A biografia e as obras de Aleijadinho


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Aleijadinho (1738-1814) foi escultor e arquiteto, um dos maiores nomes das artes plásticas brasileira.

O criador fazia esculturas em pedra sabão, majoritariamente de arte sacra, além de ter dado vida a entalhes em madeira e altares de igreja.

Conheça agora as suas principais encomendas e um detalhes sobre a sua biografia.

Principais obras de Aleijadinho

Santuário do Bom Jesus de Matosinhos (em Congonhas)

É no Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, situado no morro do Maranhão, em Congonhas, que estão os doze profetas esculpidos em pedra sabão além dos passos da paixão de Cristo.

Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Via sacra do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos

Aleijadinho recebeu a encomenda em 1796 para criar esculturas da via Sacra e profetas para o Santuário. Esses trabalhos, feito pelo artista com o auxílio dos seus assistentes, são tidos até hoje como as suas obras-primas.

O conjunto arquitetônico é considerado patrimônio mundial da Unesco.

os doze profetas
Profeta Isaías, um dos doze esculpidos para o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos

Igreja de São Francisco de Assis

A Igreja de São Francisco de Assis foi arquitetada por Aleijadinho em 1766, a construção durou até metade do século XIX.

Além de assinar o projeto da igreja, o artista também foi o responsável pelo altar-mor, pelo retábulo e pela fonte.

Na igreja há dois púlpitos esculpidos em pedra sabão datados de 1771 representando quatro evangelistas (São João, São Mateus, São Lucas e São Marcos).

Igreja de São Francisco de Assis

Igreja N.Sra. das Mercês e Perdões

A construção da Igreja N.Sra. das Mercês e Perdões foi iniciada em 1775.

Aleijadinho foi contratado para trabalhar na capela-mor tendo recebido pela encomenda, segundo os registros, a importância de seis oitavas de ouro como forma de pagamento. Igreja N.Sra. das Mercês e Perdões

Chafariz do Palácio dos Governadores de Ouro Preto

O primeiro projeto individual de Aleijadinho, realizado em 1752, foi um chafariz para o pátio do Palácio dos Governadores, situado em Ouro Preto.

Chafariz para o Hospício da Terra Santa

Esculpido em 1758 com pedra sabão, o Chafariz para o Hospício da Terra Santa é tido até hoje como a primeira obra do estilo barroco tardio.

A partir desse trabalho Aleijadinho começou a atuar como autônimo, no entanto, como não podia emitir documentos comprovativos muitas obras supostamente de sua autoria são questionadas.

Biografia de Aleijadinho

Quem foi Aleijadinho?

Aleijadinho, apelido dado a Antônio Francisco Lisboa, foi um arquiteto e escultor. Ele era filho de uma escrava (Isabel) com um português (Manoel Francisco Lisboa), que se mudou para o Brasil em 1728 em busca de uma vida melhor.

O pai de Aleijadinho se casou em 1738 com a açoriana Maria Antônia de São Pedro com quem teve quatro filhos. Aleijadinho socialmente sempre foi visto como um filho bastardo.

Quando Aleijadinho nasceu?

Supostamente Aleijadinho nasceu no dia 29 de agosto de 1730 na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias (distrito de Ouro Preto).

Aleijadinho

Qual era a profissão dos pais de Aleijadinho?

O pai de Aleijadinho era arquiteto e mestre de carpintaria e a mãe era escrava.

O artista aprendeu o ofício com o pai, que esculpia em madeira figuras religiosas, suas primeiras lições foram aprendidas na oficina do progenitor. Aleijadinho também seria tido lições com o pintor João Gomes Batista.

Os preconceitos vividos por Aleijadinho

Como Aleijadinho era filho ilegítimo, quando seu pai faleceu (em 1767) ele não teve direito à herança.

Aleijadinho também sofreu por ser mestiço: como viveu numa sociedade preconceituosa não pode assinar muitas obras nem registros de pagamentos pelos seus trabalhos prestados.

A época em que Aleijadinho viveu

Aleijadinho testemunhou a época de ouro de Minas Gerais. A região de Vila Rica, vivendo na riqueza graças à mineração, ditava as modas da colônia. O criador abriu a sua oficina em 1770 e tirou proveito de um período de muita fartura que viveu a região.

Por que foi dado o nome de Aleijadinho?

A partir de 1777 surgiram sinais da doença que fizeram com que Aleijadinho ganhasse o apelido que ganhou. Ele sofreu com uma doença grave - biógrafos acreditam ter sido sífilis ou lepra, não se sabe bem -, mas a doença fez com que as mãos e os pés ficassem deformados prejudicando a sua vida e a sua rotina na oficina.

Por causa da doença, Aleijadinho teve que aprender novas formas de trabalhar. Entre 1807 e 1809 precisou mesmo fechar a sua oficina devido à saúde deteriorada.

Sua mobilidade ficou especialmente comprometida depois de ter perdido os dedos dos pés, aí então passou a trabalhar de joelhos ao chão.

Onde Aleijadinho estudou?

O rapaz foi alfabetizado com padres em Vila Rica onde também teve lições de música e latim.

Aleijadinho frequentou o internato do Seminário dos Franciscanos Donatos do Hospício da Terra Santa localizado em Vila Rica entre 1750 e 1759.

Que tipo de obras Aleijadinho produziu?

Sua produção se centrou em temas religiosos tendo produzido uma série de encomendas de arte sacra encomendadas pela igreja.

As suas peças foram produzidas para as cidades de Ouro Preto, Tiradentes, Mariana, Congonhas do Campo, Barão de Cocais, Sabará, Felixlândia, Matosinhos, Caeté e São João del Rei. Suas obras foram profundamente influenciadas pelo estilo rococó.

Como foi a vida de Aleijadinho

Com bastante encomendas, a oficina de Aleijadinho produzia imensas peças o que garantiu que o escultor tivesse uma vida confortável.

Na sua oficina trabalhavam uma série de funcionários, entre eles o próprio irmão do artista (o padre Felix Antônio Lisboa).

Como Aleijadinho produziu muito, é possível ter uma ideia do tamanho da sua equipe. Há um registro localizado na cidade de Sabará da oficina de Aleijadinho onde o escultor registrou o contrato de três oficiais e mais três aprendizes em uma obra específica.

Como e quando Aleijadinho morreu?

O artista faleceu na sua terra natal no dia 18 de novembro de 1814, aos 76 anos.

Teve o corpo sepultado no Santuário N. Sra. da Conceição, cuja construção foi feita por Manoel Francisco Lisboa, seu pai.

Biografia de Aleijadinho

A primeira biografia do escultor foi criada por Rodrigo José Ferreira Bretas em 1858, já ali o estudioso reuniu uma série de informações do autor.

Boa parte desse trabalho foi baseado numa entrevista que Joana, a nora de Aleijadinho, fez com o artista dois anos antes da sua morte.

Quantos filhos teve Aleijadinho?

Aleijadinho teve um único filho com a mulata Narcisa Rodrigues da Conceição. Ao menino deu o nome do pai - Manoel Francisco Lisboa - e ele cumpriu o seu destino: tornou-se artesão como os antepassados.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).