História e evolução da fotografia no mundo e no Brasil


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

A fotografia é uma técnica de reprodução de imagens que usa como base a luminosidade.

A luz é tão importante para a fotografia que a origem da palavra é uma junção dos termos gregos foto, que significa "luz", e graphein, que exprime a noção de escrita. Portanto, a denominação de fotografia é "a escrita com a luz".

Sua história remonta períodos da antiguidade, mas foi somente em 1826 que a primeira foto foi feita. O responsável foi o francês Joseph Niépce. Embora, no Brasil, outro francês, Hercule Florence, também criava um método fotográfico mais ou menos na mesma época.

Muitas outras pessoas contribuíram para a evolução e difusão dessa técnica que revolucionou a arte e a comunicação no mundo todo, sendo atualmente tão presente em nosso dia a dia.

História da fotografia

Os primeiros dispositivos ópticos

Ainda na antiguidade, o ser humano percebeu que a luz oferecia possibilidades de representação de imagens.

Através da observação da incidência de luz por meio de pequenos orifícios, foi verificado que imagens eram produzidas, projetadas provavelmente nas paredes das tendas e cabanas.

Assim, criou-se um mecanismo chamado de "câmera obscura", que reproduzia as imagens invertidas, sendo o precursor das câmeras fotográficas. Atribui-se a Aristóteles a invenção do equipamento, na Grécia Antiga.

câmera obscura
Ilustração de "câmera obscura"

Posteriormente, na época do Renascimento (no século XVII) passou-se a utilizar outros dispositivos de projeção com a finalidade de entretenimento ou para servirem de suporte para os artistas realizarem suas pinturas. Esses aparatos eram chamados de "lanternas mágicas".

lanterna mágica
Ilustração de cena em que se utiliza a "lanterna mágica"

A primeira fotografia do mundo

O surgimento da primeira fotografia impressa permanentemente só ocorreu no século XIX, mais precisamente em 1826. Foi nesse ano que o francês Joseph Niépce consegue gravar em uma placa de estanho a imagem do quintal de sua casa, em Borgonha, na França.

A química usada foi um material derivado de petróleo, chamado "Betume da Judeia", um elemento que endurece em contato com a luz. O tempo de duração para que a imagem se fixasse foi de 8 horas e o resultado é uma foto bastante contrastada.

primeira fotografia Niepce
A primeira fotografia da história demorou 8 horas para ser gravada em uma placa de metal

O daguerreótipo

Mais tarde, Niépce se junta a outro francês chamado Louis Daguerre e os dois continuam os experimentos. Em 1833 Niépce morre e então Daguerre assume a pesquisa, aperfeiçoando a técnica.

Ele substitui o betume por prata polida e vapor de iodo, que cria uma película de iodeto de prata muito mais sensível à luz. Tal mudança faz enorme diferença, diminuindo para minutos a fixação da imagem.

O novo invento foi chamado de Daguerreótipo e em 1839 foi apresentado à Academia de Ciências de Paris, a partir de então, torna-se acessível ao público e passa a ser um sucesso.

Acontece que esse aparelho tinha uma limitação, só permitia que fosse feita uma cópia de cada imagem.

A primeira fotografia com pessoas

Vale destacar que a primeira fotografia na qual aparecem pessoas foi realizada em 1838 por Daguerre, em Paris. Naquela época, o tempo de exposição para a fotografia ser feita levava até trinta minutos.

Por isso, nas imagens de cidades, sempre parecia que não haviam pessoas, pois elas se movimentavam, não dando tempo de serem fixadas pela câmera.

priemira fotografia com pessoas daguerre
Essa é a primeira foto em que aprecem pessoas. Repare a silhueta de dois homens no canto inferior esquerdo da imagem

Entretanto, em dada situação, um homem que estava engraxando sapatos ficou parado por mais tempo, permitindo que sua imagem e a do seu cliente fossem impressas.

O calótipo de Talbot

Foi em 1840 que o inglês Fox Talbot anuncia uma forma de negativo fotográfico que ele pesquisava desde 1834 e que possibilitava que a imagem fosse reproduzida mais vezes e impressa em papéis, era o calótipo.

Entretanto, para utilizar a invenção era preciso pagar pelos direitos de uso, o que a encareceu demais, por isso o calótipo não teve inserção em outros países, além da Inglaterra.

Evolução e popularização da fotografia

Outras pessoas contribuíram para a evolução da fotografia, como o inglês Frederick Scott Archer, responsável em 1851 pela revelação em colóide, uma chapa úmida de vidro que produzia melhores imagens.

Em 1871, outro inglês chamado Richard Leach Maddox cria uma gelatina de brometo de prata, mais sensível e que admitia ser revelada mais tarde, modernizando ainda mais o processo fotográfico. Essa técnica era a "placa seca".

Assim, em 1886, surge a Kodak, empresa do norte-americano George Eastman. A Kodak revolucionou a fotografia no mundo pois vendia câmeras e filmes em rolos a preços mais acessíveis e liberava os clientes do processo de revelação.

Kodak fotografia
Panfleto publicitário da Kodak em seus primórdios

Seu slogan era "você aperta um botão e nós fazemos o resto". A partir daí há a disseminação da fotografia em maior escala.

A fotografia em cores

A cor na história da fotografia surgiu ainda em 1861 criada pelos escoceses James Clerk Maxwell e Thomas Sutton, mas essa técnica apresentava muitas falhas.

primeira foto colorida
Fotografia tirada por James Clerk Maxwell. A primeira foto colorida não registrava bem os tons de vermelho e verde

Somente em 1908 é criada uma maneira mais fiel de fotografia colorida, quando os irmãos franceses Auguste e Louis Lumière - os inventores do cinema - desenvolvem o Autochrome.

Esse método consistia em três chapas sobrepostas onde filtros isolavam apenas uma cor primária em cada chapa e a combinação da sobreposição conferia imagens coloridas.

A digitalização da fotografia

Em 1975 é criado por Steven Sasson um protótipo da primeira câmera digital. Entretanto, a invenção não foi aceita e somente em meados da década de 80 surge a primeira câmera com sensor eletrônico que é colocada no mercado.

A empresa responsável por essa modernização também foi a Kodak, que criou uma máquina que conseguia captar e registrar milhares de pontos de luz - os pixels - e transformá-los em imagens.

História da fotografia no Brasil

O Brasil acompanhou a invenção e evolução da fotografia desde muito cedo. Aqui, ainda em 1839, chega no Rio de Janeiro o daguerreótipo e nomes como Victor Frond (1821-1881), Marc Ferrez (1843-1923), Augusto Malta (1864-1957), Militão Augusto de Azevedo (1837-1905) e José Christiano Júnior (1832-1902) se sobressaem.

fotografia de Marc Ferrez
Fotografia de pessoas escravizadas em uma lavoura de café em 1885, de Marc Ferrez

Além disso, é importante destacar o nome de Hercule Florence (1804-1879), um francês radicado no Brasil, que apesar de um pouco esquecido pela história, teve um papel importante na criação dessa técnica.

Em 1833, Florence também desenvolveu um método fotossensível por meio de uma câmera obscura. Na época, a comunicação era complicada e o pesquisador não teve contato com as invenções que ocorriam naquele mesmo momento na Europa, feitas por Niépce e Daguerre. Florence, entretanto, foi o primeiro a batizar seu experimento de fotografia.

Outro motivo importante para a difusão do procedimento em solo nacional foi o fato de o imperador Dom Pedro II ter entrado em contato com essa linguagem quando ela ainda estava nascendo.

O jovem se tornou um admirador da fotografia e passou a incentivar essa arte no país, inclusive colecionando exemplares e posando para vários fotógrafos.

Tipos de fotografias

A princípio, quando a fotografia surgiu, ela era vista de forma muito técnica, como uma ferramenta que tinha uma função clara, que era simplesmente imprimir imagens do real.

Com o tempo, a relação entre arte e fotografia foi estreitando-se e uma influenciou a outra, até que a fotografia foi se tornando também uma linguagem artística.

Então foram surgindo diversas modalidades de fazer fotográfico, dependendo do tema e da intenção que se tem, veja algumas.

Fotografia documental

A fotografia documental é aquela que busca contar uma história ou acontecimento, ou ainda representar um lugar, povo ou uma época. Pode estar atrelada à fotografia familiar, fotografia de viagens ou outras e frequentemente é confundida com o fotojornalismo.

fotografia de Dorothea Lange
Foto icônica de Dorothea Lange, Mãe Migrante (1936) durante a Grande Depressão nos EUA

Entretanto, nesse ramo, a intenção do artista é trazer a narrativa de forma mais poética e muitas vezes subjetiva, convidando o espectador a uma análise interpretativa das situações.

Fotojornalismo

No fotojornalismo, a fotografia deve ser clara e objetiva, transmitindo informações por meio da imagem. Ela deve ser mais uma ferramenta de comunicação direta, "ilustrando" as reportagens e ajudando o público na compreensão dos fatos.

fotografia de Lewis Hine
Fotografia de 1908, de Lewis Hine, mostra uma criança trabalhando em fábrica de tecelagem nos EUA. Esse é um exemplo dos primórdios do fotojornalismo

Dessa forma, o fotógrafo que atua nesse ramo, tem a missão de dar notícias usando como instrumento seu olhar, enquadramento e sensibilidade fotográfica.

Fotografia de família

A fotografia familiar está presente na vida das pessoas desde que a fotografia se tornou acessível à população. Todos buscam registrar seus parentes e amigos e, sobretudo, os filhos.

fotografia de família década de 30
Fotografia da década de 30 no interior de São Paulo

Assim, esse é um tipo de fotografia muitas vezes praticado pelo cidadão comum, uma fotografia mais descompromissada com conceitos estéticos, como enquadramento, luz e composição, e que valoriza mais a questão afetiva e o registro.

Ainda assim, muitas pessoas se descobrem verdadeiros artistas através da fotografia de família, pois enriquecem e desenvolvem o seu olhar por meio dela.

Você também pode se interessar pelos artigos Tipos de Arte e Sebastião Salgado: fotos impactantes que resumem a obra do fotógrafo.

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.