Frase O Estado sou eu


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

A oração "O Estado sou eu" (no original “L’État c’est moi", em inglês "I am the State") é atribuída ao Rei Luís XIV (1638-1715).

Também conhecido como Rei-Sol (no original le Roi Soleil), Luís XIV governou a França e Navarra entre 1643 e 1715.

A frase proferida traduz o espírito de um período histórico onde havia uma centralização total do poder na figura do Rei.

Significado da frase

O raciocínio por trás da frase condensa a lógica da monarquia absolutista. Estava nas mãos do Rei o controle de todos os aspectos fundamentais do seu território: a segurança, a manutenção das contas do governo, os acordos internacionais, a gestão do espaço público, a logística da guerra, etc.

Em síntese, todas as decisões fundamentais eram canalizadas para o Rei. Tudo o que era relevante para o governo da França e Navarra estava sob a sua autoridade. No fundo, Luís XIV personificava o auge do poder que se poderia ter no contexto europeu.

A frase completa em questão teria sido:

“Je suis la Loi, Je suis l'Etat; l'Etat c'est moi"
(Eu sou a Lei, eu sou o Estado; o Estado sou eu!)

Luís XIV, suposto autor da frase, acreditava na tese da origem divina do poder real.

Para se manter como autoridade máxima, ele fez pactos com a emergente burguesia francesa e diminuiu, o quanto conseguiu, o poder da nobreza. Essa equação sabia e poderosa fez com que o Rei se mantivesse no poder por mais de sete décadas.

Contexto da frase

Supostamente a oração “L’État c’est moi" teria sido dita por Luís XIV no dia 13 de abril de 1655 durante uma sessão no Parlamento francês.

O desejo do Rei era sublinhar diante dos parlamentares, durante uma discussão acalorada, que o poder estava única e exclusivamente nas suas mãos apesar das discordâncias levantadas naquela casa.

No entanto, não há qualquer registro formal do Parlamento que garanta que a frase teria sido efetivamente dita. Por esse motivo, uma enorme parcela de historiadores coloca em causa a sua real autoria.

Quem foi o rei Luís XIV?

Luís XIV nasceu no dia 5 de setembro de 1638. Reinou durante mais de sete décadas ininterruptas e acreditava veementemente na teoria do direito divino que lhe concedia poder total e absoluto para gerir a França e Navarra como julgasse mais adequado.

Luís XIV recebeu o poder da mãe (o governo de então passava por um período de regência da Rainha) quando tinha apenas cinco anos de idade tendo assumido o controle definitivo do território nacional em setembro do ano de 1651.

Luís XIV iniciou o seu reinado aos 16 anos.
Registro de Luís XIV na juventude.

Adepto fanático da monarquia, Luís XIV, Rei da França e Navarra, não tinha qualquer dúvida que esse era o melhor sistema para se governar um país.

Para se ter uma ideia da importância do rei Luís XIV para a história da França convém lembrar que ele foi o autor de obras faraônicas como o Palácio de Versalhes (mandado construir em 1664). A obra é, por sinal, uma suntuosa demonstração do poder absolutista.

O seu governo também foi conhecido pela prosperidade e pela proliferação das colônias francesas. Na Europa, o período marcado pelo absolutismo monárquico compreendeu o princípio do século XVII até o final do século XVIII (o marco de encerramento foi a Revolução Francesa, iniciada em 1789).

Vaidoso, Luís XIV era famoso por fomentar um enorme culto à sua própria personalidade.

O monarca morreu no dia 1 de setembro de 1715, aos setenta e sete anos.

Outra frase também consagrada teria sido dita pelo Rei em seu leito de morte:

"Je m'en vais, mais l'État demeurera toujours".
(Eu saio, mas o Estado sempre permanecerá.)

Luís XIX teria sido o autor da famosa frase 'O Estado sou eu'.
Luís XIV teria sido o autor da famosa frase "O Estado sou eu".

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).