Quadro O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

O quadro O Nascimento de Vênus, criado entre 1482 e 1485, é de autoria do pintor italiano Sandro Botticelli (1445-1510).

A tela é um ícone incontornável do Renascimento.

O nascimento de Venus

Antes de criar essa tela, Sandro Botticelli costumava pintar cenas bíblicas. Foi depois de uma viagem à Roma, onde esteve exposto à muitas obras da cultura greco-romana que, no regresso à casa, inspirado pelo que viu, começou a pintar cenas baseadas na mitologia.

O quadro O Nascimento de Vênus foi encomendado por Lorenzo di Pierfrancesco, uma figura importante na sociedade italiana. Lorenzo atuava como banqueiro e político e encomendou com Botticelli uma peça para decorar a sua casa. O resultado dessa encomenda, produzida entre 1482 e 1485, foi a obra hoje considerada um cânone da pintura ocidental.

Principais elementos presentes em O Nascimento de Vênus

O nascimento de Venus

1. Vênus

Nua, no centro da tela, Vênus faz um gesto pudico para esconder a sua condição despida. Enquanto a mão direita tenta cobrir os seios, a mão esquerda está ocupada procurando resguardar as partes íntimas.

A luz que recebe ressalta a sua beleza clássica, pura e casta e enfatiza ainda mais as suas curvas. Seu extenso cabelo ruivo se enrola ao longo do corpo como uma espécie de serpente e a protagonista faz uso de uma mecha para ocultar o seu sexo.

2. Os deuses do vento

A esquerda da tela estão abraçados, unidos, o deus do vento Zephyrus e uma ninfa (acredita-se que seja Aura ou Bora), que ajudam a protagonista Vênus assoprando em direção à terra.

Enquanto eles assopram, assistimos o cair das rosas. As rosas, segundo a mitologia, nasceram quando Vênus pôs o pé em terra firme e fazem referência ao sentimento do amor.

3. Deusa da Primavera

Do lado direito do quadro está a Deusa Primavera, a espera de Vênus para cobri-la e protegê-la com um manto florido. Ela representa a renovação e tudo aquilo que floresce durante a primavera.

4. A concha

A concha presente na obra-prima de Botticelli simboliza a fertilidade e o prazer. O formato da concha remete ao sexo feminino. Ela costuma ser considerada também o símbolo do batismo.

Características renascentistas em O Nascimento de Vênus

Para compor a sua tela, Botticelli buscou inspiração na antiguidade clássica.

Assim como em outras obras renascentistas, fica evidente aqui a influência da cultura greco-romana e a referência à cultura pagã (aliás, de modo geral durante esse período histórico é possível afirmar que os artistas italianos foram com frequência beber na cultura pagã). Nesse sentido, o Renascimento promoveu uma verdadeira revolução se pensarmos no quesito das influências.

Em termos de forma, almejava-se harmonia e a composição de uma beleza clássica, fatores que podem ser observados na perfeição da construção do corpo de Vênus.

A valorização da natureza é também outro elemento característico do movimento que se faz ver na tela pintada por Botticelli.

O quadro apresenta igualmente duas conquistas do Renascimento: a elaboração da técnica da perspectiva e da profundidade. Observamos como a protagonista do quadro se encontra enorme, em primeiro plano, quando comparada com a paisagem do oceano ao fundo.

Análise detalhada

Botticelli, um artista inovador

Botticelli pode ser considerado um artista arrojado e progressista sob muitos pontos de vista. Ele foi o primeiro a pintar uma mulher nua que não fosse Eva, num gesto bastante polêmico para a sua época.

Foi também dos primeiros artistas a pintar quadros mitológicos, que faziam um elogio à cultura pagã, iniciando uma verdadeira renovação no período do Renascimento.

Não satisfeito por quebrar tantos paradigmas, Botticelli foi ainda dos primeiros criadores a pintar quadros sobre tela na Toscana. Até então as imagens eram costumeiramente pintadas na parede ou sobre madeira.

Sobre o título da pintura

Apesar do título induzir o observador a acreditar no evento descrito, Botticelli não pintou propriamente o nascimento da Vênus, mas sim a continuação do mito, quando a Deusa foi impulsionada sobre uma concha com a ajuda dos ventos para alcançar a ilha de Chipre.

Movimento no quadro

O quadro O Nascimento de Vênus é marcado por uma noção de movimento que pode ser observada a partir de uma série de elementos.

Repare, por exemplo, nos cabelos da musa, nas pregas dos vestidos, no manto florido e nas rosas que caem a partir do sopro. Através do uso da técnica, Botticelli é capaz de transmitir para o observador a sensação de agitação.

O pano de fundo da tela

O segundo plano da tela idealizada por Botticelli é riquíssimo. Observe a série de detalhes que o pintor introduz no seu trabalho: o mar apresenta escamas, o chão verde presente na costa parece um tapete de relva e as folhas das árvores têm não usuais detalhes dourados.

A paisagem sublinha a beleza de Vênus e chama a atenção para o seu protagonismo.

Inspiração

Certamente uma das inspirações do pintor italiano foi a estátua grega Vênus Capitolina, uma escultura da Antiguidade que aparece na mesma posição que a Vênus de Botticelli.

Vênus Capitolina
Vênus Capitolina teria servido de inspiração para a composição da musa de Botticelli.

Supõe-se também que a protagonista da tela seja inspirada em Simonetta Cattaneo Vespúcio, esposa de um rico comerciante e ícone de beleza de Sandro Botticelli e de uma série de artistas renascentistas.

Informações práticas do quadro O Nascimento de Vênus

Nome no original Nascita di Venere
Dimensões 1,72 m x 2,78 m
Ano de criação entre 1482 e 1485
Onde se encontra Galleria degli Uffizi (Florença, Itália)
Técnica têmpera sobre tela
Movimento artístico a que pertence Renascimento

Quem foi Sandro Botticelli

Nascido no dia 1 de março de 1445, Alessandro di Mariano di Vanni Filpepi, conhecido no meio artístico apenas como Sandro Botticelli, viria a se tornar um dos maiores nomes do Renascimento italiano.

O artista era filho de um curtidor de peles e, quando tinha 17 anos, foi apresentado ao já celebrado artista italiano Filippino Lippi, que viria a se tornar seu mestre. Assim começou a carreira do pintor.

Autorretrato de Sandro Botticelli.
Autorretrato de Sandro Botticelli.

Em 1470 o artista ganhou algum reconhecimento e passou a servir à famosa família Médici, das mais importantes da Itália.

No princípio da carreira Botticelli produziu telas religiosas e de cunho bíblico, com o tempo passou a receber uma maior influência da cultura greco-latina e produziu obras de arte com motivos pagãos.

Sandro Botticelli assinou obras-primas como O Nascimento de Vênus, A Adoração dos Magos e A Tentação de Cristo.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).