Filme A Cabana: sinopse e análise


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e pesquisadora

A Cabana (The shack) é um filme hollywoodiano lançado em 2017. O responsável pela direção é Stuart Hazeldine e o roteiro foi feito por John Fusco.

O drama é baseado no livro de mesmo nome do escritor canadense William P. Young, e teve sua primeira edição em 2007, tornando-se um best-seller.

O sucesso da narrativa talvez esteja no fato dela trazer uma história de superação, redenção e fé, sustentando-se a partir de ideias religiosas que vão ao encontro de grande parte da população que segue o cristianismo.

Atenção: esse artigo contém spoilers!

Sinopse e trailer do filme

O filme conta a história de Mackenzie Allen Phillips (Sam Worthington), um pai de família que tem sua filha raptada. Buscas são feitas, mas a garotinha nunca mais retorna.

Mais tarde, são encontrados indícios de que a criança foi violentada e morta em uma cabana no meio das montanhas. Assim, o protagonista entra em desespero e é tomado por uma severa depressão, questionando a existência de Deus.

Entretanto, um dia ele recebe em sua caixa de correio uma carta o convidando para voltar à cabana onde ocorreu a morte de sua filha. Mackenzie, mesmo receoso, vai até o local e lá conhece figuras extraordinárias, vivendo situações fantásticas que mudarão definitivamente sua vida.

Confira abaixo o trailer oficial do filme:

Análise de A Cabana

Primeira parte

No início da história é mostrado ao espectador como foi a trajetória do personagem principal, explicitando também sua personalidade.

É nesse momento que conhecemos os traumas de Mackenzie, um homem marcado por problemas na relação com seu pai e que decide ser uma referência paterna diferente da que ele teve.

Assim, o público é preparado para entender como será a experiência espiritual que o protagonista irá viver.

O acampamento e o desaparecimento

Quando Mack vai com a família até um acampamento no fim de semana, não imaginava a tormenta que estava por vir. Em um momento de desatenção, sua filha de 6 anos desaparece. Mais tarde surgem algumas pistas e sabe-se que ela foi assassinada.

filme A cabana
Mack e sua filha durante acampamento

Diante dessa tragédia, o filme apresenta um conceito discutido entre as pessoas que não possuem crenças religiosas, que é o "problema do mal", em que a ideia da existência de Deus é colocada em cheque diante da maldade que existe no mundo.

Por conta disso, Mack entra em um estado de negação, culpa e raiva, distanciando-se da religião e duvidando da fé. Sua vida e seu estado psicológico/emocional estão despedaçados, podemos perceber isso na simbologia do jardim de sua casa, bastante bagunçado.

O retorno à cabana e a Santíssima Trindade

Ao retornar à cabana onde sua filha foi morta, o personagem tem contato com uma realidade mágica. Já durante o percurso ele encontra-se com um homem bastante tranquilo e amigável que faz o papel de Jesus, interpretado pelo israelense Aviv Alush.

Nesse trajeto há um símbolo bastante claro da experiência espiritual que Mack irá vivenciar, o clima, que até então era extremamente frio, com neve e uma paisagem gélida, transforma-se em uma linda tarde ensolarada.

Assim, percebemos que a vida do protagonista começa a ganhar luz também, em um sentido psicológico.

filme a cabana
Mack em comunhão com a Santíssima Trindade

Quando chega ao destino, Mack é acolhido por Deus, apresentado na figura de uma mulher negra (Octavia Spencer).

É interessante que no filme, assim como no livro, Deus venha sob a forma de uma mulher negra, surpreendendo o público e trazendo outros olhares no que diz respeito à maneira como o divino sempre foi representado. Por conta desse fato, alguns cristãos se opuseram ao filme.

Já a figura de Espírito Santo é representada pela atriz asiática Sumire Matsubara. Assim, o "trio santo" é bastante diversificado do ponto de vista étnico, explicitando a intenção de trazer representatividade e pluralidade racial.

Os ensinamentos na cabana

Durante sua estadia na cabana, o protagonista irá vivenciar muitos momentos de aprendizado e reflexões. Todas essas lições se relacionam à ensinamentos bíblicos. Dessa forma, o filme é todo baseado em elementos simbólicos.

Nos longos diálogos com Deus e as outras figuras santas, Mack faz muitos questionamentos e aos poucos começa a entender suas dores e traumas, na busca de exercitar o perdão e estancar seu sofrimento.

Há ainda uma passagem que conta com a curta atuação da brasileira Alice Braga, vivendo o papel de Sophia, a sabedoria. Confira um pequeno trecho desse momento.

Como o filme foi recebido – críticas

Essa é uma produção voltada para um público bastante específico, podendo ser considerado um filme gospel. Assim, foi recebido bem por boa parte desses espectadores, a maioria que já havia lido o best-seller de William P. Young.

Entretanto, alguns cristãos, sobretudo os pentecostais e neo-pentecostais, se opuseram ao filme, por ele trazer a figura de Deus como uma mulher negra e Jesus como um homem de traços árabes, contrariando a visão bíblica.

Houve também críticas negativas por parte da imprensa, que considerou a produção fraca, com interpretações superficiais e sem emoção.

Ficha técnica e pôster

Filme A cabana

Título A cabana (The shack, no original)
Ano de lançamento 2017
Direção Stuart Hazeldine
Elenco Sam Worthrington, Octavia Spencer, Tim McGraw, Alice Braga, Radha Mitchell, Aviv Alush
Gênero Drama/religioso
Duração 132 minutos
País de origem Estados Unidos

Conheça também:

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, pesquisadora e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.