Arte abstrata: principais obras e artistas no Brasil e no Mundo


A definição de arte abstrata pode ser bastante simples: arte abstrata é aquela que foge a representação de qualquer realidade exterior. Em outras palavras, a pintura abstrata não se debruça sobre um objeto ou sobre um cenário, não pretende imitar a natureza, não tem qualquer intenção de representar o mundo externo. 

Arte abstrata no mundo

A arte abstrata, completamente emancipada de qualquer obrigatoriedade representacional, ficou também conhecida como arte não representacional (ou arte não figurativa). 

Esse tipo de pintura nasceu no princípio do século XX como uma oposição à arte figurativa. Quando surgiu, a arte abstrata criou bastante polêmica e foi rejeitada veementemente pelo público, especialmente pela elite. 

Por ser muito mais aberta, a pintura abstrata permite que o espectador multiplique interpretações possíveis. O público foca no uso das cores, das formas geométricas, na disposição gráfica presente na tela, nas texturas apresentadas, no arranjo, na composição. 

Há uma liberdade temática completa, uma vez que a pintura não está relacionada à nenhuma referência do mundo natural. A arte acompanhou as transformações da sociedade: surgiam novas ideologias políticas e religiosas, cientistas descobriam novidades nos campos da biologia, da física e da matemática. Seguindo o fluxo de descobertas, os artistas procuraram desenvolver uma linguagem completamente inovadora. 

"Se a expressão pictórica mudou, é porque a vida moderna fez com que fosse necessário."

Fernand Léger

Costuma-se dividir a arte abstrata em dois grupos: abstracionismo expressivo (também conhecido como lírico ou informal) e abstracionismo geométrico. O primeiro grupo se inspirou no expressionismo e no fauvismo e teve como maior representante Kandinsky, enquanto o segundo grupo teve como principal influência o rigor matemático e teve como precursor Malevich. 

Apesar dessa tentativa de categorização, vale a pena sublinhar que a arte abstrata não se tratou de um grupo homogêneo de artistas produzindo peças semelhantes. Como iremos verificar em breve, cada artista escolheu determinado percurso e seguiu uma linha peculiar. 

"O artista não precisa falsificar a natureza para criar a sua imagem pictórica; a evocação do assunto e o tratamento inventivo da forma tomaram o lugar da imitação direta."

Moszynska

Que tal conhecer agora alguns dos precursores do movimento?

Kandinsky

O pintor russo Wassili Kandinsky (1866-1944) é considerado o pioneiro da arte abstrata. A sua Primeira aquarela abstrata data de 1910 e representou um divisor de águas na pintura.

Kandinsky, que vivia em Munique, foi o primeiro pintor ocidental a conseguir se desvencilhar da obrigatoriedade da pintura representacional. As suas telas eram famosas pelas formas geométricas, pela composição farta e pelo uso das cores. O pintor dizia que aspirava a liberdade presente na música.

Kandinsky chegou a ser professor da Bauhaus, escola alemã de design, arquitetura e arte chamada.

kandinsky
Tela Composição 8, 1923.
amarelo vermelho azul
Tela Amarelo-Vermelho-Azul, 1925.
composicao 4
Tela Composição 4, 1911.

Malevich

Outro grande nome do abstracionismo é o também russo Kasimir Malevich (1878-1935). As obras do pintor não possuíam relação imediata entre formas e cores, nem procuravam imitar qualquer realidade exterior.  

Malevich é um dos mais representativos artistas do Abstracionismo geométrico.

“Na minha luta desesperada para libertar a arte do lastro deste mundo de objetos, refugiei-me na forma do quadrado”.
Kazimir Malevich

suprematist-composition
Tela Suprematist Composition, 1916.
Dynamic Suprematism
Tela Dynamic Suprematism, 1916.

Mondrian

O holandês Piet Mondrian (1872-1974) também foi um dos grandes nomes do movimento abstrato. Suas telas foram pintadas a partir de cores puras e vivas e linhas retas.

O desejo do pintor era obter o máximo de clareza possível e, para isso, procurava que as telas refletissem as leis matemáticas do universo. Não por acaso os padrões da pintura eram sempre regulares, precisos e estáveis.

Mondrian
Tela Composição II em vermelho, azul e amarelo, 1930.
Composição em vermelho, amarelo, azul e preto
Tela Composição em vermelho, amarelo, azul e preto, 1921.

Arte abstrata no Brasil

Desde a década de 1940, a arte abstrata começou a entrar em território brasileiro. Os pioneiros foram Abraham Palatnik (1928), Manabu Mabe (1924-1997) e Luiz Sacilotto (1924-2003). 

w-282
Tela W-282, de Abraham Palatnik, 2009.
grito
Tela Grito, 1958, de Manabu Mabe.
sem titulo, 1950
Tela Sem título, de Luiz Sacilotto, 1950.

O momento chave, no entanto, ocorreu somente em outubro de 1951, com a I Bienal de São Paulo. Foi lá que despontaram nomes como Lygia Clark, Helio Oiticica e Alfredo Volpi. 

poster

Lygia Clark 

Lygia Clark (1920-1988) não foi apenas pintora, também atuou como escultora, desenhista, professora de belas artes e psicoterapeuta. A artista fez parte do neoconcretismo brasileiro. A sua série tridimensional Bichos fez imenso sucesso de público e crítica.

As esculturas eram feitas com material de revestimento de avião e permitiam múltiplas combinações de acordo com o desejo do espectador.

Lygia Clark

Helio Oiticica

Helio Oiticica (1937-1980) pertenceu, assim como Lygia Clark, ao neoconcretismo. Sua produção - composta de telas e instalações - teve influência anarquista. O artista ficou muito conhecido pelas instalações com cores primárias, uma delas pode ser encontrada no Museu de Inhotim.

Oiticica

Alfredo Volpi

É impossível falar em arte abstrata brasileira e não mencionar o pintor Alfredo Volpi (1896-1988), um dos expoentes do movimento modernista brasileiro. As representações das bandeirinhas - inspiradas nas festas juninas - são das suas imagens mais famosas.

Volpi

Conheça também