13 Melhores Séries LGBT+ que você precisa ver


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

As séries LGBT (ou LGBTQIA+) têm ganhado cada vez mais espaço nos serviços de streaming.

Os assuntos que envolvem a comunidade gay, lésbica, transgênero e das demais orientações afetivo-sexuais estão presentes em muitas produções recentes ou mais antigas.

Essas abordagens são importantes para trazer representatividade e dar visibilidade ao tema, contribuindo para o enfrentamento do preconceito e mostrando histórias diversas de pessoas que lutam todos os dias pelo direito de existir e amar.

1. Pose

cena da série Pose

Essa é uma série que mostra de forma sensacional a cultura LGBTQIA+, especialmente das transsexuais e travestis afro-americanas, nos anos 80 e 90.

Com um elenco majoritário de mulheres trans, a narrativa mergulha no universo dos bailes LGBTs e casas de pessoas trans e gays morando juntas, em uma atitude de resistência e acolhimento.

São 3 temporadas que acompanham as aventuras, amores, dilemas, sofrimentos e luta de um grupo de pessoas que se tornam uma verdadeira família.

A primeira temporada recebeu muitas críticas positivas, ganhando prêmios importantes como o Globo de Ouro. A produção está disponível na Netflix.

2. Veneno

cartaz da série Veneno

A vida de Cristina Ortiz, famosa transsexual espanhola dos anos 90, é contada nessa incrível série lançada em outubro de 2020.

Inspirada no livro ¡Digo! Ni puta ni santa. Las memorias de La Veneno, de Valeria Vegas, a série aborda em 8 episódios a trajetória de Cristina, nascida no sul da Espanha em 1964 em uma família conservadora e que se transforma em um ícone da cultura trans no país.

A direção é de Javier Ambrossi e Javier Calvo e a produção pode ser vista na HBO.

3. Diários de Andy Warhol

cartaz da série Diários de Andy Warhol

A série documental Os diários de Andy Warhol foi ao ar na Netflix em março de 2022 e conta sobre a vida de um dos artistas mais aclamados do século XX, o estadunidense Andy Warhol.

Ele começou a escrever diários em 1968, após sofrer um atentado e levar um tiro. Assim, esse material foi transformado em livro em 1989 e foi recentemente adaptado para o formato de série, com direção de Andrew Rossi.

São 6 capítulos que percorrem a trajetória do artista, seu processo criativo, suas inquietações sobre sexualidade e relacionamentos homoafetivos.

Uma produção muito bem feita que valoriza a obra e a vida do gênio e vem arrancando elogios.

4. Heartstopper

série heartstopper

Heartstopper é uma série que vem fazendo sucesso na Netflix. Lançada em 2022, a produção é baseada na obra literária da inglesa Alice May Oseman.

A série é protagonizada por Charlie e Nick, colegas do ensino médio que vivem em mundos opostos. Enquanto Charlie é introvertido e meigo, Nick é popular e falante.

Os dois se aproximam e desenvolvem uma amizade, que aos poucos se transforma em algo além, nos mostrando as descobertas, desafios e inseguranças do amor.

5. Special

série special

Criado por Ryan O’Connell, esse seriado estadunidense apresenta Ryan, um jovem gay que possui uma leve paralisia cerebral e que decide lutar por autonomia e ir em busca de um relacionamento.

São duas temporadas que estão na Netflix, onde acompanhamos o jovem em seus desafios e conquistas. A série é interessante pois aborda a homossexualidade de uma pessoa com deficiência, mostrando que todos têm direito a se relacionar e viver novas e diferentes experiências.

6. It’s a Sin

cena da série It‘s a sin

Essa produção foi lançada em 2021 e pode ser assistida na HBO. Se passa na década de 80 e começo dos anos 90 em Londres. Retratando a vida de um grupo de jovens gays, a narrativa comove ao mostrar o impacto da epidemia de HIV nesse período entre a comunidade.

A idealização é de Russell T Davies e conta com apenas 5 episódios que mostram a força e a coragem desses amigos em meio a tantos desafios.

7. Sex Education

série sex education

Sucesso de público na Netflix, Sex Education é uma série idealizada por Laurie Nunn que mostra o cotidiano de um grupo de adolescentes no ensino médio nos EUA.

Como é próprio da idade, eles estão lidando com muitas descobertas, conhecendo seus corpos e desejos. Otis, o protagonista, é filho de uma terapeuta sexual e em certo momento também começa a atender seus colegas, buscando ajudá-los a resolver seus problemas de relacionamento e sexualidade.

A história traz muitos personagens e os assuntos referentes à comunidade LGBT não ficam de fora, obviamente.

8. Euphoria (HBO)

cena da série euphoria

Uma das séries mais assistidas da HBO é Euphoria. A produção traz vários personagens jovens e seus dilemas, abordando assuntos como as relações com as drogas, a sexualidade, transtornos mentais e a busca por equilíbrio.

A protagonista é Rue Bennett (interpretada por Zendaya), uma garota que sai da clínica de reabilitação disposta a levar uma vida "limpa". Rue conhece na escola Jules, uma adolescente trans com quem se envolve amorosamente.

9. Queer as a Folk

queer as a folk série elenco

Um dos primeiros seriados que mostram o universo LGBT+ é Queer as Folk, que foi ao ar ainda nos anos 2000, permanecendo até 2005.

Feita em parceria entre Canadá e EUA, foi criada por Ron Cowen e Daniel Lipman e exibe um grupo de gays e lésbicas morando em Pittsburgh, na Pennsylvania.

A importância da série se dá devido ao modo como a homossexualidade é abordada, mostrando pessoas comuns e sem apelar à cenas obscenas em uma época em que o debate e a representatividade na televisão ainda era algo raro.

10. Crônicas de San Francisco

série crônicas de são francisco

Com o título original de Tales of the city, a série chegou na Netflix em 2019. O interessante é que ela se baseia na obra literária de mesmo nome de Armistead Maupin, que a escreveu em capítulos entre 1978 e 2014 e apresenta pela primeira vez uma protagonista transgênero.

A história se passa nos EUA e exibe um grupo de pessoas que mora em uma pensão em San Francisco, uma cidade onde há predominância da comunidade LGBTQ+.

11. Will & Grace

elenco da série Will and Grace

A sitcom Will & Grace é uma das mais divertidas séries que trazem personagens LGBT. Lançada ainda em 1998, essa produção tem nada menos do que onze temporadas e fez sucesso nos anos 2000.

Nela acompanhamos a rotina de Will, um jovem gay e advogado, e sua amiga Grace, uma decoradora de origem judia. Os dois dividem apartamento e as dores e alegrias da vida.

Assuntos como casamento, relacionamentos, separação, relações casuais e o universo judaico e gay estão presentes e dão o tom a essa comédia.

12. The L Word (Generation Q)

the L word série

Com estreia em 2004, essa série norte-americana tem 6 temporadas e foi ao ar até 2009. Nela vemos um grupo de mulheres lésbicas e bissexuais que vive em Los Angeles, além de personagens trans.

Temas delicados como a maternidade, inseminação artificial, dúvidas sobre a sexualidade e até mesmo o alcoolismo surgem na narrativa de forma a fazer o público refletir sobre realidades diferentes.

13. Orange is the new black

orange is the new black_série

Também conhecida pela sigla OITNB, essa série aposta no universo carcerário norte-americano para mostrar o cotidiano de um grupo de mulheres, seus desentendimentos e companheirismo.

Piper Chapman é uma mulher que no passado cometeu um crime ao levar uma mala de dinheiro do tráfico a pedido de sua ex-namorada. O fato, ocorrido muitos anos atrás, um dia volta para atormentá-la.

Assim, ela decide se entregar à polícia e vai presa por 15 meses, período em que encontra na penitenciária realidades muito distintas.

A série, idealizada por Jenji Kohan, pode ser vista na Netflix.

Veja também outros conteúdos que podem te interessar:

40 filmes com temática LGBT+ para refletir sobre a diversidade

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.