Expressionismo: principais obras e artistas


Revisão científica por Laura Aidar
Escrito por Rebeca Fuks

O Expressionismo foi uma vanguarda artística europeia que revolucionou a Europa no início do século XX.

Surge como um contraponto ao movimento impressionista e uma de suas principais características é a valorização das emoções e paixões humanas, assim como de seus dramas, exibindo uma visão pessimista e sombria da existência.

A vertente teve grande destaque na Alemanha, contando com a participação de nomes ilustres como os de Ernst Kirchner, Karl Schimidt- Rottluff, Franz Marc, Erich Heckel e até mesmo Wassily Kandinsky.

Van Gogh e Edvard Munch também estão associados ao movimento por ser os precursores desse tipo de abordagem.

Principais obras e artistas expressionistas

1. O grito (1893), Edvard Munch

A mais famosa obra de arte com características expressionistas é O grito, do pintor norueguês Edvard Munch.

Munch é considerado o grande precursor do movimento e seu trabalho serviu de inspiração para a criação do grupo expressionista Die Brücke (A Ponte), em meados de 1905.

O grito
O grito (1893), de Edvard Munch

Na tela vemos um protagonista em desespero, em cima de uma ponte, lutando com os sentimentos de solidão, ansiedade e medo, tão explorados pelos expressionistas, que buscavam revelar um lado sombrio e inquietante da existência humana.

A composição exibe cores intensas, onde o próprio ambiente - especialmente o céu alaranjado - deixa transparecer a angústia vivida pelo personagem principal, além de sua feição que nos remete à própria morte.

Tanto as formas da figura como da paisagem se encontram distorcidas, embora sejam facilmente identificáveis.

Esse aspecto caricatural e não-idealizado foi talvez uma das particularidades do expressionismo que mais causaram espanto e rejeição no público, acostumado com obras que valorizavam a “beleza” e harmonia das formas.

O quadro em questão tem dimensões de 91 x 73,5 cm e localiza-se na Noruega, na Galeria Nacional de Oslo.

Leia uma análise completa do quadro O grito, Edvard Munch.

2. The First Animals (1913), de Franz Marc

Franz Marc (1880-1916) é um dos nomes de destaque no expressionismo europeu. Juntamente com Wassily Kandisnky, formou em 1911 o Der Blaue Reiter (O cavaleiro azul), grupo que explorava as caraterísticas do movimento.

The First Animals
The First Animals (1913), de Franz Marc

O artista pintou uma série de animais ao longo da vida e, especialmente a partir de 1907, começou a insistir ainda mais na representação de animais em plena natureza. Sobre a fixação no tema, em declaração o pintor chegou a afirmar:

"Pessoas com falta de piedade, especialmente homens, nunca tocaram meus verdadeiros sentimentos (...) Mas os animais com seu sentido de vida virginal despertaram tudo o que era bom em mim."

Na tela vemos diversas características do expressionismo: a pintura em tons vibrantes, a realidade deformada (repare na diferença entre as dimensões dos animais) e o desejo de captar a essência das criaturas que retratava, assim como um caráter emocional. Há também alguns elementos que remetem ao estilo cubista, como a geometrização das formas.

O quadro encontra-se atualmente em uma coleção privada e mede 39.05 x 46.67 cm.

3. O cavaleiro azul (1903), Wassily Kandinsky

O artista russo Wassily Kandinsky (1866 - 1944) normalmente é associado ao movimento abstracionista, entretanto, teve participação também no expressionismo.

A tela O cavaleiro azul foi produzida quando o artista estava no começo de sua carreira. É uma obra importante, pois nela já é possível identificar elementos que fariam parte de sua produção posterior, como a valorização das cores vivas e uma tendência à abstração. Além disso, a tela apresenta uma atmosfera misteriosa e dinâmica.

tela O cavaleiro azul, de Kandinsky
O cavaleiro azul (1903), Wassily Kandinsky

O grupo expressionista formado por ele e outros artistas em 1911 foi intitulado como o mesmo nome da obra.

A composição registra um cavalheiro em ação a partir de uma imagem propositalmente esfumada. Aqui a cena está ligada à ação e ao gesto pleno de energia, que é reforçado também a partir das pinceladas curtas.

O gramado é pintado em um verde forte, enquanto ao fundo pouco se pode observar da paisagem. Alguns teóricos afirmam que nos braços do cavaleiro há uma criança.

4. Cinco mulheres na Rua (1913) - Ernst Kirchner

Kirchner foi um artista expressionista alemão que teve uma contribuição importante para a vertente. Integrou em 1905 o grupo Die Brücke, responsável pela origem formal do movimento artístico e produziu uma obra cheia de contrastes, certa agressividade e emoção.

quadro Cinco mulheres na rua, de Kirchner
Cinco mulheres na Rua (1913) - Ernst Kirchner

Em Cinco Mulheres na Rua, o pintor consegue retratar uma cena cotidiana e banal de forma a transmitir inquietude e tensão. O grupo de mulheres apresenta corpos alongados, com vestimentas nobres e sombrias. As expressões são sérias, o que confere uma atmosfera maliciosa e esnobe.

Nessa pintura podemos encontrar como características expressionistas o tom sarcástico e destaque ao pessimismo, evidenciado pelas quebras nas proporções e deformidades das figuras.

A tela está localizada no Museu Ludwig, na Alemanha, e mede 1,20 m X 90 cm.

5. Retirantes (1944), de Portinari

Em solo brasileiro, alguns artistas - sobretudo da cena modernista - se inspiraram no expressionismo para criar obras que, num primeiro momento causaram estranhamento por conta das distorções e aberrações de cores, como é o caso de Lasar Segall e principalmente de Anita Mafatti.

quadro Retirantes, de Portinari
Retirantes (1944), de Portinari

Outro artista que se referenciou bastante no movimento foi Cândido Portinari. Muitas de suas telas possuem a atmosfera expressionista, com exagero na representação humana a fim de destacar aspectos aflitivos e tristes.

Na obra Retirantes, por exemplo, temos o retrato uma família de emigrantes vítima da fome e do desespero. Pintado em cores escuras, o quadro se destaca pelo seu tom sinistro e desesperador, com rostos que clamam por ajuda, bem ao estilo expressionista.

A tela tem dimensões de 180 x 190 cm e integra o acervo do MASP (Museu de Arte de São Paulo).

Características do expressionismo

Teve destaque no movimento o uso de cores intensas e contrastantes. Mas a grande característica do expressionismo foi a abordagem de uma realidade alterada, exibindo deformidades das figuras como forma de mostrar pessimismo e amargura.

Os trabalhos valorizavam a subjetividade e o aspecto psicológico dos personagens. Os expressionistas investiam em uma visão emocional marcada por um existencialismo trágico e dramático.

Alguns artistas do período além de se debruçarem no drama individual também pretendiam fazer denuncias sociais demonstrando através da arte alguns aspectos mais obscuros do ser humano.

O que foi o Expressionismo?

O movimento Expressionista se consolidou na Alemanha entre 1905 e 1914 e cresceu no período entre guerras.

Podemos dizer que essa foi a primeira vanguarda europeia, originada em um contexto de grandes transformações, como o desenvolvimento tecnológico, bem como guerras e outros conflitos da sociedade moderna.

Para muitos teóricos, Van Gogh é considerado o precursor do expressionismo, bem como Edvard Munch.

Nomes importantes foram: Karl Schimidt- Rottluff, Franz Marc, Erich Heckel, Ernst Kirchner, Franz Marc e Paul Klee.

Conheça também

Atualizado em
Laura Aidar
Revisão científica por Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.
Rebeca Fuks
Escrito por Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).