23 melhores filmes brasileiros de todos os tempos


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

O cinema brasileiro tem uma vasta produção de filmes importantes, aclamados pela crítica e pelo público.

Injustamente desvalorizados por alguns, muitos filmes nacionais são manifestações artísticas essenciais para a cultura brasileira, contribuindo para pensar o Brasil de maneira crítica e independente.

Assim, selecionamos 23 produções inesquecíveis que deveriam ser vistas por todos.

1. Central do Brasil

  • Direção: Walter Salles
  • Ano: 1998
  • Onde assistir: Globoplay

Central do Brasil é um desses filmes inesquecíveis. O longa-metragem, dirigido por Walter Salles, é uma emocionante história de amizade entre uma mulher idosa e um menino. Entretanto, a trama consegue ir além, tratando ainda da história de uma parcela do povo brasileiro, traçando um retrato de um Brasil esquecido.

Dora (brilhantemente interpretada por Fernanda Montenegro) é uma ex-professora que ganha a vida escrevendo cartas para pessoas analfabetas na estação de trem Central do Brasil, no Rio de Janeiro.

Um dia uma de suas clientes lhe pede que escreva uma carta para tentar um reencontro com o pai de seu filho. Mas a mulher morre atropelada e o menino é acolhido por Dora. Os dois então partem pelo interior do sertão nordestino em busca da família do garoto.

O filme foi indicado ao Oscar e recebeu inúmeros prêmios e homenagens, se tornando um dos ícones do cinema nacional.

2. Amarelo Manga

  • Direção: Cláudio Assis
  • Ano: 2002
  • Onde assistir: Globoplay

cena do filme Amarelo Manga

Premiado em diversos festivais, Amarelo Manga, com direção de Cláudio Assis e roteiro de Hilton Lacerda, traz um elenco impecável, com destaque para Matheus Nachtergaele e Dira Paes.

O enredo apresenta histórias paralelas de personagens impactantes da periferia do Recife e apresenta como um importante cenário o Hotel Texas.

Apesar de ser o primeiro longa-metragem do diretor, foi muito bem recebido e elogiado pela crítica, ganhando o prêmio de melhor filme de baixo orçamento do Ministério da Cultura do Brasil.

3. Deus e o Diabo na Terra do Sol

  • Direção: Glauber Rocha
  • Ano: 1964
  • Onde assistir: Globoplay, Telecine Play

cena de Deus e o Diabo na Terra do Sol

Ícone do chamado “cinema novo”, a produção é do aclamado cineasta baiano Glauber Rocha e foi gravada no interior da Bahia na década de 60.

O enredo se inicia apresentando Manoel e Rosa, um casal no interior do sertão com vida sofrida e difícil. Manoel, após ser injustiçado pelo patrão, o mata e foge com Rosa.

Os dois se juntam a um grupo religioso revolucionário que luta contra injustiças, mas acabam sendo perseguidos por Antônio das Mortes, capanga contratado pelos latifundiários da região.

É considerado um clássico nacional e na época de seu lançamento representou o país no Festival de Cannes e no Oscar.

4. O Homem que Virou Suco

  • Direção: João Batista de Andrade
  • Ano: 1981
  • Onde assistir: Looke

cena de O homem que virou suco

Escrito e dirigido por João Batista de Andrade, o drama aborda a migração nordestina para as grandes metrópoles, a desigualdade e exploração dos trabalhadores pelo capitalismo.

Deraldo (interpretado com maestria por José Dumont) é um poeta popular vindo da Paraíba que acaba de desembarcar em São Paulo.

Ele é confundido com Severino, um operário que, num acesso de revolta, mata o patrão. Assim, Deraldo, sem documentos que comprovem sua identidade, precisa fugir da polícia enquanto aprende a sobreviver na capital.

O filme ganhou prêmios nacionais e internacionais, como a importante medalha de ouro no Festival Internacional de Moscou de 1981. Entretanto, foi pouco exibido nas salas de cinema, o que levou o diretor a mostrá-lo em associações de bairros, de forma independente.

5. Estômago

  • Direção: Marcos Jorge
  • Ano: 2007
  • Onde assistir: Telecine Play

Um dos grandes filmes brasileiros dos anos 2000 é Estômago, dirigido por Marcos Jorge. Com um elenco em sintonia, traz nomes como João Miguel, Fabíola Nascimento, Babu Santana e Paulo Miklos.

Conta a história de Nonato, um rapaz nordestino que vai para a cidade grande em busca de oportunidades. Lá chegando, passa a trabalhar em uma lanchonete e descobre o talento para a culinária. Ele então é contratado por um restaurante chique e aprende a preparar pratos sofisticados.

Tudo está indo bem, mas a paixão pela prostituta Íria irá mudar os rumos de sua vida.

O longa foi aclamado pela crítica e elogiado pelo público, pois traz humor, suspense e crítica. Recebeu prêmios e indicações em festivais nacionais e estrangeiros, entrando para a lista de 100 melhores filmes da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).

6. A Vida Invisível

  • Direção: Karim Aïnouz
  • Ano: 2019
  • Onde assistir: Telecine Play

O recente A Vida Invisível, lançado em 2019 e com direção de Karim Aïnouz, foi tão elogiado pela crítica que foi indicado para representar o Brasil na corrida pelo Oscar de 2020.

A produção é baseada no livro A Vida Invisível de Eurídice Gusmão (2016), da pernambucana Martha Batalha. Conta sobre a trajetória de duas irmãs que têm suas vidas atravessadas pela ignorância do sistema patriarcal e acabam tomando rumos opostos.

É estrelado por Julia Stockler e Carol Duarte, contando ainda com a participação de Fernanda Montenegro.

7. Bacurau

  • Direção: Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles
  • Ano: 2019
  • Onde assistir: Globoplay, Telecine Play

Uma das maiores revelações do cinema brasileiro dos últimos tempos é o longa-metragem Bacurau.

A produção, assinada por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, participou de muitos festivais e recebeu inúmeros prêmios no Brasil e no mundo. Foi citada, inclusive, pelo ex-presidente norte-americano Barack Obama como um de seus filmes preferidos de 2020.

A trama se passa na cidade fictícia de Bacurau, interior do sertão nordestino, e apresenta uma história de resistência, luta e direito à vida.

Um filme que levou o público a uma catarse coletiva e já deixa marcas importantes no cinema nacional.

8. Bicho de Sete Cabeças

  • Direção: Laís Bobansky
  • Ano: 2000
  • Onde assistir: Netflix

Baseado na autobiografia Canto dos Malditos, de Austregésilo Carrano Bueno, Bicho de Sete Cabeças aborda a história real de Neto (Rodrigo Santoro), um rapaz que é internado em um sanatório depois que o pai encontra um cigarro de maconha entre seus pertences.

Neto passa a viver situações degradantes no lugar e tem a relação familiar destruída.

O filme é um importante documento sobre os abusos em instituições psiquiátricas, sobre a questão das drogas e a forma como pais e filhos se relacionam.

O longa teve muitas críticas positivas, principalmente a atuação de Rodrigo Santoro e de Gero Camilo.

9. O Auto da Compadecida

  • Direção: Guel Arraes
  • Ano: 2000
  • Onde assistir: Telecine Play, Globo Play

cena de O Auto da Compadecida

Esse célebre filme brasileiro é uma adaptação da peça teatral de mesmo nome do paraibano Ariano Suassuna, encenada em 1955.

A produção tem direção de Guel Arraes e estreou em 2000. Foi o primeiro trabalho de grande sucesso dos atores Matheus Nachtergaele e Selton Melo, nos papéis de João Grilo e Chicó.

O enredo se passa na década de 30 e apresenta personagens diversas, exibindo uma comédia crítica da sociedade.

O filme já é considerado um clássico e recebeu muitos elogios da crítica (inclusive do próprio Ariano Suassuna), além de diversos prêmios.

10. Cidade de Deus

  • Direção: Fernando Meirelles, Kátia Lund
  • Ano: 2002
  • Onde assistir: Telecine Play, Globoplay

Poucos sabem, mas Cidade de Deus é a adaptação de um livro homônimo de Paulo Lins, publicado em 1997.

Com direção de Fernando Meirelles e co-direção de Katia Lund, a produção é inovadora ao trazer muitos atores desconhecidos e interpretações mais livres, permitindo o improviso.

O filme aborda o cotidiano violento dos morros cariocas, revelando a ascensão e consolidação do crime organizado na Cidade de Deus.

É uma obra cinematográfica de grande importância para o cinema nacional e faz parte do período chamado de “cinema da retomada”, quando houve maior produção cinematográfica no país.

11. Carandiru

  • Direção: Hector Babenco
  • Ano: 2003
  • Onde assistir: Telecine Play

cena do filme Carandiru

Com base no livro Estação Carandiru, do médico Drauzio Varella, o longa-metragem foi dirigido por Hector Babenco e estreou nos cinemas em 2003.

Exibe a dura realidade de vários personagens detidos na Casa de Detenção São Paulo, maior penitenciária da América Latina, palco de um terrível massacre que assassinou 111 presos em 1992.

As filmagens foram feitas em vários locais, entre eles o próprio presídio, antes de ser demolido.

O enredo se baseia nas memórias de Drauzio Varella quando trabalhou no local no tratamento e prevenção do HIV/Aids.

Indicado e premiado em muitos festivais, esse é um filme brasileiro com forte apelo dramático e realista que exibe de forma impecável uma vivência cruel de uma parcela marginalizada e esquecida da população brasileiro.

12. Que Horas Ela Volta?

  • Direção: Anna Muylaert
  • Ano: 2015
  • Onde assistir: Globoplay, Telecine Play

Com roteiro e direção da cineasta paulistana Anna Muylaert, essa produção é estrelada por Regina Casé e exibe as contradições e desigualdades sociais no Brasil.

Val, migrante nordestina em São Paulo, é a empregada de uma família rica. Quando sua filha Jéssica vai prestar vestibular na capital, Val a recebe no quartinho de empregada.

Jéssica não se acostuma com o tratamento diferente que elas recebem e passa a incomodar os patrões.

Um filme essencial para entender a dinâmica trabalhista e as relações entre as classes sociais no país.

O longa foi aclamado pela crítica e pelo público, sendo exibido em festivais internacionais e ganhando vários prêmios.

13. O Som ao Redor

  • Direção: Kleber Mendonça Filho
  • Ano: 2013
  • Onde assistir: Telecine Play, Mubi

Do mesmo diretor de Bacurau, O Som ao Redor é também um filme contundente de drama e suspense, que teve boa repercussão. Escolhido para representar o Brasil na corrida pelo Oscar em 2014, venceu diversos festivais e entrou para a lista dos 100 melhores filmes da Abraccine.

A trama conta sobre uma família de classe média que precisa lidar com a presença de uma milícia em sua rua. Assim, a produção aborda questões como a segurança, o medo e os contrastes sociais.

14. Hoje eu quero voltar sozinho

  • Direção: Daniel Ribeiro
  • Ano: 2014
  • Onde Assistir: Netflix, Now Online

Esse é um filme que surge em decorrência do curta-metragem Eu não quero voltar sozinho, do mesmo diretor, Daniel Ribeiro, e interpretado pelo mesmo elenco.

É uma história de romance adolescente, mas com o diferencial de que se trata da descoberta do amor homoafetivo e vivenciado por um garoto cego.

De maneira delicada e simples trata de questões complexas sem cair no dramalhão. Por isso foi bem recebido, exibido em muitos festivais pelo mundo e ganhou vários prêmios.

15. Aquarius

  • Direção: Kleber Mendonça Filho
  • Ano: 2016
  • Onde assistir: Netflix, Now Online

Aquarius é um filme de Kleber Mendonça Filho com co-produção de Walter Salles e que conta com a bela interpretação de Sônia Braga.

A história se passa em Recife e exibe a vida de Clara, um viúva que mora em um prédio na orla da praia e ocupa o último apartamento que ainda não foi vendido para uma construtora. A ideia é demolir o imóvel e erguer um enorme edifício no local, mas Clara se recusa a deixar seu lar.

Assim, o filme trata da especulação imobiliária, um problema coletivo, ao mostrar a vida pessoal de uma mulher que tem apego a sua história e ao que construiu ao longo da vida.

É longa a lista de indicações e prêmios que o filme recebeu. Além disso, a produção deixou um importante legado, a preservação do prédio Oceania, onde ocorreram as gravações.

16. O Céu de Suely

  • Direção: Karim Aïnouz
  • Ano: 2006
  • Onde assistir: Globoplay

O filme é uma co-produção entre Brasil, França e Alemanha e foi roteirizado e dirigido pelo cearense Karim Aïnouz.

Muito premiado nacional e internacionalmente, O Céu de Suely traz a atriz Hermila Guedes no papel de Hermila. A jovem é do interior do Ceará e, depois de passar uma temporada em São Paulo e ter um filho, volta à cidade natal.

Desiludida e sem dinheiro, Hermila decide fazer uma rifa de seu corpo para conseguir viajar novamente, dessa vez sozinha com o filho, para tentar a sorte no sul do país.

17. Edifício Master

  • Direção: Eduardo Coutinho
  • Ano: 2002
  • Onde assistir: Prime Vídeo, Now Online, Telecine Play

Edifício master cena de filme

Edifício Master é um documentário de Eduardo Coutinho lançado em 2002. A produção exibe a vida de alguns moradores de um enorme prédio situado no Rio de Janeiro, que conta com cerca de 270 apartamentos conjugados.

Foram colhidas entrevistas de aproximadamente 37 moradores e moradoras do local, resultando em um filme que revela a diversidade de histórias pessoais, trajetórias de vida, sonhos e frustrações.

O filme foi incluído em 2015 na lista dos 100 melhores pela Abraccine.

18. Macunaíma

  • Direção: Joaquim Pedro de Andrade
  • Baseado em: obra literária de Mário de Andrade
  • Ano: 1969
  • Onde assistir: Telecine Play, Globoplay

cena do filme Macunaíma

Misturando fantasia, comédia e crítica social, Macunaíma se baseou no livro de mesmo nome de Mário de Andrade. A direção foi feita por Joaquim Pedro de Andrade e sua estreia ocorreu em 1969.

Se tornou uma referência no cinema brasileiro e integra a lista de 100 melhores filmes da Abraccine. Na época do lançamento foi bem premiado no Festival de Brasília e no Festival Internacional de Mar del Plata, na Argentina.

A narrativa se sustenta através de Macunaíma, uma figura lendária que nasce nas matas com a pele preta e no decorrer da trama se torna branco. Enfrenta todos os tipos de desafio com uma postura anti-heróica.

O grande destaque dessa produção é a interpretação de Grande Otelo no papel principal.

19. Limite

  • Direção: Mário Peixoto
  • Ano: 1931

cena do filme brasileiro Limite

Limite é o único filme do poeta Mário Peixoto, realizado quando ele tinha 22 anos e com estreia em 1931 no Cinema Capitólio, no Rio de Janeiro.

Considerado um dos filmes mais importantes da história do cinema nacional, a produção está em 1º lugar na lista dos melhores títulos da Abraccine.

Mostra a travessia de três pessoas que remam em uma canoa no oceano, enquanto uma das mulheres narra sua história de fuga da prisão.

O filme é considerado um dos primeiros do gênero experimental da Amárica Latina. Na época de lançamento não recebeu o devido reconhecimento, se tornando referência apenas mais tarde.

A produção é citada por David Bowie como uma de suas preferidas.

20. Ilha das flores

  • Direção: Jorge Furtado
  • Ano: 1989
  • Onde assistir: Porta Curtas

filme Ilha das flores

Esse curta-metragem de 13 minutos foi lançado em 1989 e marcou época, se tornando uma referência no universo do documentário brasileiro.

Roteirizado e dirigido por Jorge Furtado, o filme mistura realidade com ficção e aborda diversos assuntos de interesse coletivo e social, como a desigualdade, o desperdício alimentar, o problema do lixo e da pobreza. Mostra ainda como a economia tem papel fundamental e direto na qualidade de vida das pessoas.

Aclamado pela crítica, a narrativa exibe os temas de forma simples e direta, tanto que foi muito usada nas salas de aula como complementação dos estudos.

Recebeu diversos prêmios e é visto como o melhor curta-metragem brasileiro da história pela Abraccine.

21. Bye Bye Brasil

  • Direção: Cacá Diegues
  • Ano: 1980
  • Onde assistir: Prime Video, Globoplay

cena de Bye Bye Brasil

Lançado em 1979, o longa de Cacá Diegues é uma deliciosa comédia que exibe uma trupe de artistas que viaja de cidade em cidade realizando apresentações para populações onde a televisão ainda não é uma realidade.

É um filme que retrata bem uma época de transição da cultura brasileira, entre o "cinema novo" e uma "americanização", que mais tarde seria recorrente. A trilha sonora também é um elemento de destaque.

O longa foi indicado à Palma de Ouro em 1980 e venceu o prêmio de melhor diretor no Festival de Havana.

22. O Invasor

  • Direção: Beto Brant
  • Ano: 2002

cena do filme O invasor

Esse é um drama de 2002 assinado por Beto Brant que teve bastante reconhecimento nos anos 2000.

Se trata da história de três amigos e sócios que acabam se desentendendo, o que faz com que Aníbal (Paulo MIklos) entre em suas vidas e se torne cada vez mais próximo, mesmo contra a vontade deles.

A atuação de MIklos é memorável e a participação do rapper Sabotage (tanto na atuação quanto na trilha sonora) também ganhou destaque.

O filme foi bastante premiado em festivais importantes e é um marco na carreira do diretor.

23. Abril despedaçado

  • Direção: Walter Sales
  • Ano: 2001
  • Onde assistir: Cine Belas Artes

Com roteiro de Karim Aïnouz e direção de Walter Salles, o filme é inspirado no livro Prilli i Thyer, do albanês Ismail Kadere.

Estrelado por Rodrigo Santoro no papel principal, conta a história de Tonho, um rapaz no interior do sertão nordestino no começo do século XX. Ele vem de uma família humilde que disputa com vizinhos por algumas terras.

É tradição que os filhos matem e morram, dando continuidade a uma dinâmica de vingança que se arrasta por gerações. Assim, Tonho se encontra nesse dilema existencial e familiar, onde sua vida é apenas uma moeda de troca.

O filme foi bem recebido e premiado, se tornando uma grande obra do cinema braileiro.

Você também pode se interessar:

Atualizado em
Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design.