Os 10 melhores livros para expandir a sua mente


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Dessa vez topamos o desafio de criar uma lista de obras que nos tirassem da zona de conforto! Não utilizamos o gênero literário como critério, aqui você encontrará ensaios com viés científico, romances e até mesmo diários.

Nosso objetivo foi perseguir obras que fizessem com que repensássemos os nossos valores e expandissem o nosso horizonte.

Esperamos que aproveitem as dicas e desejamos a todos uma boa leitura!

1. Em busca do tempo perdido, de Proust

Em busca do tempo perdido

O clássico criado por Proust ocupa um bom pedaço da estante e é uma escrita que fará você (re)pensar a sua relação com o passado.

A história narrada pelo escritor francês tem a capacidade de nos fazer viajar pelo tempo e reelaborar as nossas vivências que julgávamos perdidas.

Ao longo dos muitos volumes percebemos os mecanismos que fazem mover a engrenagem da memória voluntária e involuntária e modificamos a nossa maneira de lidar com os tempos remotos.

2. O caderno rosa de Lori Lamby, de Hilda Hilst

O caderno rosa de Lori Lamby

O livro escrito pela polêmica escritora brasileira Hilda Hilst fará você questionar os limites entre a ficção e a realidade, entre o socialmente aceitável e o que perturba os nossos valores morais.

A narradora de O caderno rosa de Lori Lamby é uma menina de oito anos que se prostitui - agenciada pelo próprios pais - e conta em seu diário as suas experiências sexuais.

O mais perturbador é que a garota supostamente sente prazer nos atos de abuso, o que coloca o leitor em uma situação de repulsa e ao mesmo tempo encantamento pela escrita genuinamente obscena.

3. O andar do bêbado, de Leonard Mlodinow

O andar do bêbado

Ao contrário dos livros apresentados acima, O andar de bêbado não se trata de uma ficção, mas sim de uma obra com base científica apoiada por conceitos da física, da matemática, da economia e da psicologia.

Leonard Mlodinow tenta explicar o papel do acaso em nossa vida cotidiana e como alguns dos sucessos das mais diversas áreas podem ser justificados pela ciência.

Com a ajuda do autor ficamos conhecendo conceitos básicos de probabilidade, acaso, estatística, sorte, padrão e aleatoriedade. A leitura de O andar do bêbado faz perceber como muitas vezes aquilo que julgamos ter total controle está fora das nossas mãos.

4. Por que fazemos o que fazemos?, de Mario Sergio Cortella

Por que fazemos o que fazemos?

Mario Sergio Cortella é professor e filósofo e escreveu Por que fazemos o que fazemos? para refletir principalmente sobre a nossa relação com aquilo que ocupa a maior parte do nosso dia: o trabalho.

Muitas vezes escolhemos uma carreira por sugestão da família ou por indução dos amigos e vamos assistindo o passar dos anos fazendo algo que, no fundo, não nos interessa tanto assim.

Por que fazemos o que fazemos? é um convite para a pausa e para a reflexão. Você faz aquilo que gosta? Acha que pode fazer a diferença? Tem prazer na sua rotina? Está satisfeito com as horas preenchidas dos seus dias úteis?

5. O filho eterno, de Cristóvão Tezza

O filho eterno

Apesar de ser classificado como romance, O filho eterno é um livro profundamente autobiográfico e narra a história de um sujeito que descobre que vai ser pai de uma criança com síndrome de Down.

Genuinamente honesto e transparente, assistimos as angústias que rondam a cabeça desse homem a princípio cheio de preconceitos.

O livro O filho eterno está disponível para download gratuito em formato PDF e é uma leitura vivamente recomendada para quem deseja encarar de frente os preconceitos.

6. 1984, de Gerge Orwell

1984

Já imaginou como seria viver sob o comando de um regime totalitário que controlasse a todos com câmeras de segurança? George Orwell pensou nesse cenário perturbador já em 1984.

Winston Smith, o protagonista da história, trabalha no Departamento de Documentação do Ministério da Verdade e é um dos responsáveis pela propaganda e reescrita do passado. Ou seja, sua função é reescrever os jornais e documentos antigos de modo a apoiar o partido no poder.

A ficção do britânico está longe de ser uma criação descolada da realidade e a leitura do romance ajuda-nos a perceber melhor os limites do mundo em que estamos vivendo.

7. O príncipe, de Nicolau Maquiavel

O príncipe

Leitura obrigatória nos cursos de filosofia e política, a obra célebre de Maquiavel, transcende os muros das universidades e é um exercício de reflexão inebriante para todos que se interessem pelos jogos do poder.

Apesar de ter sido escrito em 1513, as páginas maquiavélicas não perderam a validade. O autor disserta, ao longo de 26 capítulos, sobre como alcançar e manter o poder político. O príncipe está disponível para download gratuito em formato PDF.

8. Homo Deus, de Yuval Noah Harari

Homo Deus

O livro concebido pelo israelense Yuval Noah Harari está dividido em três partes e é um best seller contemporâneo que procura investigar de onde viemos, quem somos e para onde vamos. O olhar que aspira abarcar o passado, o presente e o futuro tem como base estudos científicos, filosóficos e históricos.

Ao tentar perceber de onde viemos e como chegamos até aqui, Harari pretende abrir uma grande angular e descobrir onde provavelmente iremos chegar.

9. Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie

sejamos-todos-feministas

O ensaio da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie não é uma apologia ao feminismo radical ou uma espécie de manifesto teórico sobre o tema.

As palavras de Chimamanda são antes uma maneira de externalizar a sua experiência pessoal enquanto mulher negra e de exprimir o que ainda precisa ser feito para que as mulheres sejam tratadas com a devida igualdade.

O livro pretende sobretudo propor um olhar para o futuro: como fazer para deixamos o mundo que desejamos para os nossos descendentes?

A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente.

10. É isto um homem, de Primo Levi

É isto um homem

O clássico escrito pelo criador judeu Primo Levi pretende alertar sobre os limites da humanidade. Sobrevivente do holocausto, escrever foi a maneira que o autor encontrou de imortalizar os fatos vividos e suplicar para que o horror nunca mais se repita.

Ao contrário do que desejávamos, o preconceito, a intolerância e o ódio permanecem disseminados nos dias de hoje e o ensaio é uma leitura obrigatória para nos fazer repensar a nossa capacidade de empatia e solidariedade.

É isto um homem está disponível para download gratuito em formato PDF.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).