O que é Pintura? Conheça a história e principais técnicas de pintura


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e pesquisadora

Chamamos de pintura a linguagem artística que se utiliza de pigmentos depositados em uma superfície.

Essa superfície pode ser de variados materiais, não necessariamente uma tela.

Existem pinturas em papel, tecido, muros, madeira ou qualquer outro suporte que a imaginação permitir.

O tipo de pigmento também é variável, podendo ser a tinta líquida ou em pó, industrializada ou natural.

Além disso, são diversas as técnicas e tipos de pintura que foram criadas e desenvolvidas ao longo do tempo.

A pintura ao longo da história

A arte sempre esteve presente na humanidade como uma maneira de comunicação. Uma das expressões mais antigas nesse sentido é a pintura.

Por ser bastante tradicional na história da arte, a pintura passou por praticamente todos os períodos históricos e, em cada um, retratou comportamentos, crenças, vida social e política, entre outros aspectos das sociedades.

Assim, através dessa linguagem é possível compreender o passado, os costumes e ideias de diversas épocas e locais do mundo.

Quando as pessoas ainda viviam na pré-história, foi desenvolvido um tipo de linguagem através de imagens nas paredes das cavernas, era a pintura rupestre.

pintura rupestre
Pintura rupestre de um bisão na caverna de Altamira, Espanha

Os pigmentos utilizados eram extraídos da natureza, de materiais como carvão, sangue, ossos, vegetais, cinzas e raízes.

Os temas pintados variavam de cenas de caça à representações de dança, sexo e outras imagens do cotidiano. Considera-se que a intenção por trás dessa arte era religiosa, de caráter ritualístico.

Nos povos da antiguidade a pintura esteve presente também, mas foi a partir da Idade Média (século V ao XV) que ela ganha destaque na arte.

Mais tarde, principalmente com o surgimento da fotografia no final do século XIX, a pintura perde um pouco sua força e seu caráter representativo. Isso impulsiona os artistas a uma maior liberdade estética nessa linguagem.

Atualmente a pintura resiste como mais uma forma de expressão em meio a tantas manifestações contemporâneas.

Leia também: História da fotografia

Tipos de pintura

Pintura Figurativa

A pintura figurativa (figurativismo) é aquela que representa figuras, objetos e pessoas, ou seja, que dá conta de exibir imagens reconhecíveis ao olho humano.

Mona Lisa
Mona Lisa (1503-06), de Leonardo da Vinci, é exemplo de uma clássica pintura figurativa

É o tipo de pintura mais executada no mundo, tanto por artistas profissionais quanto amadores. São muitos os temas que podem ser abordados, como: retratos e auto-retratos, natureza morta e paisagens.

Pintura Abstrata

A pintura abstrata é um tipo de expressão que apresenta imagens indecifráveis, sem nenhuma correspondência com a realidade, como é o caso do figurativismo.

iberê Camargo pintura abstrata
Restinga seca (1994), pintura abstrata do brasileiro Iberê Camargo

Assim, são exploradas manchas, cores, texturas e padrões, de forma que o resultado final se conecte com aspectos subjetivos do ser humano.

Na primeira metade do século XX iniciou-se um movimento artístico (abstracionismo) que deu vasão a essa forma de pintura, sobretudo com o pintor russo Wassily Kandinsky.

Entretanto, desenhos e pinturas exibindo padrões abstratos sempre foram realizadas por povos indígenas e tribais de vários lugares do mundo.

Pintura Corporal

A pintura corporal é manifestada desde os tempos remotos da humanidade. Nessa forma de arte, o corpo é utilizado como suporte, de forma que o indivíduo leve consigo símbolos, padrões, cores e imagens.

pintura corporal indígena
Pintura corporal feita em crianças indígenas brasileiras

Populações indígenas, africanas e de outros locais costumam realizar intervenções artísticas em seus corpos com pigmentos ao longo dos séculos.

Há também as pinturas permanentes feitas na pele, como as tatuagens.

Leia mais sobre: Pintura corporal: da ancestralidade aos dias de hoje

Técnicas da pintura

Afresco

O afresco é uma técnica artística que consiste em pintar uma superfície ainda úmida. Feitas de gesso ou cal, normalmente são grandes murais, onde os artistas depositam o pigmento diluído em água.

Por conta disso, levou o nome de afresco, que deriva do italiano, significando "fresco".

A tinta líquida se integra ao revestimento e, depois de seca, passa a fazer parte da superfície.

afresco da capela Sistina
A criação de Adão, afresco da capela Sistina, feito por Michelangelo

Têmpera

Nesse método, tradicionalmente a tinta é preparada à base de ovos, utilizado com um aglutinante. Também bastante utilizada em murais, sua secagem não leva muito tempo.

Com a têmpera consegue-se uma gama de cores brilhantes e sólidas. É uma técnica antiga, por isso foi subtituída posteriormente pela tinta a óleo.

têmpera Volpi
Têmpera sobre tela, de Alfredo Volpi

Pintura com tinta a óleo

As pinturas feitas com tinta a óleo são as mais tradicionais até hoje. Nelas, as cores são aplicadas com pigmentos feitos à base de óleo.

O artista pode usar as cores puras ou diluídas em óleo de linhaça. Normalmente os instrumentos manuseados são pincéis de variadas espessuras e espátulas.

A tinta a óleo costuma ser o material mais escolhido pelos pintores e pintoras profissionais.

pintura a óleo Georgina Albuquerque
No cafezal, tela feita com tinta a óleo por Georgina Albuquerque em 1930

Pintura em aquarela

Já na aquarela, a tinta aplicada é uma mistura de pigmentos com água, sendo muito fluida e líquida. Assim, o artista precisa ter destreza para lidar com um material que foge um pouco do controle.

No geral o suporte usado é o papel. O ideal é que este tenha uma boa gramatura e alguma textura.

Lebre jovem, 1502 aquarela
Lebre jovem (1502), trabalho antigo em aquarela e guache em papel, de Albrecht Dürer

Você também pode se interessar:

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, pesquisadora e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.