Beleza Americana: análise e resumo do filme


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Dirigido por Sam Mendes, Beleza Americana é um filme norte-americano de drama, lançado em 1999, que arrebatou os corações do público. Um enorme sucesso entre os críticos, o longa-metragem venceu o Oscar de 2000 em diversas categorias, com destaque para Melhor Filme e Melhor Diretor.

Acompanhando a rotina de um grupo de cidadãos comuns, a trama retrata uma família em processo de ruptura.

O casamento de Lester e Carolyn é um mar de frieza e discussões. De repente, ele começa a fantasiar com Angela, uma adolescente que é amiga da sua filha. Daí em diante, o protagonista faz grandes mudanças na sua vida que acabam de um modo trágico.

Atenção! A partir deste ponto, você vai encontrar spoilers!

Personagens principais e elenco

Lester Burnham (Kevin Spacey)

Homem de meia-idade, usando terno e gravata.

Lester é um homem de meia-idade, frustrado com a vida. Está cansado da rotina que leva, do casamento sem paixão e do trabalho sem futuro. Para piorar, a sua relação com Jane, a única filha, vai piorando a cada dia. Tudo se altera de repente, quando ele conhece Angela, uma adolescente por quem desenvolve uma enorme paixão.

Angela Hayes (Mena Suvari)

Adolescente loira, usando um casaco branco

Angela é amiga de Jane e líder da torcida no colégio. A jovem bonita, talentosa e confiante, percebe os problemas que existem no casamento de Lester. Rapidamente, conclui que o pai da colega de escola está apaixonado por ela e se diverte com esse facto.

Carolyn Burnham (Annette Bening)

Mulher de meia-idade, com uma expressão zangada, segurando um copo.

A esposa de Lester é uma corretora de imóveis extremamente dedicada ao trabalho, que adota uma postura fria e crítica com a própria família. Insatisfeita com a aparência da filha e com os comportamentos do marido, ela não os poupa de comentários ácidos. Apesar de seus esforços para manter a união, todos parecem se distanciar cada vez mais.

Jane Burnham (Thora Birch)

Garota adolescente, de cabelos escuros, segurando uma máquina de filmar.

Jane é a filha adolescente de Lester e Carolyn que manifesta comportamentos de revolta e rebeldia próprios da idade. Desapontada com a família e a falta de união cotidiana, ela vai fomentando um sentimento de ódio pelo pai.

Ricky Fitts (Wes Bentley)

Homem jovem, de cabelos castanhos, com uma expressão de choro e revolta.

Ricky é o novo vizinho da família, que acabou de se mudar para aquela região. Um jovem de comportamentos bizarros, fruto da educação militar e repressora do pai, ele fica obcecado com a vida de Lester e seu clã. Pouco tempo depois, ele e Jane se apaixonam.

Frank Fitts (Chris Cooper)

Homem de meia idade. com expressão sinistra

Antigo militar, Frank é o pai repressor de Ricky e vizinho de Lester. Um homem com ideias extremistas e preconceituosas, ele é agressivo com a família e seus comportamentos se tornam cada vez mais irracionais, dando origem a uma verdadeira tragédia.

Análise: temas e simbologias fundamentais

Beleza Americana é um filme protagonizado por figuras que, até certo ponto, levam vidas privilegiadas. Pertencendo a uma classe social com boas condições econômicas, habitam uma região tranquila, têm casas e veículos confortáveis. Contudo, quando observadas de perto, estas personagens escondem problemas, inseguranças e segredos.

Poderíamos, à partida, dizer que a trama narra a crise de meia idade de Lester Burnham, um homem tão focado em si mesmo que nem consegue enxergar o caos que o rodeia e o perigo se aproximando.

No entanto, existem outras histórias que se cruzam e enriquecem este enredo. O longa-metragem fala de vontades e verdades ocultas, de uma vida interior que existe longe dos olhares alheios. Abordando o sofrimento humano, se foca também na beleza que existe nos pequenos detalhes que tantas vezes ignoramos.

Significado das rosas vermelhas no filme

Sinônimo de beleza e romance, retratadas na arte ao longo dos séculos, as rosas vermelhas são um elemento que se repete do começo ao final da narrativa.

Embora a sua simbologia seja um dos pontos-chave para compreender o filme, é necessário esclarecer que estas flores podem ser interpretadas de várias formas, tendo diferentes valores para os personagens.

Carolyn cortando rosa vermelha

Logo no começo, Carolyn está cuidando das rosas na fachada da sua casa, quando os vizinhos passam e elogiam o jardim. Para ela, trata-se de um símbolo de sucesso: a mulher quer impressionar aqueles que a rodeiam.

Presentes em quase todas as cenas, as rosas estão espalhadas pela casa da família; se tornam um elemento comum, no qual eles nem reparam mais. Podemos entendê-las como a representação de uma beleza exterior e superficial, associada à necessidade de passar uma falsa ideia de perfeição ao resto do mundo.

Já para Lester, parecem simbolizar desejo e paixão. As suas fantasias com Angela estão sempre associadas às pétalas: saindo da blusa dela, caindo do teto, na banheira onde a jovem está deitada, etc.

Contrastando com os espinhos que ferem Carolyn quando está cortando as flores, a figura de Angela remete apenas à delicadeza das pétalas. Se uma representa a realidade, a outra se torna uma figura idealizada, um sonho.

Lester sendo coberto por pétalas de rosa vermelhas

Na mente dele, também surgem como um recomeço, uma vida nova capaz de recuperar o entusiasmo da adolescência. Tornam-se, então, um símbolo da juventude perdida e da passagem do tempo.

Quando Lester é assassinado por Frank, existe um vaso com rosas vermelhas em cima da mesa. Assim, elas também podem sugerir um movimento cíclico: nascem, vivem em todo o seu esplendor e depois morrem.

Finalmente, American Beauty é o nome de uma espécie de rosas. Isto parece confirmar a teoria de que todos os personagens podem ser comparados a flores que brotam e depois murcham, com o tempo.

Família, repressão e aparências

O núcleo familiar dos Burnham é tudo menos harmonioso: Lester e Carolyn não se entendem e Jane se ressente com as atitudes dos pais. Desiludidos um com o outro, sem amor nem compreensão, o casal se tornou radicalmente diferente.

As discussões são constantes e ele se sente menosprezado pelas duas, encarado como um idiota. Com ambos vivendo segundo as regras restritas de Carolyn, Jane assume uma conduta gradualmente mais revoltada e confusa.

Família de Lester sentada na mesa, jantando.

Lester também se sente preso á rotina e suas obrigações. Cansado do trabalho e do casamento sem amor, ele se encontra totalmente desmotivado. Como se estivesse paralisado no tempo, fala que se sente "sedado" e aborrecido com aquilo tudo.

A esposa, por outro lado, quer projetar uma imagem inabalável de sucesso. Tenta fingir que a sua família é tranquila e feliz, escondendo a frustração que sente perante o marido e a filha. O jeito como vivem contrasta, em tudo, com um retrato do passado, onde aparecem sorrindo.

Quando começam a ponderar o divórcio, conversam sobre a paixão que viveram no passado e se questionam o que aconteceu com eles. Mesmo sem intimidade ou entendimento, continuam juntos, talvez porque seja isso o que sociedade espera deles.

Lester sentado numa poltrona e Carolyn, de pé atrás dele, brigando.

Perante a falta de interesse que sentem um pelo outro, se afastam totalmente e acabam se interessando por outras pessoas. A indiferença é tanta que, mais tarde, o protagonista confessa ao vizinho que está sendo traído pela mulher e não se importa com isso:

O nosso casamento é só de fachada, um comercial para mostrar o quão normais nós somos. E nós somos tudo menos isso...

Perante este cenário, Jane é uma jovem carente e insegura, desiludida com os progenitores, que deveriam ser seus maiores exemplos. Quando começa a ser perseguida e filmada por Ricky, ela não o rejeita. Pelo contrário, os jovens começam a se relacionar e trocam confissões sobre as suas famílias.

A adolescente chega mesmo a confessar ao namorado que sente vergonha de Lester, pela sua paixão óbvia por Angela, e deseja que ele esteja morto. Já o seu parceiro tem uma vida secreta, longe do olhar controlador de Frank, um pai violento. A mãe dele, por seu lado, apresenta um conduta passiva e catatônica perante o marido.

Ricky caído no chão, sendo agredido pelo pai.

O casamento deles também não é feliz ou saudável, mas é mantido para cumprir as expectativas sociais. Além de agredir o filho por diversas vezes, o homem chega a expulsá-lo de casa quando acha que Ricky tem um caso com o vizinho. Na verdade, o comportamento homofóbico do militar esconde um segredo: ele sente atração por outros homens.

Por ser extremamente retrógrado e preocupado com a sua imagem os demais, ele vive escondendo a sua sexualidade. A sua conduta é de ódio por si mesmo e pelo resto do mundo. Quando Ricky o acusa de ser "um homem velho e triste", algo parece despertar dentro dele.

É aí que Frank ganha coragem e tenta beijar Lester. No entanto, perante a rejeição e o medo de ser descoberto, o militar acaba surtando e mata o protagonista.

Desejo como motor de transformação

Face a uma vida tão frustrante e cheia de normas, a paixão imediata e arrebatadora surge como uma solução mágica e irreal para os problemas. Quando Lester vai assistir uma apresentação de dança da filha, por insistência da esposa, vê Angela pela primeira vez. Na mente dele, a adolescente estava dançando na sua direção, como se pretendesse encantá-lo.

A partir desse momento, o protagonista não consegue esconder a atração que sente pela jovem. A moça fica lisonjeada com a atenção do homem mais velho, procurando oportunidades de se aproximar e conversar com ele.

Acostumada a ser tratada assim pelo gênero masculino desde cedo, ela acredita que isso poderá ajudá-la a subir na vida. Embora Angela tente agir como uma adulta, em busca da validação dos outros, ela é mais inocente e vulnerável do que pensa.

Angela deitada numa banheira com pétalas vermelhas e Lester do lado de fora.

Quando escuta uma conversa entre as duas, Lester descobre que o seu interesse amoroso é correspondido. É então que fica mais focado na imagem do que nunca: começa a fazer exercício regularmente e até compra o carro esportivo dos seus sonhos.

Como se pudesse, por momentos, voltar à adolescência, ele recupera a confiança que tinha perdido. Refletindo sobre a capacidade de surpreender a si mesmo, muda seu jeito de agir e até trava amizade com Ricky, um jovem para lá de suspeito.

Assistindo aos comportamentos irresponsáveis do marido, Carolyn sente que a relação se perdeu de vez. Na sequência, ela acaba se envolvendo com Buddy, um rival de profissão que vê o mundo de um jeito parecido com o seu.

Carolyn e amante, dentro de um carro, sendo flagrados

Com o amante, a mulher aprende a disparar armas e passa a carregar uma. No entanto, a felicidade temporária acaba quando são flagrados por Lester; Buddy decide fugir do escândalo e terminar o caso extraconjugal.

Incapaz de lidar com a dupla rejeição, ela perde a cabeça e volta para casa armada. Pelo caminho, vai escutando uma fita motivacional e repete a mesma frase: "você só é uma vítima se escolher ser uma". A cena sugere que, para evitar o divórcio e a humilhação pública, está disposta até a matar.

Ao contrário dos pais, Jane não se importa tanto com a opinião das outras pessoas. Ainda que todos julguem Ricky e que Angela o chame de louco, a garota se mostra aberta a conhecê-lo verdadeiramente.

jane deitada na cama e Ricky, de pé, filmando ela.

Quando repara que o vizinho a filma após sair do banho, não se assusta nem tenta fugir. O mesmo acontece na noite em que Ricky escreve o nome dela, com fogo, no jardim. Seus gestos, ainda que incompreensíveis para os demais, acabam conquistando o amor dela.

No final, ignorando os conselhos da amiga, Jane decide fugir com o namorado, na esperança de começar uma nova vida, longe de tudo aquilo que conhece.

Vida e morte: reflexão final

O filme começa com uma revelação perturbadora de Lester: em menos de um ano, ele irá morrer. Em seguida, declara que a vida que levava até ali também era, de alguma forma, uma espécie de morte. Sabemos desde o começo que a sua trajetória de insatisfação e mudança é uma mera corrida contra o tempo.

Consciente de que o protagonista encontrará o seu fim a qualquer momento, o espectador é convidado a procurar as razões ou os possíveis culpados. No entanto, o desenlace mostra que o seu falecimento talvez fosse inevitável: se Frank não o assassinasse, era provável que Carolyn o fizesse.

Por tudo isto, também podemos considerar que Beleza Americana fala sobre a morte como algo incontornável, ao qual nenhum de nós pode escapar. Lester sente o peso dos anos e tenta, inutilmente, voltar aos tempos da juventude. Ele se demite do trabalho, se afasta das responsabilidades, recupera hábitos do passado e até se apaixona por uma adolescente.

Contudo, a sua realidade não muda e ele nem sequer consegue consumar o desejo que sente por Angela. Quando a jovem confessa que é virgem, o protagonista tem um momento de lucidez e percebe o erro que está cometendo.

Lester sorrindo na cozinha.

É então, quando se senta e fica olhando um retrato antigo de família, reconhecendo que não pode mudar o curso natural das coisas, que Lester é assassinado. A última expressão no seu rosto se assemelha a um ligeiro sorriso.

No monólogo final, revela tudo aquilo que viu durante seus últimos segundos na Terra. Não foi em dinheiro, poder ou luxúria que ele pensou. Sua mente foi invadida por memórias de infância, estrelas cadentes, lugares onde costumava brincar, lembranças de momentos com a família.

Lester confessa que está grato por cada segundo da sua "vidinha idiota", sublinhando a existência de tantas coisas belas no mundo. Esta concepção de beleza não parece ser mais superficial ou ligada aos padrões da sociedade: trata-se da beleza que existe nos menores detalhes, como um saco plástico voando no vento.

Por fim, termina o seu discurso anunciando que, um dia, o espectador saberá do que ele está falando. Fica, assim, um lembrete do personagem para aqueles que assistem: a vida está passando e precisamos ter cuidado com aquilo que valorizamos, porque pode não significar nada, no final.

Resumo do enredo

Início

Lester é um homem de 42 anos que começa por apresentar a sua casa e a sua família ao espectador, anunciando que vai morrer em menos de um ano. Casado com Carolyn, ele também é pai de uma adolescente chamada Jane.

À primeira vista, trata-se de uma família comum que vive nos subúrbios norte-americanos. No entanto, logo começamos a perceber que existem enormes conflitos entre eles. O casal discute por coisas triviais e os dois parecem ter condutas muito diferentes: enquanto ela é obcecada com o sucesso, ele está desmotivado com a carreira que escolheu.

Criticado pela esposa, ele também é tratado com desprezo pela filha, que está cada vez mais revoltada com as brigas entre os progenitores, se afastando gradualmente deles. Em frente da casa, mora um jovem chamado Ricky, que acabou de se mudar para aquele bairro e tem o estranho hábito de espiar e filmar todo mundo.

Desenvolvimento

Quando vai assistir a um evento na escola de Jane, o protagonista vê Angela pela primeira vez. A adolescente, uma das melhores amigas da garota, está dançando de um jeito que ele considera sensual, despertando fantasias no pai de família. Incapaz de esconder o que está sentindo, logo começa a demonstrar interesse pela moça. Jane, que percebe tudo, fica enojada com as atitudes do pai.

Angela, por outro lado, acha a paixão do homem mais velho engraçada e passa a alimentá-la, com elogios ao pai da amiga. Lester, feliz com a atenção, sofre uma verdadeira (e súbita) transformação. Primeiro, ele se mostra mais preocupado com a forma física, fazendo exercício com regularidade. Aos poucos, age de forma mais confiante junto da família, passando a contrariar as regras da esposa.

É durante um evento de trabalho de Carolyn que conhecemos o seu maior competidor, por quem a mulher revela ter uma paixão secreta. Apesar dos esforços dela para manter as aparências, Lester acaba se distanciando e encontra Ricky, o vizinho, que estava trabalhando como garçom. Na sequência, o jovem confessa que vende maconha e os dois se escondem para fumar.

O adulto passa a ser cliente de Ricky; enquanto isso, Jane também conhece o estranho vizinho que sempre a observa. Embora Angela afirme que ele é um louco, o interesse da amiga por ele começa a crescer. A família de Ricky também é incomum: a mãe está sempre apática e o pai, um antigo militar, é violento e repressor.

Carolyn tem um encontro escaldante com Buddy e os dois passam a viver um caso extraconjugal. O marido dela, por seu lado, se despede do emprego e passa a trabalhar num restaurante de fast food na região, onde tinha conseguido o mesmo trabalho, décadas antes. É lá que ele acaba assistindo a um encontro entre a mulher e o seu amante, confrontando os dois na hora e declarando que o casamento terminou.

Final do filme

O amante dela, para evitar escândalos, coloca um ponto final no romance. Desesperada, a mulher volta para casa com uma arma. Enquanto isso, Ricky visita Lester e os dois se escondem para consumir substâncias. O pai do adolescente, que está espiando pela janela, pensa que se trata de um encontro íntimo. Homofóbico e agressivo, ele bate no filho e resolve expulsá-lo de casa.

Aí, o militar bate na porta do vizinho e chora nos seus braços. Em seguida, tenta beijar o protagonista, que o rejeita de forma amigável. Ricky e Jane decidem fugir juntos e Angela tenta impedi-los, começando uma briga acesa. Magoada com aquilo que escuta do casal, ela desce até à sala e encontra o pai da amiga.

Depois de uns segundos de conversa, os dois se beijam e começam a se envolver, mas o momento é interrompido quando Angela declara que ainda é virgem. Tomando consciência do seu erro, o adulto pede desculpa e consola a adolescente, que começa a chorar. Sentado na mesa da cozinha, ele olha um retrato antigo da família, quando Frank dá um tiro na sua cabeça, pelas costas.

Nos momentos finais, assistimos a um monólogo do protagonista acerca do "filme" que passou na cabeça dele antes de morrer. Revisitando as suas memórias, também podemos conhecer as suas reflexões acerca de tudo que viveu até ali.

Cartaz e ficha técnica do filme

Umbigo feminino e mão pousada logo abaixo, segurando uma rosa vermelha

Título:

American Beauty (original)
Beleza Americana (no Brasil)

Ano da produção: 1999
Dirigido por: Sam Mendes
Gênero: Drama
Data de lançamento: setembro de 1999 (EUA)
fevereiro de 2000 (Brasil)
Classificação: Maiores de 18 anos
Duração: 121 minutos
País de origem: Estados Unidos da América

Aproveite para ver também:

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.