Pontilhismo: o que é, obras e principais artistas


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

O Pontilhismo, conhecido também como Divisionismo ou Cromoluminismo, foi um movimento que fez parte do período do Pós-impressionista (ou Neo-Impressionista).

Os pintores que adotaram o Pontilhismo fizeram uso de uma técnica onde inscreviam na tela pequenos pontos regulres feitos com cores primárias a fim que o espectador sentisse a mistura de cores na sua retina.

Os principais nomes do Pontilhismo são Georges Seurat (1859-1891) e Paul Signac (1863-1935). Vincent van Gogh (1853-1890) também pintou alguns quadros com a técnica pontilhista.

Torre Eiffel (Seurat)
Torre Eiffel (1889), pintada por Georges Seurat

O que é Pontilhismo

Tudo começou quando Georges Seurat (1859-1891), um expoente do Impressionismo, começou nos seus quadros a fazer experimentos usando pequenas e regulares pinceladas (pontinhos multicolores), a partir de um padrão regular.

A expectativa era que o olho humano - em última instância o cérebro - misturasse as cores primárias. Isto é, a ideia de Seurat era criar uma pintura onde não misturasse as tintas na palheta, mas usar cores primarias na tela, em pequenos pontinhos, e esperar que o olho humano alcançasse as cores que propunha.

Um banho em Asnières
Um banho em Asnières (1884), de Seurat

Vemos no Pontilhismo muitas pinturas exteriores com especial destaque para o efeito da luz solar presente nos quadros.

O Pontilhismo fazia uso de uma técnica extrema, meticulosa, sistemática e científica.

Quando e onde

O Pontilhismo (em francês Pointillisme) surgiu na França, entre o século XIX e XX - para ser mais precisa nas décadas finais do século XIX - e contou com alguns poucos adeptos.

O termo pintura de pontos (em francês peinture au point) foi cunhado por Félix Fénéon (1861-1944), um crítico de arte francês que comentou uma série de obras de Seurat e seus contemporâneos. Félix foi um dos maiores responsáveis por divulgar essa geração de artistas.

Jovens provençais no poço (1892), Paul Signac
Jovens provençais no poço (1892), de Paul Signac

Técnica do Pontilhismo

A partir do Impressionismo, os artistas passaram a sair do estúdio e indo pintar a natureza - sobretudo o efeito da luz - a partir de pinceladas livres, ligeiras.

O Pós-Impressionismo seguiu uma parte do estilo que já havia sido instaurado, embora fazendo uso de uma ténica distinta. Os pintores pontilhistas, por exemplo, permaneceram pintando paisagens exteriores, embora deixando de lado as pinceladas leves e privilegiando o uso da técnica.

Preocupados com a elaboração do quadro, os artistas pontilhistas justapunham as cores primárias ao invés de as mesclarem na palheta para depois as aplicarem na tela.

The Bonaventure Pine (1893), de Paul Signac
The Bonaventure Pine (1893), de Paul Signac

Os pintores pontilhistas foram muito influenciados pelo cientista Michel Chevreul (1786-1889) que publicou um livro em 1839 chamado Da lei do contraste simultâneo das cores (no original Loi du contraste simultané des couleurs).

Os precursores do Pontilhismo foram Jean-Antoine Watteau (1684-1721) e Eugène Delacroix (1798-1863).

Principais artistas e obras do Pontilhismo

Paul Signac (1863-1935)

Nascido em 11 de novembro de 1863, o francês Paul Signac foi um dos pintores vanguardistas que desenvolveram a técnica do pontilhismo.

O criador começou a carreira como arquiteto, mas logo depois abandonou a prancheta para te dedicar exclusivamente as artes visuais.

Em 1884 fundou, ao lado de alguns colegas, o Salon des Indépendants, onde conheceu o também pintor Seurat. Doi ao lado de Seurat que criou o pontilhismo.

O Porto de Saint-Tropez
O Porto de Saint-Tropez (1899)

As criações de Signac retratavam especialmente as paisagens da costa europeia, com a representação de barcos, cais, banhistas, enfatizados pelos raios solares.

Uma curiosidade: além de pintar, Signac também escreveu textos teóricos como, por exemplo, o livro De Delacroix ao Neoimpressionismo (1899), onde disserta especificamente sobre o pontilhismo.

Georges Seurat (1859-1891)

O pintor francês nascido no dia 2 de dezembro de 1859 é considerado o fundador do Neo-Impressionismo. Já durante a escola Georges desenhava e, devido ao seu interesse pelas artes, em 1875 começou a fazer um curso com o escultor Justin Lequien.

Três anos mais tarde ingressou na École des Beaux-Arts onde pintou sobretudo retratos e modelos nus. Durante o curso desenvolveu especial interesse por questões científicas na arte tendo sido muito influenciado por David Sutter (que combinou música e matemática).

O Circo (1890 - 1891), de Georges Seurat
O Circo (1890 - 1891), de Georges Seurat

Ao longo da sua breve carreira se dedicou a pintar especialmente paisagens - e paisagens quentes (com especial atenção para a presença dos efeitos do sol sobre o desenho). Georges Seurat foi discípulo de Paul Signac.

A obra mais famosa de Georges Seurat é Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte, pintada entre 1884 e 1886. A imagem exterior retrata um final de semana na ilha francesa situada no Rio Sena e encontra-se na Art Institute of Chicago. Observe especialmente o efeito de luz e sombra empregado na tela.

Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte
Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte, de Georges Seurat

A tela ilustra uma série de personagens bastante distintos: desde soldados até senhoras bem vestidas com sombrinhas e um cão.

Vincent van Gogh (1853-1890)

Um dos mais famosos pintores holandeses, Vincent van Gogh nasceu no dia 30 de março de 1853 e foi dos maiores nomes do pós-impressionismo.

Com uma história de vida complicada, Van Gogh teve uma série de crises psiquiátricas chegando mesmo a ser internado.

Retrato de Père Tanguy (1887), de Van Gogh
Retrato de Père Tanguy (1887), de Van Gogh

No campo profissional, Van Gogh foi extremamente frustrado, tendo conseguido vender apenas um quadro em vida. Quem ajudava o pintor a se manter era o seu irmão mais novo, Theo.

O trabalho do pintor holandês passou por inúmeras fases. Van Gogh conheceu o pintor Seurat em Paris e, vemos em algumas de suas obras, o emprego da técnica pontilhista instaurada pelo pintor francês. É o caso do autorretrato pintado em 1887:

autorretrato Van Gogh
Autorretrato pintado com a técnica pontilhista em 1887 por Van Gogh

Se gosta do artista aproveite também para ler o artigo As obras fundamentais de Van Gogh e a sua biografia.

Conheça também

Atualizado em
Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).