8 histórias bíblicas infantis (com interpretação)


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Considerada a obra literária mais importante da humanidade, a Bíblia pode ser uma enorme fonte de conhecimento para pessoas em todas as fases da vida.

Se você está procurando historinhas para contar às crianças na hora de dormir, que tal escolher narrativas que transmitem lições antigas e repletas de sabedoria? Para auxiliar, selecionamos 8 histórias, adaptadas ao público infantil, que todos deveriam conhecer:

1. A criação do Mundo

Quadro Criação do Mundo, de Pieter Bruege.
Criação do Mundo por Pieter Bruege.

No início, apenas Deus existia, mas Ele se sentia sozinho. Foi então que resolveu criar todas as coisas. Primeiro, criou a luz, porque ela é fundamental para a vida, e a separou da escuridão.

Ele chamou a luz de "dia" e o escuro de "noite"; aí anoiteceu e amanheceu pela primeira vez. Em seguida, no segundo dia, criou o céu e uniu todas as águas para formar os mares.

No terceiro dia, a terra apareceu e, com entusiasmo, Deus fez surgir as sementes, as plantas e as flores. Logo depois foram despontando belas árvores e seus frutos coloridos.

No quarto dia, o sol e as nuvens começaram a enfeitar o céu; nessa mesma noite, a lua e as estrelas brilharam pela primeira vez. Na manhã seguinte, Deus encheu os mares e os rios de vida, com peixes variados e criaturas de muitos tipos.

Finalmente, a terra passou a ser habitada por todas as espécies. Como ainda não estava satisfeito, no sexto dia, Deus criou o ser humano, a partir de sua própria imagem. Maravilhado pela beleza da criação, no sétimo dia, Deus descansou.

(Adaptação de Gênesis 1:3 - 2:3)

O famoso episódio mostra a visão bíblica acerca da criação do mundo, que pretende explicar tudo aquilo que existe ao nosso redor. O planeta, a fauna, a flora e os próprios seres humanos terão surgido da vontade de Deus.

No enredo, podemos perceber que o Seu trabalho foi gradual: a cada dia, ia construindo mais um pouco e fazendo a vida brotar sob as mais diversas formas.

Ao sétimo dia, Deus terminou a sua obra e parou para repousar. É por isso que o catolicismo considera que o domingo é um dia santo que deve ser dedicado ao culto e ao descanso.

2. A criação da Humanidade

Deus criou o mundo, um enorme jardim colorido e repleto de vida, mas estava faltando alguém para cuidar de tudo isso. Foi então que, usando barro e argila, moldou o primeiro homem.

Com apenas um sopro divino, Adão começou a viver. Ele ficou impressionado com a beleza das coisas que o rodeavam. Deus mandou chamar os bichos de todas as espécies e ordenou que escolhesse o nome de cada um.

No entanto, o homem estava solitário naquele jardim maravilhoso e começou a ficar triste. Aí, o Todo Poderoso retirou uma de suas costelas, do lado do coração, e usou-a para criar a primeira mulher.

Assim nasceu Eva, a companheira de Adão: feitos um para o outro, eles se apaixonaram e se multiplicaram. Como resultado desse amor e da vontade de Deus, a raça humana foi crescendo e se espalhando pelo mundo.

(Adaptação de Gênesis 2-3)

O nascimento de Adão e Eva simboliza o começo da humanidade. Deus procurava alguém para guardar o maravilhoso jardim que criou e, para isso, se inspirou na própria figura para fazer um homem a partir do barro.

Porém, Adão sentia falta de alguém com quem pudesse compartilhar aquela perfeição. Assim, nasceu Eva, feita da costela de Adão e composta pela mesma matéria que ele. A narrativa lembra que não nos sentimos completos quando estamos totalmente sozinhos.

Adão e Eva teriam, assim, vivido a primeira história de amor e feito uma descoberta fundamental sobre o ser humano: nascemos para amar e formar ligações, não para nos isolarmos.

3. Jonas e o grande peixe

Quadro Jonas e a baleua, por H. Mandel.
Jonas e a baleia por H. Mandel.

Jonas era um profeta que dedicava sua vida a espalhar a palavra divina. Um dia, ele recebeu uma ordem de Deus: precisava viajar até Nínive e alertar os moradores do local acerca dos castigos que os esperavam.

Como aquela terra representava perigo para o povo de Israel, Jonas ficou assustado e resolveu ignorar sua missão. Em vez disso, ele embarcou num navio a caminho de Társis, que ficava na direção oposta. No entanto, Deus o observava de perto e enviou uma enorme tempestade.

A tripulação, desconfiada de que Jonas seria o responsável, resolveu jogá-lo nas águas. Deus, para salvá-lo, enviou um peixe gigantesco que logo o engoliu. Assim, por três dias e três noites, Jonas rezou e pediu perdão, se arrependendo de não ter seguido Sua vontade.

Finalmente, quando concordou em ir pregar para Nínive, Jonas foi largado na praia pelo enorme peixe. Chegando lá, ele alertou o povo que Deus devastaria aquelas terras, a menos que mudassem seus comportamentos em 40 dias.

O povo de Nínive acreditou na mensagem do profeta e acatou os seus conselhos, alterando o seu jeito de viver. E foi assim que, depois de 40 dias, eles receberam o perdão divino e tudo ficou no lugar.

(Adaptação de Livro de Jonas, Antigo Testamento)

A história de Jonas relembra o valor da obediência e a necessidade de honrarmos nossos compromissos e deveres. O homem, que até ali foi fiel a Deus, não quis escutar os Seus planos e tentou mudar o destino que o esperava.

Quando foi jogado no mar, aquele poderia ser o seu fim, mas Deus não permitiu porque tinha uma missão para ele. Preso na barriga do peixe por dias, Jonas percebe que não tem como escapar da vontade divina e, finalmente, aceita cumpri-la.

O enredo também mostra que o perdão pode ser obtido por todos aqueles que realmente se arrependem.

4. Samuel, o servo de Deus

Era uma vez uma mulher muito devota que tinha o grande sonho de ser mãe. Todos os anos, ela pedia a Deus que lhe desse um filho, mas seu desejo não se concretizava. Até que, um dia, ela resolveu fazer uma promessa: se engravidasse, entregaria o seu filho para ser servo da Igreja.

Logo suas orações foram atendidas e nasceu um garoto que recebeu o nome de Samuel. Quando chegou à idade certa, a mãe foi entregá-lo à Igreja, cumprindo a sua parte da promessa.

Um dia, uma voz o chamou e ele achou que era Eli, o padre, que estava falando. Eli disse, então, que Samuel precisava aprender a escutar a voz de Deus e deveria responder "Fale, Senhor, o seu servo está ouvindo" se aquilo se repetisse.

Durante a noite, o menino escutou a mesma voz e respondeu do jeito que tinha aprendido. Daí em diante, Deus começou a falar com Samuel, avisando-o sobre muitas coisas que aconteceriam.

O garoto se tornou, assim, um mensageiro da vontade do Senhor e passou a alertar os outros sobre aquilo que iriam enfrentar no futuro.

(Adaptação de Livro de Samuel, Antigo Testamento)

Nascido como resposta às preces da mãe, Samuel já estava destinado a servir a Deus. A família cumpre com o seu dever e entrega o menino na Igreja quando chega o momento certo.

Embora Samuel se esforce para aprender e se comportar bem, ele ainda não sabe como responder quando escuta a voz divina pela primeira vez.

Mais tarde, quando descobre que precisa demonstrar humildade,afirmando que está pronto para escutá-lo e seguir as Suas ordens, ele passa a espalhar a palavra de Deus junto do povo.

5. O bom samaritano

Quadro O bom samaritano por David Teniers, o Jovem
O bom samaritano por David Teniers, o Jovem.

Certo dia, um homem perguntou para Jesus o que precisaria fazer para entrar no Reino dos Céus. Ele lhe respondeu que deveria seguir as palavras da Bíblia: adorar a Deus acima de tudo e amar o próximo como a si mesmo.

O homem questionou, então, "quem é o próximo?". Jesus respondeu com a ajuda de uma velha história: a parábola do Bom Samaritano.

Era uma vez um homem judeu que caminhava de Jerusalém até Jericó, num percurso difícil que demorava dois dias inteiros. Ele seguia feliz, mas foi atacado por um grupo de bandidos que o assaltaram e espancaram, deixando seu corpo na estrada.

Um padre e um sacerdote passaram pelo homem ferido, mas continuaram o caminho, ignorando o seu sofrimento. Foi então que passou um samaritano, povo que era rival dos judeus, naquela época.

Preocupado com o corpo repleto de sangue, ele parou para ajudar o outro. Primeiro limpou as suas feridas e depois colocou o desconhecido em cima do seu burro. Em seguida, levou o homem para uma hospedaria e pediu que cuidassem dele, se oferecendo para pagar a despesa.

Quando Jesus terminou a história, aquele que fez a pergunta questionou: "mas, afinal, quem era o próximo?". E o filho de Deus respondeu: "Aquele que teve compaixão. Por isso faça o mesmo!".

(Adaptação de Lucas 10:25-37, Novo Testamento)

Esta história fala sobre valores essenciais como a caridade, a empatia, o respeito e o amor pelas outras pessoas. Como uma bússola que deve guiar nossos atos e nossas condutas, nunca podemos esquecer de tratar os outros seres humanos com a mesma dignidade que esperamos deles.

Assim como o personagem do enredo, não podemos ignorar o sofrimento alheio. Em vez de virarmos o rosto quando virmos alguém que precisa de ajuda e fingirmos que o problema não é nosso, temos a obrigação moral de estender a mão e espalhar a bondade pelo mundo.

6. Isaque em Gerar

Quando Abraão e Sara já eram idosos, Deus concedeu um filho ao casal e anunciou que dele surgiria uma grande e importante linhagem. Quando Isaque já era adulto, a fome começou a tomar conta daquela região.

Vendo que muitos partiam à procura de uma vida melhor, ele pensou em viajar para o Egito. Aí Deus apareceu numa visão e falou com ele: "Se você ficar nesta terra com sua família, eu estarei do seu lado e o abençoarei".

O homem não hesitou em cumprir as ordens divinas e ficou em Canaã. Com a proteção de Deus, as colheitas se multiplicavam e o gado crescia, forte e saudável. Em pouco tempo, a riqueza de Isaque foi aumentando e começou a incomodar aqueles que estavam em volta.

Com inveja, eles encheram seus poços de terra, impedindo que os animais pudessem beber água, e ordenaram que ele fosse embora. Foi então que Isaque e sua família se mudaram para o Vale de Gerar. Por lá, ele cavou um poço e encontrou uma fonte de água pura.

Alegando que Isaque não tinha direito a essa água, os locais fecharam o poço. A história se repetiu várias vezes: mesmo que o seu trabalho fosse destruído por aqueles que o invejavam, Isaque se mantinha sereno e apenas recomeçava.

Ao fim de algum tempo, os outros começaram a perceber que o homem deveria estar sendo guardado por Deus. Então, o líder deles resolveu procurá-lo e estabelecer a paz.

(Adaptação de Gênesis 26)

Enfrentado a miséria e a escassez na sua terra, Isaque se preparava para partir, mas Deus decidiu o contrário. Seguir esta ordem não parecia muito lógico, já que todos estavam procurando possibilidades de enriquecer em outros locais.

Mesmo assim, ele não questionou a missão que recebeu e cumpriu com o destino que foi reservado para ele. Sempre mantendo a confiança absoluta em Deus, o homem resistiu a todos os ataques e nunca hesitou nem abandonou o seu propósito.

A história é um exemplo impressionante de alguém que nunca perdeu a fé e sempre se esforçou para manter a paz, mesmo quando era humilhado e desafiado por aqueles que não gostavam do seu sucesso.

7. A Arca de Noé

Quadro Arca de Noé, de Edward Hicks.
Arca de Noé por Edward Hicks.

Certa vez, Deus estava olhando o mundo e ficou muito triste com os seres humanos. Eles pareciam cada vez mais egoístas e maldosos, tinham esquecido valores como a partilha e o amor ao próximo.

Desapontado com todos os pecados que viu, o Criador resolveu colocar um fim em tanta maldade. Então procurou Noé, um homem bom, e lhe entregou uma difícil missão: ele deveria criar uma embarcação gigantesca, capaz de sobreviver a um dilúvio.

Depois, Noé tinha que reunir um par de animais de cada espécie e comida suficiente para alimentá-los. Se conseguisse fazê-lo, toda a sua família seria salva durante a terrível tempestade que viria.

O homem trabalhou durante muitos anos até concluir a obra. Em volta, todos questionavam o que ele estava fazendo. Quando a embarcação estava terminada, o Senhor avisou que Noé teria apenas 7 dias para preparar tudo.

Assim que todos entraram no barco, Deus enviou uma chuva que durou 40 dias e 40 noites. A água inundou tudo e espalhou a destruição, enquanto a Arca de Noé navegou por mais de um ano.

No final desse tempo, a terra secou, todos puderam desembarcar e recomeçar a vida no planeta. Satisfeito com os esforços de Noé, Deus perdoou a humanidade e prometeu que nunca mais enviaria um dilúvio como aquele.

(Adaptação de Gênesis 6-9)

Noé, o homem que segundo a Bíblia teria vivido por 500 anos, foi responsável por salvar a vida na Terra durante o enorme dilúvio. Pela sua conduta, ele foi escolhido por Deus e teve que trabalhar por muito tempo para construir a Arca.

Para aqueles que não sabiam da sua missão, a construção gigantesca parecia absurda, mas Noé conhecia seu propósito e continuou o trabalho. Assim, devido aos seus esforços, a vontade divina prevaleceu e toda a vida regressou.

8. Davi e Golias

Saul era rei de Israel, mas vivia longe das leis divinas. Por isso, Deus falou com o profeta Samuel e ordenou que ele fosse procurar os filhos de Jessé, porque um deles ocuparia o trono.

Jessé tinha 8 filhos e Samuel conheceu os mais velhos e mais fortes, mas escutou a voz do Senhor que o avisava para não olhar à aparência dos garotos, mas buscar um bom coração.

Davi era o filho mais novo, um adolescente que tomava conta das ovelhas. Assim que olhou para ele, o profeta recebeu a confirmação e abençoou o jovem com um óleo sagrado.

A partir desse dia, a força de Deus passou a acompanhar o pastor, que seguia a sua vida entre os vales e os animais. No entanto, uma grande guerra tinha surgido entre o povo de Israel e os filisteus.

No exército filisteu estava Golias, um gigante ameaçador que ninguém conseguia derrotar. Com o corpo protegido por uma armadura, ele costumava gritar bem alto, desafiando os soldados rivais para o combate.

Um dia, Davi passou por ali e escutou suas palavras. Corajoso, ele pegou um estilingue e encheu o bolso de pedrinhas, partindo para cima do gigante. Golias riu quando viu o tamanho do seu adversário, mas ele não se deixou intimidar.

Davi disparou uma pedra entre os olhos do gigante, fazendo com que ele perdesse os sentidos e caísse. A partir desse momento, libertou Israel da ameaça de Golias e se tornou um herói para o seu povo. Mais tarde, ele foi coroado rei.

(Adaptação de Livro de Samuel: 17, Antigo Testamento)

Esta é, sem dúvida, uma das narrativas mais inspiradoras que nasceram nos textos bíblicos. Quando mandou Samuel procurar um novo rei, Deus avisou não importava o seu tamanho, mas sim a coragem da sua alma.

Mesmo sendo pequeno e aparentemente frágil, Davi tinha fé em Deus e em si mesmo. Por isso, ele não se assustou com o tamanho do gigante e conseguiu derrotá-lo, sabendo que poderia contar com a proteção divina nos momentos mais difíceis.

Veja também:

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.