O Gato de Botas: resumo e interpretação do conto infantil


Laura Aidar
Escrito por Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual
Publicado em

O Gato de Botas, do escritor e poeta francês Charles Perrault, é um conto que traz como personagem um esperto gato que ajuda seu dono a ter sucesso na vida.

Publicado no século XVII, mais precisamente em 1697, o conto faz parte do livro Les contes de ma mère l'Oye (com tradução de Contos dos tempos idos).

A história do Gato de Botas

Certa vez, em terras muito distantes, havia um senhor idoso que, no leito de morte, chamou seus três filhos para conversar.

O velho era moleiro e não tinha muitos bens. Deixou para o mais velho um moinho, para o filho do meio um burro e, ao caçula, restou um gato.

O que ficou com o gato lamentou-se, dizendo:

— Mas que animal inútil! Como sou azarado! O que vou fazer com esse gato?

O felino, ouvindo as queixas do dono, lhe disse:

— Ó meu senhor, não reclame. Me compre um par de botas e uma bolsa que eu lhe recompensarei.

E assim foi feito.

O gato então saiu com suas botas e sua bolsa em direção à floresta.

Lá chegando, conseguiu caçar alguns patos, que enfiou na bolsa e levou ao rei daquele povoado.

Quando encontrou a realeza, ofereceu os patos como presente de um ilustre nobre chamado Marquês de Carabás.

Na verdade, tal marquês não existia, mas o gato o inventou para poder aproximar seu novo dono do rei.

O nobre ficou muito satisfeito e o gato continuou levando presentes do suposto Marquês de Carabás, o que aguçou a curiosidade de toda a realeza.

Um dia, em uma das visitas ao castelo, o gato soube que o rei e sua filha fariam um passeio de carruagem pela região.

Assim, ele tem uma ideia e convence seu dono a pular sem roupas em um rio perto da estrada por onde os nobres iriam passar.

O plano é colocado em prática e, ao avistar a carruagem, o gato sai correndo para pedir ajuda ao rei. Ele diz que seu amo, o Marquês de Carabás, teve as roupas roubadas enquanto se refrescava no rio.

O rei então para a carruagem e ajuda o rapaz, lhe oferecendo roupas novas e uma carona. O gato explica o caminho até o castelo do marquês.

Feito isso, o animal sai em disparada até o castelo de um ogro que morava na região. Lá chegando, ele convence o povo do lugar a dizer que aquelas terras são do Marquês de Carabás.

O gato entra no castelo e vai conversar com o ogro, que era também um feiticeiro poderoso. Ele insinua que o ogro não era tão poderoso e o desafia a transformar-se em um leão.

O feiticeiro lhe mostra seus dons e logo se converte em um leão enorme.

O gato então diz:

— Mas eu duvido que você se transforme em um simples ratinho!

O ogro, que não gostava de ter seus poderes questionados, imediatamente se transforma em um pequeno roedor.

E assim, o felino rapidamente come o ratinho.

Passado algum tempo o rei e a princesa chegam com o jovem ao castelo e lá encontram o gato, já pronto para recebê-los.

Assim, todos ficam encantados com a riqueza do lugar. O filho do moleiro então toma o reino para si e pede a mão da princesa em casamento, que aceita o pedido.

E eles vivem felizes para sempre.

desenho de O gato de Botas
Ilustração de Gustave Doré (1832-1886) retratando o gato de botas

Interpretação do conto

Diferente da maioria dos contos de fadas, em O Gato de Botas, os personagens que aparecem são figuras masculinas: o moleiro e seus três filhos, além do gato.

Dessa forma, uma das possíveis interpretações para esse conto é de que ele exibe os aspectos psicológicos masculinos, ou como diria o psicanalista Carl Gustav Jung , o animus, lado masculino da psique de todos os seres humanos.

Assim, pode-se dizer que filho do moleiro estaria em busca de integrar aspectos femininos de seu ser (anima) através da simbologia do gato.

O gato tem um significado muito forte em várias culturas e costuma ser relacionado à mulher e ao mistério. Tanto que na cultura egípcia esse felino integra a Deusa Bastet, mulher com cabeça de gato.

Na história, o animal pode representar ainda a intuição do rapaz, que a princípio fica desconfiado, mas depois aceita e acredita na sua própria força misteriosa.

Assim, com esperteza e estratégia, consegue seguir com seu plano e ter sucesso.

O Gato de Botas como personagem de Shrek

O gato de botas é um personagem muito conhecido no imaginário infantil e, assim como outras figuras de contos de fadas, fez parte da trama do filme de animação Sherk.

Apresentado como um felino de botas, chapéu com plumas e uma espada, ele tem sotaque espanhol e é dublado pelo ator Antonio Banderas.

Em 2011 o personagem ganhou um filme solo, produzido pelo estúdio de animação Dreamworks.

Veja a cena em Shrek 2 que o ogro encontra pela primeira vez o gato.

Versão de O Gato de Botas no programa Contos de Fada

Nos anos 80 foi produzida uma série norte-americana, idealizada pela atriz Shelley Duvall, chamada Faerie Tale Theatre, que no Brasil ficou conhecida como Contos de Fada.

Foi transmitida pela TV Cultura e trazia versões de diversas histórias famosas, apresentadas com cenários e figurinos elaborados.

Você também pode gostar:

Laura Aidar
Escrito por Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.