetivas para determinados mistérios.

Alguns elementos de fantasia e suspense, que surgiram ao longo da narrativa, nunca foram esclarecidos posteriormente. Entre os mais mencionados está um monstro que assombrava a ilha, as figuras enigmáticas conhecidas como "Os Outros" e uma conspiração com o nome de "Iniciativa Dharma".

Após a exibição do episódio final, novas visões começaram a ser compartilhadas. A mais popular defendia que os habitantes da ilha estariam mortos desde que o avião caiu. Deste modo, tudo o que assistimos corresponderia ao tempo que eles passaram no purgatório.

Outras teorias também foram consideradas, como a presença de forças alienígenas ou até a possibilidade de estarem participando num reality show sem saberem. Os criadores Jeffrey Lieber, J. J. Abrams e Damon Lindelof não se pronunciaram durante muito tempo, mas negaram essas suposições.

Anos mais tarde, sublinharam que o final se passa mesmo numa realidade futura, que ocorre depois da morte dos personagens. Segundo eles, os segredos da ilha que ficaram por desvendar estariam integrados na mitologia do local e não eram o foco da ação.

Pelo contrário, consideram que Lost fala, sobretudo, acerca das relações humanas que se estabeleceram, com suas dificuldades e superações. A trama reflete, deste modo, sobre as formas como nos tratamos mutuamente, como erramos e também como nos redimimos.

O sonho do cachorro: versão dos Simpsons

O final de Lost despertou a curiosidade do público e cada espectador defendia a sua própria tese a respeito da história. Nesse dia, Os Simpsons estavam sendo exibidos numa emissora concorrente, durante o mesmo horário.

Bart Simspon escrevendo “Final de Lost: era tudo um sonho do cachorro”.
Bart Simspon escrevendo "Final de Lost: era tudo um sonho do cachorro".

Através da famosa abertura, Bart apresentou a sua versão dos fatos: "era tudo um sonho do cachorro". Com o humor que já conhecemos, o desenho animado ironizou as teorias mirabolantes que surgiram em torno da série que muitos consideraram incompreensível.

Aproveite para ver também:

Carolina Marcello
Escrito por Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.