Filme Amnésia (Memento)


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Amnésia, Memento no título original, é um filme norte-americano de drama e mistério que foi lançado em 2000. O longa-metragem que se tornou uma obra cult foi dirigido por Christopher Nolan e baseado no conto "Memento Mori" do irmão, Jonathan Nolan.

A narrativa depende das lembranças difusas de um protagonista que sofre de um tipo de amnésia que não lhe permite guardar memórias recentes. Cartaz do filme Amnésia.

Sinopse e trailer do filme

Amnésia é um filme repleto de tensão e perguntas que ficam no ar. O protagonista, Lenny, perdeu a esposa durante um crime violento e sofreu uma lesão, ficando impossibilitado de criar novas memórias.

Apesar de esquecer de tudo o tempo todo, o homem tem uma missão: achar o assassino e vingar a morte da mulher. Assim, ele embarca numa investigação difícil, deixando indicações para si mesmo, em forma de polaroids, bilhetes e até tatuagens no corpo.

A sede de vingança supera as suas limitações, no entanto, nem tudo é o que parece, principalmente para quem não pode contar com as próprias lembranças.

Atenção: a partir deste ponto, você vai encontrar spoilers!

Análise do filme Amnésia (Memento)

Um filme que começa pelo final

A primeira cena de Amnésia é também a última: o protagonista mata um homem, que depois descobrimos ser Teddy, e tira uma fotografia do seu corpo caído. A passagem é mostrada em reverse motion, uma técnica cinematográfica que apresenta as ações na ordem invertida.

Vemos a polaroid sendo revelada, Lenny tirando a foto, depois matando Teddy com um tiro e finalmente a conversa que antecedeu o assassinato. A cena nos prepara para o que iremos assistir no longa-metragem e também anuncia uma narrativa onde o tempo é confuso, fragmentado e por vezes até caótico.

A história vai sendo contada do fim para o início e percebemos que o protagonista matou Teddy porque ele tinha sido responsável pelo crime que destruiu a sua vida. Quando a sua casa foi invadida durante a noite, a esposa foi violentada e assassinada e ele sofreu uma lesão que levou a sua capacidade de criar novas memórias.

Frame: morte de Teddy

A conversa entre os dois mostra um protagonista furioso e confuso que acusa o outro de ter assassinado a sua mulher. Teddy alega que ele está errado e não sabe o que está fazendo, por causa da sua condição de saúde.

Mesmo assim, Leonard decide avançar com a vingança e mata o rival, confiando no recado que tinha deixado para si mesmo, no reverso de uma foto de Teddy: "Não acredite nas mentiras dele. Foi ele, mate-o".

A partir deste momento, a narrativa vai dar conta do caminho que o levou até ali, o processo de investigação que o levou a concluir que aquele era o homem que procurava. A amnésia de Leonard instaura a dúvida no espectador: será que ele matou a pessoa certa?

Duas narrativas que se encontram

Para entender aquilo que realmente aconteceu, precisamos unir todas as peças de um puzzle composto por cenas que se misturam no tempo. A história é contada de uma forma não-linear, com vazios e saltos no tempo nos aproximam do estado de confusão mental do próprio protagonista.

No entanto, é possível percebermos uma lógica na forma como os factos vão sendo apresentados. As cenas a preto e branco surgem na ordem cronológica, ou seja, os eventos são mostrados na sequência em que aconteceram. Já as cenas a cores começam com a morte de Teddy e contam a narrativa do fim para o começo.

Frame: Leonard falando no telefone

Aquilo que vemos a preto e branco, como se representasse o passado, é um período de reclusão de Leonard num quarto de hotel. Sozinho, ele parece preso num ciclo vicioso de estudar as provas e anotar aquilo que não pode mesmo esquecer, através de bilhetes espalhados e até de tatuagens que faz no seu corpo.

Durante esse período, ele fala no telefone com um interlocutor misterioso, e chega a duvidar dele, tatuando "Não atenda no telefone" no braço, como alerta para si mesmo. Durante essas longas conversas, ele conta a história de Sammy Jankis, cujo nome está gravado na sua mão.

Frame: tatuagem Sammy Jenkins

Antes do crime, o protagonista trabalhava como investigador de uma companhia de seguros. Foi ai que conheceu Sammy, um homem que sofreu um acidente e perdeu a capacidade de reter novas memórias. Na época, o seu veredito foi de que o caso era falso. Para testar o marido, a esposa de Jankis pediu que ele lhe administrasse grandes doses de insulina e morreu na sequência.

O caso tão semelhante ao seu e a culpa que a sua decisão gerou acompanham o protagonista ao longo do todo o filme. As duas sequências temporais do longa-metragem (a cores e a preto e branco) se encontram no momento em que Leonard descobre quem está do outro lado do telefone. É aí que inicia a sua perseguição, influenciado pelas personagens que vai conhecendo.

Esquecimento, rotina e repetição

Ao contrário de Sammy, que não conseguia reagir e se encontrava num estado de total apatia e indiferença, Lenny procura formas de superar a doença e seguir com a sua vida, dentro do possível. Assim, ele vai criando os seus sistemas para comunicar consigo mesmo e auxíliar a sua memória permanentemente deteriorada.

Frame: Leonard tirando fotografias.

Ele carrega consigo uma máquina polairod e registra com fotografias tudo e todos que considera relevantes para o caso. Atrás das fotos, escreve legendas que ajudam a guiar os seus passos futuros.

A sua sede de vingança ajuda Leonard a criar uma rotina, repetindo as mesmas ações diariamente, enquanto revê as provas do homícidio da mulher. Todos s dias ele precisa ficar a par desses indícios e decidir cada movimento que vai fazer depois. É através dessa repetição que ele consegue ter algum tipo de controle sobre os seus dias.

Frame: tatuagens de Lenny

Usando o próprio corpo como "campo de batalha" da investigação, Lenny está disposto a tatuar as pistas mais importantes, para ter a certeza de que nunca se esquecerá delas.

Estes comportamentos condicionam totalmente a sua vida, mas também são aquilo que lhe traz um propósito: ele é um homem com uma missão a cumprir.

Manipulação e vingança de Natalie

É quando Natalie surge na narrativa que começamos a desconfiar cada vez mais que Teddy pode não ser o verdadeiro culpado. Leonard não lembra quem ela é mas guarda a sua foto no bolso, com uma legenda que diz: "Ela também perdeu alguém, vai te ajudar por pena".

A figura misteriosa trabalha num bar e revela que os dois já se envolveram. Percebemos que o seu namorado, Jimmy, era um bandido da região que morreu em circunstâncias estranhas quando saiu de casa para fazer um "negócio". O homem foi assassinado e o seu dinheiro foi roubado, fazendo com que os "parceiros" desconfiem de Natalie e passem a persegui-la.

Frame: Natalie e Leonard.

Apesar da suposta simpatia e da ajuda que oferece, é notório que ela odeia o protagonista, humilhando-o diversas vezes por saber que ele não vai lembrar depois. Por várias vezes, Natalie engana e manipula Lenny, levando-o a "se livrar" de Dodd, o bandido que andava atrás dela.

Mais tarde, percebemos que foi ela que encontrou as provas que incriminavam Teddy, uma cópia dos seus documentos na qual o nome e a placa do carro correspondiam às do assassino. No entanto, quando percebemos que Jimmy ia fazer negócio com ele no dia em que morreu, tudo muda novamente.

Assim, começa a ficar mais evidente uma possibilidade: Natalie usou Lenny para se vingar do homem que matou o seu namorado. Mesmo assim, somos levados a questionar se ele também matou a esposa de Leonard.

Frame: recado na foto de Ted.

Teddy surge em diversos momentos, dizendo ser amigo do protagonista e estar tendo ajudá-lo. Seria mesmo? A verdade é que, mesmo antes da intervenção de Natalie, Lenny já tinha escrito atrás da fotografia do suposto amigo: "Não acredite nas mentiras dele".

As mentiras de Teddy

O verdadeiro caráter de Teddy é revelado quando descobrimos que era ele que ligava para Leonard e escutava os seus desabafos infindáveis. Na última ligação, ele revela que é um investigador da polícia e encontro o criminoso que o outro procura.

Depois de um breve encontro, no qual se apresenta como Teddy, diz que o assassino é Jimmy, um bandido da região, e indica o local ermo onde ele estará. No galpão abandonado, ele mata o suposto culpado e tira uma foto do seu corpo.

Frame: Ted no carro.

Teddy aparece logo depois, mostrando o seu distintivo e cobrando satisfações, enquanto se prepara para roubar o dinheiro da vítima.

É aí que Leonard percebe que foi alvo de uma armação do suposto amigo, que estava usando a sua doença para levá-lo a cometer crimes e arrecadar o dinheiro.

A confissão de Teddy

Durante esse confronto, Teddy revela a verdade: ele foi o policial responsável pela investigação do crime e tentou ajudar Lenny, depois da justiça ter falhado. Mais: Sammy Jenkins era mesmo um golpista e também era solteiro. A história que o protagonista relembra tantas vezes é, na verdade, a sua.

A mulher de Lenny sobreviveu à noite do crime e não conseguia lidar com o estado do marido. Como era diabética resolveu fazer um teste derradeiro e pedir que ele lhe desse várias injeções de insulina seguidas. Como ele não lembrava e obedeceu, ela acabou morrendo.

No entanto, existe mais uma relevação: Leonard já matou o verdadeiro criminoso há muito tempo. Teddy mostra uma polaroid dele sujo de sangue e sorrindo, depois de cumprir a sua missão.

Frame: polaroid de Lenny sorrindo

Ele explica que mesmo assim Lenny não ficou satisfeito, já que não conseguia lembrar desse momento depois. Teddy acredita que ele está criando um mistério para si mesmo, já que deu sumiço a várias páginas dos documentos policiais.

Assim, o agente corrupto tenta se desculpar, falando que alimentava esse jogo para vê-lo feliz e aproveitava para lucrar com isso. Furioso, Lenny pega as roupas, o carro e o saco de dinheiro de Jimmy, o homem que acabou de matar.

Cenas finais: Leonard toma uma decisão

As cenas finais do filme apresentam a chave que desvenda este mistério, pelo menos parcialmente. Depois da conversa com Teddy, Leonard entra no carro e fica refletindo sobre tudo o que escutou e tem apenas alguns minutos para decidir o rumo que vai tomar.

Nesse breve intervalo de consciência, ele questiona se deve ou não deixar um recado para si mesmo contando a verdade. Em vez de interromper o ciclo vicioso em que vivia, ele opta por sacrificar Teddy, para que a história morra com ele. Assim, é Lenny monta uma armadilha e consegue enganar a si mesmo.

Frame: placa do carro de Ted.

Depois de queimar a foto de Jimmy morto, para não deixar rastro, escreve na foto de Teddy que ele não é de confiança. Observando ao longe, anota a placa do carro dele e decide tatuá-la como se fosse a do assassino.

O outro vai atrás dele ao estúdio de tatuagens e tenta interrompê-lo mas é tarde demais. Assim, a última cena nos prova que afinal não foi Natalie que armou contra Teddy, foi o próprio protagonista.

Amnésia: explicação e teorias sobre o filme

Afinal o que aconteceu mesmo? Amnésia é um filme marcante exatamente porque não responde com clareza a todas as nossas perguntas. No entanto, é possível juntarmos as peças e chegarmos a algumas conclusões.

Na prática, foi Lenny que matou a mulher com as injeções de insulina, embora o pedido tenha partido dela. É como se ele escolhesse aquilo que quer recordar e aquilo que prefere esquecer, não registrando o episódio nas suas notas, para que desapareça.

No entanto, a sua mente parece esconder essas recordações num outro lugar e a história passa a ser atribuída a Sammy Jenkins, um homem que alegava ter um caso semelhante, muito tempo antes.

Frame: tatuagem com placa do carro.

Leonard também forjou provas para incriminar Teddy, a única pessoa que poderia interromper a sua eterna investigação porque sabia de tudo. Quando escreve a placa do carro num papel, ele reflete sobre isso mesmo, desabafando em voz alta:

Minto a mim mesmo para ser feliz? No seu caso, Teddy, sim.

Esta parece ser a explicação dos seus atos: procurar o assassino é o único propósito da sua vida. No breve momento em que tem consciência de que ele já está morto, percebe que ficará para sempre num vazio.

Assim, ele compreende que precisa daquela missão impossível para suportar e atribuir algum significado a tudo o que viveu e está vivendo. A única solução parece ser continuar mentindo para si mesmo:

Preciso acreditar num mundo que existe fora da minha mente. Preciso acreditar que as minhas ações ainda têm significado se eu não lembrar delas.

Tudo isto faz sentido, certo? Contudo, Amnésia também parece ter um final em aberto. Precisamos lembrar que Teddy era um homem corrupto e manipulador que pode ter inventado toda aquela história para tentar evitar a morte.

De facto, será que podemos acreditar que alguma daquelas coisas realmente aconteceu? A narrativa do longa-metragem está dependente de um protagonista com danos cerebrais irreversíveis, que perdeu a noção da realidade.

Algumas teorias de fãs acreditam que tudo não passou de uma alucinação de Lenny. Outros acreditam que Teddy é fruto da sua imaginação, uma espécie de segunda personalidade, ao estilo de Clube da Luta (1999).

Uma coisa é certa: Amnésia é um filme inesquecível porque consegue manter-nos na dúvida, tantos anos depois do seu lançamento.

Ficha técnica do filme

Título

Memento (Original)
Amnésia (no Brasil)

Ano da produção 2000
Direção

Christopher Nolan

Lançamento Setembro de 2000 (Estados Unidos da América)
Agosto de 2001 (Brasil)
Duração 113 minutos
Classificação Não recomendado para menores de 16 anos
Gênero Drama, suspense, mistério
País de origem Estados Unidos da América

Conheça também

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.