Filme Corra!: resumo e interpretação


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Intitulado Get Out no original, Corra! é um filme de suspense e terror psicológico do norte-americano Jordan Peele, tratando-se do primeiro longa-metragem que ele dirigiu.

Com Daniel Kaluuya e Allison Williams no elenco principal, a obra fala sobre um jovem apaixonado que vai viajar para conhecer a família da namorada. Depois do lançamento em 2017, o longa se tornou um enorme sucesso internacional, tendo sido um dos filmes mais comentados e aclamados dos últimos anos.

Atenção: a partir deste ponto, você vai encontrar spoilers!

Resumo completo do enredo de Corra!

O filme começa com um homem afro-americano andando pela rua deserta de um subúrbio repleto de mansões. Falando com alguém no celular, ele comenta que se sente desconfortável e isolado ali por ser o único indivíduo negro.

Subitamente, aparece um carro que se aproxima cada vez mais, tocando Run Rabbit Run (Corra, Coelho, Corra), uma música lançada de 1939. Aí, ele fica com medo e começa a fugir, mas acaba sendo atacado e sequestrado.

Chris viaja para conhecer a família de Rose

Em seu apartamento repleto de imagens em preto e branco, o fotógrafo Chris está arrumando a mala para viajar e conhecer os pais da namorada. O clima entre ele e Rose é de romance, mas o protagonista está tenso e questiona se a família dela sabe que ele é negro.

Casal no começo do filme

Com um tom de ironia, menciona que é a primeira relação inter-racial da namorada e não quer ser recebido com armas pelos pais dela. Rose responde que os pais não são racistas e faz questão de referir que votaram em Barack Obama em seus dois mandatos.

Durante a viagem, a namorada reclama do vício de Chris e joga o cigarro dele fora, declarando que ele não pode fumar em casa dos pais dela. Para se despedir, o protagonista liga para o melhor amigo, Rod, que vai ficar tomando conta do seu cachorro.

Rod fica tomando conta do cachorro.

O agente da TSA (Transportation Security Administration) fala, brincando, que Chris não deveria ir porque pode ser perigoso. Logo depois, um veado atravessa a estrada e Rose acaba atropelando o animal, que morre em seguida. Quando um policial aparece, começa a implicar com Chris, que fica nervoso, mas Rose parte em defesa do companheiro.

Não permito que maltratem o meu homem!

A chegada do casal e os membros da família

Chegando na casa dos Armitage, Chris é recebido de forma afável pelos sogros que o abraçam e se mostram felizes em conhecê-lo. Missy é psiquiatra, Dean é neurocirurgião. A casa fica em um local deserto, não existem vizinhos nem movimento nas redondezas.

Pais da namorada

Georgina e Walter, a empregada e o jardineiro que trabalham por lá, são afro-americanos e se comportam de um modo estranho e até robótico. Dean explica que foram contratados para cuidar de seus pais idosos e continuaram trabalhando para a família depois de seu falecimento.

O casal pergunta sobre sua família e ele hesita, mas no final revela que foi criado só pela mãe, que faleceu quando era criança, vítima de um atropelamento. Durante a conversa, os sogros percebem que os protagonista é fumante e Missy se oferece para curar o hábito com uma sessão de hipnose, que o fotógrafo recusa.

Dean anuncia que no dia seguinte será a festa em homenagem do avô de Rose, com a visita de muitos amigos da família. Quando escuta essa frase, Georgina se revela nervosa e acaba derrubando o copo do visitante enquanto está servindo. Missy reage de uma forma brusca, mandando a funcionária descansar no seu quarto.

Chris lanchando com a família de Rose

Jeremy, o filho do casal, chega de repente: ele estuda medicina "para ser igual ao pai". Seu comportamento é extremamente arrogante e ofensivo, fazendo comentários preconceituosos sobre o cunhado e até chegando a desafiá-lo para uma luta.

Antes de irem dormir, Rose se desculpa pelas ações da família e revela estar chocada com a postura deles. Chris reage com naturalidade e responde apenas: "eu te avisei...".

Missy hipnotiza Chris durante a madrugada

Sem conseguir dormir nessa noite, o protagonista vê a porta entreaberta e resolve sair para fumar um cigarro. De repente, Walter surge correndo na sua direção e quase o derruba, mas ele desvia a tempo.

Momentos depois, ele vê Georgina se olhando no reflexo da janela e sorrindo de um modo sinistro. No corredor, ele se encontra com Missy que o convida para conversar no seu escritório.

Descobre o plano

Enquanto falam, a mulher o hipnotiza, mexendo o chá com a colher. Sem controle, ele é forçado a falar sobre a noite em que a mãe morreu. Aí, ela faz o jovem se sentir culpado por não ter acudido depois do acidente.

Chorando, Chris se sente afundando no vazio e vê o que acontece em volta ao longe, como se estivesse trancado na sua cabeça. Na manhã seguinte, acorda do lado da namorada e questiona se foi um sonho.

No entanto, quando encontra Walter que pede desculpa pela noite passada e pergunta se a sessão de hipnose foi boa, ele percebe que foi real.

A festa em honra do avô e seus convidados estranhos

É aí que Chris percebe que não tem mais vontade de fumar e fica enjoado só de ver um cigarro, algo que ele comenta com a parceira. Ela ignora o assunto e não liga para os comentários sobre a postura bizarra de Walter.

a visita à família

Quando a festa começa, Rose fala para o namorado sorrir o tempo inteiro. Os convidados, todos pessoas mais velhas, ricas e caucasianas, demonstram interesse no rapaz, mas os seus discursos são cheios de estereótipos.

Suas perguntas são cada vez mais invasivas e todos parecem objetificar seu corpo, a ponto de uma das mulheres tocá-lo sem nenhum pudor. Desconfortável, o visitante vê outro homem afro-americano ao fundo e vai falar com ele.

Logan King, como ele se apresenta, fala devagar, com um tom muito formal, e apesar de ser jovem se comporta como um homem idoso.

As pessoas do local

A conduta de Logan deixa o fotógrafo desconfiado e se questionando sobre o que está acontecendo ali. Nesse momento, ele decide se afastar da multidão e conhece Jim Hudson, um homem cego e cadeirante que também estava sozinho. Dono de uma galeria de arte, o homem conta que foi perdendo suas capacidades visuais e motoras.

No seguimento de tudo isso, Chris liga para Rod, ansioso para contar o que aconteceu. O agente fala para ele tomar cuidado com a hipnose e questiona se Georgina, Walter e Logan não foram escravizados por aquelas pessoas.

Os comportamentos incompreensíveis de Georgina e Logan

De volta ao quarto, Chris repara que deixou o celular carregando, mas alguém retirou o fio, e comenta com Rose que Georgina mexeu as suas coisas. Um pouco mais tarde, a empregada chega para pedir desculpas. O protagonista tenta conversar com ela e confessa que está nervoso com as pessoas dali.

Georgina chorando.

Georgina mantém o sorriso e defende os Armitage, enquanto as lágrimas vão caindo do seu rosto:

Essa não é a minha experiência. Eles nos tratam com família.

Quando regressa à festa, Chris é cercado pela multidão que pergunta se ser negro é uma vantagem ou desvantagem na sociedade. Procurando apoio, ele passa a questão para Logan que afirma que nunca se sentiu vítima de preconceito.

Dre / Logan sangrando do nariz.

Apesar das palavras apaziguadoras, a sua expressão é de sofrimento, tanto que o nariz começa a sangrar. Nesse momento, o visitante resolve tirar uma foto dele e, quando o flash dispara, o comportamento de King se altera.

Se lançando na direção de Chris, ele o empurra, enquanto repete, gritando:

Corra! Corra! Vá embora daqui!

Um leilão disfarçado de bingo e um velho conhecido

Logan é hipnotizado por Missy e regressa à personalidade de antes, alegando que se tratou de ataque de epilepsia. Afastados da família, Chris comenta que, durante o episódio, ficou com a impressão que conhecia aquele homem de algum lugar.

Enquanto isso, na festa, Dean conduz uma partida de bingo que parece ser, na verdade, um leilão silencioso com um retrato do visitante. É Jim Hudson, o artista cego, que vence.

Cena do leilão.

Chris está decidido a partir, mas lembra da culpa que sente por não procurado a mãe na noite de sua morte e não tem coragem de abandonar Rose ali.

Horas mais tarde, ele manda uma foto de Logan King para Rod. Ele o reconhece: é Dre, um homem que eles conheceram há anos atrás, mas está totalmente diferente.

Chris descobre o plano mas não consegue escapar

Enquanto faz a mala para ir embora, Chris começa a mexer nas coisas da namorada e encontra dezenas de fotografias. Em todas elas, Rose está posando de forma apaixonada com um homem afro-americano diferente, e numa está com uma mulher, Georgina.

É assim que ele percebe que é apenas a vítima mais recente de uma armadilha arquitetada por Rose e a sua família. Apesar das tentativas de ir embora, o fotógrafo é barrado e Missy consegue fazê-lo desmaiar apenas batendo com a colher na xícara de chá.

Missy hipnotizando com a xícara do chá

Inconsciente, ele se sente caindo num vazio, como num buraco sem fundo, e apenas consegue ver de longe o que está acontecendo. O seu corpo, por outro lado, está amarrado a uma cadeira e trancado num escritório.

Rod tenta ligar para ele várias vezes, mas o celular está desligado. Aí, resolve procurar Dre na internet e descobre que ele está desaparecido há alguns meses. Chris desperta e é forçado a assistir uma propaganda narrada por Roman, o patriarca da família.

Chris preso.

As imagens tinham sido filmadas anos antes: Rose e Jeremy ainda eram crianças e surgem acompanhando os pais e os avós. No vídeo, Roman se dirige a quem está assistindo, com entusiasmo, declarando que foi "escolhido por causa das suas aptidões físicas".

Ele anuncia também que seu espectador irá "fazer parte de algo maior": o processo Coagula, desenvolvido pela família para a ordem secreta da qual fazem parte.

Durante esse tempo, Rod continua procurando o amigo e pede ajuda para alguns detetives, que riem da situação e acham que ele está paranoico. Depois de ligar para Rose, que fala que o fotógrafo foi embora dias antes, percebe que vai ter que ir atrás dele.

Um processo chamado Coagula e a fuga de Chris

Quando volta a si, em desespero, ele vê a imagem de Jim Hudson, o dono da galeria de arte que tinha conhecido mais cedo. Ele passa a descrever o procedimento a que serão submetidos: a hipnose é a primeira fase, depois a preparação mental e, finalmente, o transplante.

Ou seja, o cérebro de Jim será colocado no corpo de Chris, mas uma parte da mente dele ficara lá. Preso no fundo da sua consciência, vai poder ver e ouvir, mas não terá controle sob si mesmo.

Chris hipnotizado,

A sua vida será como a de um passageiro. Uma audiência.

O homem sublinha que, no caso dele, não se trata de racismo: ele quer roubar o talento de Chris para a fotografia. O pânico do protagonista é tanto que ele começa a desfazer os braços da cadeira. Com o algodão que vai saindo, consegue tampar os ouvidos e, assim, resiste à próxima sessão de hipnose.

Quando Jeremy vem buscá-lo para a cirurgia, o protagonista o derruba e consegue fugir. Em seguida, para escapar, ele tem que matar Dean, Missy e o filho do casal. Durante a luta, Rose está de fones de ouvido no quarto e não consegue escutar a confusão.

Rose procurando vítimas novas

Depois de pendurar na parede as fotos das suas antigas vítimas, como troféus, ela está na internet, buscando o seu novo alvo. Contudo, quando o fotógrafo pega no carro, Georgina se joga na frente e acaba sendo atropelada. Aí, a vilã ouve o barulho do acidente e desce as escadas com uma arma.

Cenas finais do filme: Rod chega para salvar Chris

Perturbado pela morte traumática da mãe, ele não consegue deixar a mulher ferida no chão e parte com seu corpo desmaiado no banco do carro. Momentos mais tarde, ela desperta e o ataca, provocando um acidente, enquanto grita: "Você arruinou a minha casa".

Parado na estrada e ferido, o fotógrafo é atacado por Rose e Walter, a quem ela se refere com avô. Os dois homens lutam e quando Walter está vencendo, Chris consegue apontar um flash para os seus olhos e quebrar a hipnose. Nesse momento, o jardineiro pede a arma para Rose e dá um tiro em si mesmo, acabando com a própria vida.

Cena final do filme Corra!

O casal luta entre si e acaba caído no chão, tentando alcançar a arma. Percebendo que está sem saída, ela pede desculpa e fala que o ama. Quando o antigo namorado está prestes a matá-la, escutam sirenes da polícia e Rose grita, pedindo ajuda.

Chris para e coloca as mãos no alto, mas o agente que aparece é Rod. Em silêncio, o protagonista entra no veículo, visivelmente abalado por tudo que aconteceu. Já o amigo, remata com o comentário:"Eu te falei para não ir naquela casa...".

Interpretação e temas principais do filme

O suspense eletrizante criado por Jordan Peele arrebatou as atenções do público, prendendo seu olhar a cada elemento da história que vai se desenrolando aos poucos. Desde o começo, Chris demonstra preocupação com a viagem e Rod, seu melhor amigo, o aconselha a não ir.

Os vários cenários trágicos que eles imaginam, em tom de brincadeira, afinal estão bastante próximos da verdade. Aliás, vários indícios vão sendo deixados ao longo da narrativa, mas só conseguimos entender mais adiante. Deste modo, assim como o protagonista, ficamos curiosos para desvendar o mistério e seguimos angustiados durante todo o percurso.

O plano da família Armitage e suas vítimas

Depois de juntarmos as peças do puzzle, percebemos que Roman Armitage era um homem rico e poderoso que pertencia a uma ordem secreta composta por pessoas do mesmo estatuto social. Com a ajuda de Dean e Missy, ele consegue criar uma forma de prolongar a vida daqueles que tiverem meios para pagar o processo.

Rose é a responsável por encontrar as vítimas e levá-las até à casa. Embora pareça uma moça doce e até inocente, ela se revela calculista e desprovida de empatia: apenas está preocupada em defender a família e seus interesses.

Depois da morte dos avós, suas consciências foram implantadas nos corpos de "Georgia" e "Walter", dois cidadãos afro-americanos atraídos para o local pelo amor de Rose. Também Dre, que aparece na abertura do filme, foi sequestrado e submetido às vontades de Logan King, um homem idoso que estava perdendo as capacidades.

Uma metáfora sobre o racismo nos EUA

Apesar de tantos desaparecimentos em torno dos membros desta ordem, todos desfrutam de impunidade e são encarados como cidadãos exemplares. Já as preocupações de Rod com o possível sequestro do amigo são ignoradas pelos outros agentes da polícia, que as encaram como um caso de paranoia ou conspiração.

Assim, a narrativa fala de privilégios e contrastes sociais gritantes, sublinhando que aqueles que estão nas posições de poder não se incomodam de sacrificar os outros em benefício próprio.

Criado durante a ascensão do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), Corra! é um retrato crítico dos Estados Unidos da América que sublinha suas desigualdades sociopolíticas.

Peele utiliza um filme de terror para expressar o medo e os inúmeros perigos a que um cidadão afro-americano está sujeito quando vive em um país no qual a sua vida continua sendo desvalorizada. Onde o racismo, discriminação e segregação racial, que fizeram parte de sua história, continuam sendo vivenciados diariamente.

Através da conduta dos Armitage, vemos a hipocrisia de uma sociedade que finge ser progressista, mas apenas esconde o preconceito, ao mesmo tempo que perpetua a opressão.

Com vários sustos e momentos marcados por um humor macabro, o diretor traça uma sátira certeira que suscitou reflexões nos espectadores do mundo inteiro.

Os finais alternativos de Corra!

Desafiando as nossas expectativas, o filme termina bem: Rod, o fiel amigo, chega para salvar Chris. Esse fio de esperança que Jordan Peele deixou no final do longa-metragem não foi por acaso. Durante o processo de criação, eram incontáveis os protestos que estavam acontecendo pelo país, com cidadãos negros que denunciavam a brutalidade policial.

Perante as agitações sociais que estavam ocorrendo, o diretor quis passar uma mensagem positiva, de coragem, para quem estava assistindo. Contudo, ele também criou alguns finais alternativos, mais trágicos e realistas, que foram lançados no DVD do filme.

Final alternativo do filme Corra

Em um deles, Chris é encontrado por outros policiais que assumem que ele é culpado pelo assassinato da família Armitage e seus funcionários. Mais tarde, quando Rod o visita na prisão e tenta perceber o que aconteceu, ele se recusa a contar e permanece em silêncio.

Outra versão igualmente triste é aquela em que Rod chega para salvar o companheiro, mas é tarde demais. Depois de ter sido submetido ao processo Coagula, ele age e fala de forma diferente, ou seja, a "lavagem cerebral" foi bem sucedida.

Trilha sonora no Spotify

Composta por Michael Abels, a trilha sonora de Corra! enaltece a riqueza musical afro-americana. Aproveite para conferir nessa playlist que preparamos para você:

Ficha técnica do filme

Título

Get Out (original)
Corra! (no Brasil)

Ano da produção 2017
Direção Jordan Peele
Gênero

Terror
Suspense

País de origem Estados Unidos da América
Lançamento Janeiro de 2017 (internacional)
Maio de 2017 (no Brasil)
Classificação Não recomendado para menores de 14 anos
Duração 104 minutos
Elenco principal

Daniel Kaluuya
Allison Williams
Catherine Keener
Bradley Whitford

Prêmios Oscar de Melhor Roteiro Original

Aproveite para ler também:

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.