Música Imagine, de John Lennon


Carolina Marcello
Revisão por Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Imagine é uma canção do álbum de mesmo nome, escrita por John Lennon e Yoko Ono. Lançado em 1971, foi o single mais vendido da carreira solo de Lennon, e virou um hino para paz, sendo gravado por diversos artistas, entre eles Madonna, Elton John e Stevie Wonder.

Letra da música Imagine

Imagine there's no heaven
It's easy if you try
No hell below us
Above us only sky
Imagine all the people
Living for today

Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion too
Imagine all the people
Living life in peace

You may say, I'm a dreamer
But I'm not the only one
I hope someday you'll join us
And the world will be as one

Imagine no possessions
I wonder if you can
No need for greed or hunger
A Brotherhood of man
Imagine all the people
Sharing all the world

Tradução

Imagine que não há paraíso
é fácil se você tentar,
sem inferno abaixo de nós
e acima só o firmamento
Imagine todas as pessoas
vivendo para o hoje

Imagine que não há países
não é difícil de imaginar
nada pelo que matar ou morrer
e nenhum religião também
Imagine todas as pessoas
vivendo a vida em paz

Você poderá dizer que eu sou um sonhador
mas eu não sou o único
Espero que um dia você se una a nós
e o mundo vai ser como um só

Imagine nenhuma posse
eu imagino se você consegue
Sem precisar de ganância ou de fome
Uma Irmandade dos homens
Imagine todas as pessoas
Dividindo todo o mundo

Análise e interpretação da música

Toda a letra da música cria uma imagem de um mundo futuro onde haverá mais igualdade entre todas as pessoas. Nesta canção, John Lennon nos propõe imaginar uma realidade onde não existem os grandes fatores que causam conflitos: religiões, países e dinheiro.

Estrofe 1

Imagine que não há paraíso
é fácil se você tentar,
sem inferno abaixo de nós
e acima só o firmamento
Imagine todas as pessoas
vivendo para o hoje

Na primeira estrofe, John Lennon fala sobre as religiões, que usam a promessa de um céu e a ameaça de um inferno para manipular as ações das pessoas.

Assim, a música já parece abrir com algo que desafia os valores da norma: ao propor que quem escuta imagine que o paraíso não existe, parece pôr em causa as crenças da fé cristã.

Não existindo paraíso nem inferno, as pessoas poderiam viver apenas pelo presente, nesta vida, não se preocupando com o que viria depois.

Estrofe 2

Imagine que não há países
não é difícil de imaginar
nada pelo que matar ou morrer
e nenhum religião também
Imagine todas as pessoas
vivendo a vida em paz

Aqui se torna mais evidente o contexto histórico da música e a influência do movimento hippie, que vigorou em força durante a década de 60.

A crença nos valores de "paz e amor" contrastava com os conflitos que estavam devastando o mundo. Nos Estados Unidos, a contracultura questionou sobretudo a guerra do Vietnã, conflito sangrento contra o qual várias celebridades internacionais protestaram, incluindo Lennon.

Na música, o sujeito sublinha que as nações sempre foram o maior motivo para as guerras. Nesta estrofe, faz o ouvinte imaginar um mundo onde não existem fronteiras, países, limitações.

Sem guerras, sem mortes violentas, sem nações ou crenças que motivassem conflitos, os seremos humanos poderiam dividir o mesmo espaço em harmonia.

Refrão

Você poderá dizer que eu sou um sonhador
mas eu não sou o único
Espero que um dia você se una a nós
e o mundo vai ser como um só

Nesta estrofe, que se tornou a mais famosa da canção, o cantor se dirige àqueles que duvidam do que está dizendo. Embora saiba que é taxado de "sonhador", um idealista que fantasia com um mundo utópico, ele sabe que não está sozinho.
Existem, em seu redor, muitas outras pessoas que também se atrevem a sonhar com esse novo mundo e a lutar para construí-lo. Assim, convida os "descrentes" a se juntarem também, afirmando que um dia "serão um".

Tendo como base os laços de respeito e empatia entre os indivíduos, acredita ser possível um mundo de paz como ele descreve. Basta que mais pessoas consigam "imaginar" um mundo assim: a força coletiva é o fator essencial para a mudança.

Estrofe 3

Imagine nenhuma posse
eu imagino se você consegue
Sem precisar de ganância ou de fome
Uma Irmandade dos homens

Nessa estrofe, vai mais longe, imaginando uma sociedade onde não existe a propriedade, nem o amor cego e absoluto pelo dinheiro. Nesta passagem, chega mesmo a questionar se o seu interlocutor consegue conceber uma realidade assim, tão diferente daquela em que vive.
Longe da pobreza, da competição e do desespero, não haveria mais "fome" nem "ganância". A humanidade seria, deste modo, como uma grande irmandade, onde todos partilhariam o mundo em paz.

Significado da música

Apesar da letra fazer fortes críticas às religiões, às nações e ao capitalismo, ela possui uma melodia suave. O próprio John Lennon acreditava que essa melodia fez com que uma música tão subversiva fosse aceita por um grande público.

Mas para além da visão de mundo que o compositor propõe, a letra tem um poder imenso em sugerir que a imaginação é capaz de melhorar o mundo. Por mais inalcançáveis que as propostas pareçam, elas podem ser atingidas, e o primeiro passo é ser capaz de imaginar que aquilo é possível.

Contexto histórico e cultural

O final da década de 1960 e o começo da década de 1970 foram marcados por diversos conflitos internacionais, que envolviam as duas grandes potências nucleares, os Estados Unidos e a União Soviética. O longo período de tensão vivido entre esses dois países ficou conhecido como Guerra Fria.

Essa época foi muito fértil para a música e a cultura em geral. Os movimentos do anos sessenta, como a contracultura, influenciaram a música pop e revolucionaram a industria cultural. O próprio John Lennon teve um papel importante nesta mudança com os Beatles.

Protesto contra a Guerra de Vietna
Faixa com os escritos "Acabem com a guerra agora! Tragam as tropas de volta para casa", protesto contra a Guerra de Vietnã, 20/09/1969.

A juventude, principalmente norte-americana, estava se recusando a compactuar com os conflitos provocados pelos poderes políticos. Pregando o famoso mote "Faça amor, não faça guerra", protestavam nas ruas contra o conflito do Vietnã.

John Lennon e Yoko Ono: na luta pela paz

John Lennon, músico britânico e um dos fundadores da banda The Beatles, foi uma das maiores estrelas da sua época. Seu trabalho e pensamento influenciou largamente as gerações que se seguiram e Lennon se tornou um ícone incontestável da música ocidental.

Um dos aspectos da sua biografia que mais suscitam a curiosidade do público é o casamento com Yoko Ono. Yoko também era uma artista conceituada que participou de diversas vanguardas nos anos 60. Com destaque para o movimento Fluxus, que tinha propostas libertárias e politizadas para a arte.

Foi em 1964, quando fazia parte dessa vanguarda, que Yoko lançou o livro Grapefruit, grande inspiração para a composição de Imagine. Dois anos depois, o casal se conheceu e começou uma parceria amorosa, artística e profissional.

Bed In, John Lennon e Yoko Ono
John Lennon e Yoko Ono, Bed in, 1969.

A união dos dois coincidiu com a saída de Lennon dos grandiosos Beatles. Muitos fãs culparam Ono pela separação do grupo e se opuseram ao casal.

Em 1969, quando casaram, aproveitaram a atenção que estavam recebendo para protestar contra a Guerra do Vietnã. Para celebrara lua-de-mel, organizaram um happening intitulado Bed in, no qual ficaram na cama em nome da paz mundial.

Durante a performance, recebiam visitas de jornalistas e aproveitavam para discursar sobre pacifismo. Conhecidos também pelos seus contributos enquanto ativistas, fizeram outras intervenções artísticas, como espalhar outdoors com a mensagem "A guerra acaba se você quiser" por 11 cidades.

Conheça também

Carolina Marcello
Revisão por Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes (2014) e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos (2011) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.