Filme Divertida Mente


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Lançada em 2015, a animação Divertida Mente (no original Inside Out) tem como protagonista a menina Riley, que se vê obrigada a mudar de cidade com os pais.

Acompanhamos o seu processo de adaptação na vida nova e assistimos como as cinco emoções (Alegria, Tristeza, Medo, Raiva e Nojinho) regem o seu comportamento. Através de personagens lúdicos observamos o funcionamento cerebral de Riley e como ela se comporta socialmente.

Divertida Mente trata de um tema complexo (a máquina do nosso pensamento) a partir de uma abordagem singela e didática. Não por acaso, o longa-metragem recebeu os mais importantes prêmios de melhor filme de animação (Oscar, BAFTA e Globo de Ouro).

[cuidado, o texto abaixo contém spoilers]

Resumo

Riley descobre que irá se mudar de Minnesota para São Francisco por causa do trabalho do pai. A menina tem 11 anos quando toma consciência de que irá passar por essa complicada transição.

Riley enfrentará portanto duas mudanças: uma externa (de cidade) e uma interna (o fim da fase infantil para a entrada na adolescência).

Ao longo do filme acompanhamos o desenvolvimento da menina desde o momento que ela sai da barriga da mãe. Assim que a pequena bebê é segurada no colo vemos nascer também seu primeiro sentimento, a Alegria.

Logo a seguir, precisamente 33 segundos depois, aparece o Medo e a Tristeza, outros sentimentos que a acompanharão durante o seu percurso. Mais tarde se juntará a Raiva e o Nojinho, outros dois afetos essenciais que disputarão o controle da sala de comando.

Sala de comando do pensamento de Riley.
Sala de comando do pensamento de Riley com a Alegria, a Tristeza, a Medo, o Raiva e o Nojinho.

Assistimos não só o que se passa no dia-a-dia da garota como também de que forma esses sentimentos vão sendo processados. Riley é obrigada a deixar para trás o seu time de hockey (os Feras do Gelo), os amigos e a casa que tanto gostava. Seu dia-a-dia passa por uma mudança substancial.

E não se trata aqui de demonizar ou louvar algum sentimento específico, todos eles são importantes para a manutenção da saúde psíquica da menina. Percebemos rapidamente como o Medo, por exemplo, é essencial para garantir a segurança da criança.

Cada memória base é organizada de modo a moldar um aspecto da personalidade da Riley. Na menina várias ilhas coexistem: a Ilha da bobeira, da amizade, da honestidade, da família...

As ilhas de Riley.
As ilhas de Riley.

Através da animação, de forma metafórica, entendemos como se dá o nosso funcionamento interno: o trem do pensamento, o depósito de memória, as emoções complementares que se revezam ao longo das várias fases da vida.

Assistimos em Riley um pouco do que se passa dentro de cada um de nós e, ao observarmos a pequena garotinha, percebemos como também nós reagimos as situações desafiadoras que atravessam o nosso cotidiano.

Relembre os melhores momentos do filme:

Análise

O formato dos personagens

Cada emoção essencial de Divertida Mente possui um desenho específico que se relaciona diretamente com o sentimento que representa.

A Alegria, por exemplo, tem um formato corporal que nos lembra uma estrela. O Medo, por sua vez, tem os contornos de um nervo e é roxo. Nojinho é inteiramente verde e nos recorda um brócolis (comida que Riley não aprecia). A Raiva é como um tijolo: retangular, vermelho e pesado. A Tristeza tem um contorno de gota, como uma lágrima, e é azul.

Cada emoção possui um formato específico.
Cada emoção possui um formato específico.

Lições do filme

Após assistirmos a animação notamos como não existem sentimentos bons e ruins, todos os sentimentos são necessários para o nosso desenvolvimento psíquico.

Ao contrário do que nos faz crer a sociedade contemporânea, a tristeza é essencial para a nossa vida. O nojo também é importante, porque de certa forma nos protege. O medo também não deve ser desprezado porque nos mantém em segurança.

Aprendemos a partir da observação do cérebro de Riley como acontecimentos externos repercutem em nós internamente e como a nossa personalidade está intrinsecamente relacionada às nossas memórias: somos aquilo que vivemos e as memórias vão sendo armazenadas carregadas de sentimentos.

A memória e a metáfora das esferas.
A memória e a metáfora das esferas.

A memória vai sendo apagada aos poucos e a metáfora das esferas que vão desaparecendo é precisa para retratar o que se passa na nossa mente.

Não somos capazes de armazenar tudo aquilo que vivemos, por isso as recordações vão gradativamente sendo apagadas.

Um filme para adultos e crianças

Apesar de a princípio parecer um filme dirigido para a infância, Divertida Mente fala tanto para adultos quanto para crianças por ser construído a partir de múltiplas camadas de interpretação.

O longa-metragem permite que se compreenda o funcionamento do cérebro diante de situações cotidianas. Através de exemplos ilustrativos percebemos como lidamos com circunstâncias do dia-a-dia e de que forma eventos externos se processam internamente.

O roteiro do filme foi construído com a supervisão de psicólogos e neurologistas que procuraram adaptar as complexas explicações sobre o funcionamento cerebral para termos acessíveis aos leigos.

A importância de sabermos como funcionamos por dentro

O filme nos ajuda a entender o nosso funcionamento cerebral e faz com que sejamos capazes de lidar melhor com os nossos sentimentos.

A Alegria e a Tristeza assistem juntas uma memória.
A Alegria e a Tristeza assistem juntas uma memória.

Divertida Mente chama a atenção para analisarmos de forma diferente as situações e estarmos mais alerta para as conexões que fazemos. Não é raro depois de assistirmos o longa refletirmos sobre quem estará na sala de comando e quais serão os sentimentos envolvidos nas interações que temos.

Ao termos consciência de como o corpo processa o que foi vivido, entendemos melhor os nossos conflitos emocionais e respeitamos as nossas limitações internas e ao mesmo tempo que podemos escolher desafia-las.

O filme também nos ensina a importância de aceitarmos as experiências negativas porque elas são essenciais para a formação do nosso caráter.

Ficha técnica e trailer

DiretorPete Docter (diretor) e Ronnie Del Carmen (co-diretor)
RoteiristasPete Docter, Meg LeFauve e Josh Cooley
Lançamento8 de junho de 2015
Duração1h 35min
Prêmios

Oscar de Melhor Filme de Animação 2016

BAFTA de Melhor Filme de Animação 2016

Globo de Ouro de Melhor Filme de Animação 2016

Ouça a trilha sonora de Divertida Mente no Spotify

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).