As 10 melhores músicas infantis


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

A música tem um papel fundamental no desenvolvimento da criança ajudando não só na socialização, como também no processo de aquisição da linguagem e na consolidação da autoconfiança.

Relembre dez grandes músicas infantis, conheça o significado por trás de cada uma delas e descubra a importância que elas podem ter no amadurecimento dos pequenos.

Casa

Era uma casa muito engraçada
Não tinha teto não tinha nada
Ninguém podia entrar nela não
Porque na casa não tinha chão
Ninguém podia dormir na rede
Porque na casa não tinha parede
Ninguém podia fazer pipi
Porque pinico não tinha ali
Mas era feita com muito esmero
Na rua dos bobos número zero

A canção dá vida a uma casa estranha, completamente vazia, onde tudo se encontra em falta. Há quem diga que a letra faz com que o pequeno ouvinte valorize o que tem dentro da sua própria casa a partir da ausência do local cantado.

Casa é um clássico de Vinicius de Moraes lançado durante os anos setenta no livro A Arca de Noé tendo conseguido vencer a barreira do tempo encantando crianças até os dias de hoje. Os versos viraram música nos anos oitenta na voz de Toquinho.

Uma curiosidade: a casa da letra de fato existiu, ela estava ligada a um projeto do artista plástico uruguaio Carlos Páez Vilaró, amigo de Vinicius de Moraes.

Vilaró decidiu construir sozinho uma casa/atelier na cidade de Punta Ballena em 1958. Como ergueu o projeto de modo independente e do zero, o espaço esteve permeado pela falta durante muito tempo.

A canoa virou

A canoa virou
Pois deixaram ela virar
Foi por causa de Maria
Que não soube remar

Se eu fosse um peixinho
E soubesse nadar
Eu tirava Maria
Do fundo do mar

Siri pra cá,
Siri pra lá
Maria é bela
E quer casar.

A cantiga de roda A canoa virou serviu de trilha sonora para uma série de brincadeiras infantis.

Com a letra a criança aprende a interagir socialmente (uma vez que os nomes das crianças envolvidas costumam ser ditas ao longo da letra).

A canção também tem efeito moral porque desenvolve a noção de causa e consequência (a canoa virou porque quem deveria remá-la não o soube fazer), reforçando assim a importância do senso de responsabilidade.

Não atire o pau no gato

Não atire o pau no gato (to-to)
Porque isso (Isso-Isso)
Não se faz (faz-faz)
O gatinho (nho-nho)
É nosso amigo (go-go)
Não devemos maltratar
Os Animais
Miau!

A letra acima é a versão aprimorada - há quem diga politicamente correta - de uma canção entoada por muitas gerações (Atirei o pau no gato).

A nova canção ensina as crianças a respeitarem os animais e a desenvolverem com os gatos uma relação de afeto e carinho.

Brilha brilha estrelinha

Brilha, brilha, estrelinha
Lá no céu pequenininha
Solitária se conduz
Pelo céu com tua luz

Brilha, brilha, estrelinha
Lá no céu pequenininha
Brilha, brilha, estrelinha
Lá no céu pequenininha

A letra de Brilha brilha estrelinha ensina a criança pequena a desenvolver uma relação com o espaço e a perceber que faz parte de um sistema muito mais amplo do que está habituada a pensar.

Os breves versos estimulam os pequenos a olharem para cima e a repararem no céu.

Como a personagem da música é uma estrela única, a criança também é introduzida ao conceito da solidão de um modo positivo (a estrela, solitária e pequena, é tão poderosa que chega a ser capaz de espalhar luz na imensidão do céu).

Marcha soldado

Marcha soldado
Cabeça de papel
Quem não marchar direito
Vai preso pro quartel

O quartel pego fogo
Policia deu sinal
Acode, acode, acode a bandeira nacional

Uma das músicas mais famosas para crianças é Marcha soldado. A letra, a princípio, nos contextualiza num espaço militar e apresenta para a criança os deveres do soldado.

Logo a seguir ficamos sabendo o que acontece se o oficial não cumprir as suas funções (aqui a criança é introduzida à noção de punição).

A segunda parte da letra já conta uma pequena historinha: o quartel pegou fogo e precisamos salva-lo. Nesse trecho a criança aprende a proteger o que é nosso e a zelar pelo bem comum.

Se essa rua fosse minha

Se essa rua
Se essa rua fosse minha
Eu mandava
Eu mandava ladrilhar
Com pedrinhas
Com pedrinhas de brilhante
Só pra ver
Só pra ver meu bem passar

A cantiga popular de roda Se essa rua fosse minha ensina a criança, em primeiro lugar, a diferenciar o espaço público do espaço privado. Os versos também falam sobre amor e sobre o desejo que temos de transformar o mundo num lugar melhor para aqueles que nós amamos.

Ao ouvirem a letra, os pequenos percebem que, assim como o autor da canção, não podemos fazer tudo aquilo que queremos, mas podemos almejar uma realidade diferente. Aqui, o carinho é demonstrado pelo eu-lírico com o impulso de transformar a rua do bairro num lugar mais bonito para a amada passar.

O sapo não lava o pé

O sapo não lava o pé
não lava porque não quer
ele mora lá na lagoa
não lava o pé porque não quer
mas que chulé!

A letra de O sapo não lava o pé ensina para as crianças condições básicas de higiene e autocuidado.

O sapo, na cantiga, ganha características humanas e os pequenos facilmente se identificam com ele partilhando o desejo de deixarem os hábitos de limpeza de lado.

No último verso vemos a consequência da decisão tomada pelo sapo - e as crianças percebem o que acontecerá caso resolvam seguir a mesma escolha.

O cravo brigou com a rosa

O cravo brigou com a rosa,
Debaixo de uma sacada,
O cravo saiu ferido,
E a rosa despedaçada.
O cravo ficou doente,
A rosa foi visitar,
O cravo teve um desmaio,
E a rosa pôs-se a chorar.

A canção O cravo brigou com a rosa atravessa gerações e fala sobre as idas e vindas de um casal de namorados.

Ao ouvir a letra, a criança aprende de modo leve que as relações amorosas têm idas e vindas, momentos bons e momentos ruins. Triste, a canção mostra uma situação menos boa, mas também revela que, a partir desse cenário triste, os dois se reconciliaram.

Boi da cara preta

Boi, boi, boi
Boi da cara preta
Pega esta criança que tem medo de careta

Não, não, não
Não pega ele não
Ele é bonitinho, ele chora coitadinho.

A canção de ninar Boi da cara preta ensina a criança pequena a ser corajosa e a não ter medo quando se defronta com algo inesperado e aparentemente assustador.

Ao mesmo tempo que parece ameaçar de alguma forma a criança, a canção do Boi da cara preta demonstra que há compaixão - quem canta sente pena das lágrimas do pequeno. A criança tem, portanto, o seu receio legitimado.

Ciranda cirandinha

Ciranda cirandinha
vamos todos cirandar!
Vamos dar a meia volta
Volta e meia vamos dar

Uma das músicas mais famosas entre as crianças há gerações é Ciranda cirandinha. Com uma letra genuinamente simples, a importância da canção não está propriamente no ensinamento presente nos versos, mas sim nas interações sociais que a música promove.

Ciranda cirandinha é habitualmente uma música cantada em conjunto, durante uma brincadeira de roda, que proporciona entre as crianças uma interação lúdica onde partilham o espaço e comungam uns com os outros.

Esse tipo de canção coletiva ajuda no desenvolvimento físico da criança uma vez que melhora a expressão corporal, a fala e estimula a comunicação com as outras crianças e com o adulto que comanda a brincadeira.

A importância das músicas voltadas para as crianças

a música está entre as primeiras experiências sociais da criança. De facto, as crianças são sensíveis à música antes do nascimento. (Shetter)

Pouca gente sabe o real do valor das canções no universo do desenvolvimento infantil. Muitas são as vantagens de expor os pequenos ao mundo musical: entre os maiores contributos da música estão o fato de ampliar o vocabulário facilitando o processo de alfabetização e o desenvolvimento da habilidade de focar durante algum tempo em uma única atividade.

as crianças beneficiam também linguisticamente com a sua exposição a livros e gravuras porque as canções acrescentam dimensões extra à compreensão e constituem um incentivo para atividades de ensino/aprendizagem que levam a formas de pensar divergentes (Jalongo e Bromley, 1984)

Além de amplificar a capacidade de concentração, as canções ensinam de maneira leve e aprimoraram a dicção - a fala -, estimulando a pronúncia correta das palavras.

Em termos individuais, a música incentiva a criatividade, ajuda no processamento da memória e promove a autoconfiança e a autoestima.

No caso de músicas acompanhadas com gestos, a atividade estimula a coordenação motora e a expressão corporal.

A música e o processo de socialização

Em termos coletivos, as canções ajudam a integração com outras crianças e permitem que os pequenos entrem em contato com realidades e culturas diferentes. De acordo com o Referencial Curricular Brasileiro para a Educação Infantil de 1998:

É muito importante brincar, dançar e cantar com as crianças, levando em conta suas necessidades de contato corporal e vínculo afetivos.

A relação com os pais e cuidadores também é beneficiada: a música ajuda a melhorar a comunicação com os adultos e fortalece o vínculo de afeto com os que estão envolvidos com a criança na atividade.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).