Filme Me Chame Pelo Seu Nome


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Me Chame Pelo Seu Nome é um filme de drama e romance dirigido por Luca Guadagnino e lançado no ano de 2017.

O roteiro foi criado por James Ivory, a partir do livro homônimo do escritor norte-americano André Aciman, publicado dez anos antes.

A adaptação cinematográfica foi um enorme sucesso, tendo conquistado o público e a crítica com uma história de amor que desafia tabus.

Atenção: o artigo contem spoilers que revelam o final do filme!

Sinopse e trailer do filme

O longa-metragem segue a paixão de Elio, um adolescente italiano, e Oliver, um estudante americano que vai passar o verão em Itália. A narrativa acompanha a trajetória dos dois, do momento em que se conhecem até aquele em que precisam se separar.

Confira o trailer do filme abaixo:

Análise do filme Me Chame Pelo Seu Nome

O começo do verão

O filme é passado no verão de 1983 e começa com Oliver, um estudante universitário, chegando em casa do seu professor, Mr. Pearlman, onde vai passar as férias para ajudá-lo com uma pesquisa.

Elio, o filho adolescente do professor, parece meio incomodado por ter que ceder seu quarto e as atenções da família ao desconhecido, anunciando que chegou "o usurpador".

O americano está exausto e deita na cama de Elio, sem cerimônias, falando que não vai jantar e pedindo que ele invente uma desculpa para mãe. Aquele seria o primeiro segredo dos dois.

Os cenários italianos

A família vive numa vila, rodeada por espaços verdes e um pouco afastada de tudo. Elio e Oliver vão de bicicleta até a cidade de Crema, para que o visitante possa abrir uma conta no banco.

Elio e Oliver conversando
Oliver e Elio, na cidade de Crema, conversando sobre a vida em Itália.

O passeio dos dois traça um retrato deslumbrante das paisagens italianas, seus campos, estradas, ruas estreitas e monumentos. É ai que se sentam no sol e conversam pela primeira vez, desfrutando do ritmo lento e relaxado.

O filme também representa cenas cotidianas da vida local, como a mesa de bar cheia de homens jogando cartas ou a mulher idosa sentada na porta de casa, olhando a estrada.

O despertar do desejo

Desde o começo, o olhar de Elio parece ter se fixado no convidado. Embora primeiro fale que ele é estranho e arrogante, os dois começam a se aproximar lentamente.

Aos poucos, se tornam amigos, conversando sobre música, livros e vários outros assuntos. Contudo, Elio espia Oliver enquanto ele troca de roupa e observa o seu corpo quando vão nadar juntos.

Durante uma festa, Oliver dança com uma amiga de Marzia e os dois se beijam. O companheiro observa a cena, visivelmente triste e com ciúmes. É a partir daí que Elio aumenta as suas investidas com a namorada, já que quer perder a virgindade.

Mais tarde, ele fala com o americano sobre a garota, tentando juntar os dois. Oliver questiona: "Você está tentando que eu goste dela?". Ao mesmo tempo que incentivava o romance, o adolescente parece cada vez mais apaixonado pelo amigo.

Em segredo, vai ao quarto de Oliver, deita na cama e cheira as roupas dele. Esta é a passagem em que o protagonista parece assumir para si mesmo que quer o outro. Depois disso, observamos os dias de Elio, suas ações e seus silêncios.

O longa-metragem acompanha o processo demorado e gradual da paixão, que de repente se torna avassaladora e inegável.

A família de Elio

A casa dos Pearlman está muito longe de ser um ambiente repressor. Trata-se de uma família de intelectuais: o pai é professor de cultura greco-romana, a mãe é fluente em alemão, francês e italiano e Elio é um pianista brilhante.

São também um núcleo multicultural que se comunica em vários idiomas e discute arte, cinema, política, entre outros temas.

Lentamente, os pais de Elio começam a perceber o interesse do garoto pelo visitante. Sem querer pressioná-lo ou deixá-lo desconfortável, parecem dar sinais ao filho de que ele está num local seguro.

Oliver e Elio na mesa com a família.
Oliver e Elio na mesa com a família, rindo e conversando sobre vários assuntos.

Não é por acaso que Pearlman convida um casal homossexual de colegas acadêmicos para jantar na sua casa. Vendo os dois homens partindo de mãos dadas, felizes, uma luz parece se acender no espírito do adolescente.

A mãe também faz a sua parte e decide ler uma história alemã que estabelece um paralelo evidente com a paixão secreta do adolescente. Falava de um príncipe que estava apaixonado por uma dama mas não conseguia confessar.

A narrativa questionava:

É melhor falar ou morrer?

Com muito cuidado e carinho, os pais dizem para Elio que pode sempre se abrir com eles, sobre qualquer assunto.

Em um mundo onde os adolescentes LGBT continuam, muitas vezes, sendo rejeitados pelas suas famílias, Me Chame Pelo Seu Nome dá um exemplo de aceitação e respeito.

O primeiro beijo

Influenciado pela história que a mãe contou, Elio ganha coragem para falar com Oliver sobre o seu amor. Quando vão juntos na cidade, o garoto confessa que não sabe nada "das coisas que importam".

Podemos escutar o seu pensamento, nervoso, com medo de falar com o companheiro. Oliver tenta evitar a conversa, respondendo: "Não podemos falar desse tipo de coisas".

Mesmo assim, os dois continuam os seus passeios de bicicleta e Elio leva o estrangeiro até um lago secreto, onde costuma ir para ler e ficar sozinho.

Lá, deitados na grama, ficam em silêncio pegando sol no rosto, até que mais novo decide falar:

— Eu amo isso, Oliver.

— O quê?

— Tudo.

A declaração de amor, singela e envergonhada, se transforma num beijo apaixonado e cheio de ânsia. Terminou o segredo entre os dois: Elio e Oliver se desejam.

Elio e Oliver se beijando pela primeira vez.
Elio e Oliver se beijando pela primeira vez.

Romance secreto

Apesar do espírito aberto dos Pearlman, os anos oitenta ainda eram uma época bastante marcada pela homofobia e o preconceito. Oliver sente que o romance pode lhe causar problemas, até porque Elio tem apenas 17 anos. Assim, ele acaba se afastando e chegando em casa de madrugada.

O adolescente espera por ele, triste, o chamando de traidor. Aí, retoma o seu namoro com Marzia, que ainda era apaixonada por ele e acaba perdendo a virgindade. O despertar sexual não faz com que Elio esqueça Oliver e os dois trocam bilhetes, marcando um encontro.

Mesmo acompanhado pela namorada, ele passa o dia inteiro olhando o relógio e esperando a hora marcada. Aí, os dois homens passam a noite juntos pela primeira vez.

Na manhã seguinte, Oliver diz a famosa frase que dá título ao filme:

Me chame pelo seu nome e eu te chamarei pelo meu.

Vivendo um romance secreto, usam outras identidades, trocando os seus nomes. É como se, naquele momento, suas existências se combinassem, como se fossem um só.

A partir desse episódio, a tensão sexual entre os dois é cada vez mais evidente e Oliver e Elio já não conseguem esconder que estão apaixonados, se esforçando para não darem as mãos nem se beijarem nas ruas da cidade.

Elio e Oliver prestes a se beijar na rua.
Oliver fala para Elio: "Te beijaria se pudesse...".

Os dias de amor

Com as férias de verão quase terminando, os pais (sempre mais atentos do que parecem) sugerem que os dois rapazes passem uns dias sozinhos na cidade medieval de Bergamo. Esse é o período de "lua-de-mel" do casal, que finalmente vive feliz e sem preocupações.

No meio da natureza, Elio e Oliver podem rir, brincar, dançar, cantar e se beijar à vontade. As cena, extremamente bonitas, nos emocionam e recordam a magia dos amores da juventude, que parecem transformar o mundo à nossa volta.

A separação e o apoio familiar

Quando o verão termina, a separação do casal é inevitável. Elio vai levar Oliver à estação de trem e se abraçam, emocionados, mas precisam disfarçar. Por isso, os dois se despedem sem sequer um beijo, apenas um aceno com o rosto.

O jovem vê o trem partindo e fica parado, apenas olhando. Em seguida, liga para a mãe e pede para ir buscá-lo; desesperado, chora durante a viagem de carro.

É então que o pai o chama para conversar, num diálogo inspirador e emocionante, que é uma verdadeira lição de vida. Revela que percebeu a ligação que havia entre os dois e o encoraja a analisar seus sentimentos.

Extremamente atencioso e sábio, Mr. Pearlman incentiva o filho a viver da forma que quiser porque a vida é curta e tudo é passageiro. Assim, pede que o adolescente não fique ressentido nem procure reprimir as suas emoções, mas que aceite e valorize o que viveu.

A chegada do inverno

Pelas paisagens, podemos perceber que se passaram alguns meses e o inverno chegou, cobrindo tudo de neve. É então que Oliver liga para anunciar que vai casar com uma antiga namorada.

Os amantes conversam e o americano fala que os Pearlman são uma família maravilhosa por aceitar o amor dos dois, contando que o pai dele é extremamente conservador.

Depois do verão, a pressão da família e da sociedade falou mais alto e Oliver teve que deixar o outro para trás. Mesmo assim, garante que ainda se lembra de tudo.

Cena final do filme.
Cena final do filme, na qual Elio finalmente aceita o término da relação.

Depois da ligação, Elio senta no chão da sua sala. Pela janela, podemos ver a chuva caindo lá fora. A cena, longa e silenciosa, se foca no rosto do protagonista.

Aos poucos, a sua expressão vai mudando e o choro se transforma em sorriso. Como se chegasse ao final de um ciclo, Elio aceita o destino e compreende que viveu o seu primeiro amor.

Ficha técnica e pôster do filme

Título original Call Me By Your Name
País de origem Itália, Estados Unidos da América, Brasil, França
Ano de produção 2017
Gênero Romance, Drama
Duração 132 minutos
Direção Luca Guadagnino
Classificação 14 anos
Poster do filme Me Chame Pelo Seu Nome
Pôster do filme Me Chame Pelo Seu Nome (2017).

Cultura Genial no Spotify

Confira a maravilhosa trilha sonora do filme nesta playlist que preparamos para você, incluindo as faixas orginais Mystery of Love e Visions of Gideon, de Sufjan Stevens :

Conheça também

Atualizado em
Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.