Poema As Borboletas, de Vinicius de Moraes


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Publicado em 1970 pelo poeta Vinicius de Moraes (1913-1980), o poema infantil As Borboletas foi posteriormente musicado e faz parte do disco A Arca de Noé, feito em parceria com os grandes amigos Toquinho e Rogério Duprat.

Descubra abaixo o poema na íntegra, tenha acesso a uma análise, conheça o seu contexto de publicação e desvende um pouco sobre a biografia de Vinicius de Moraes.

Poema As Borboletas

Brancas
Azuis
Amarelas
E pretas
Brincam
Na luz
As belas
Borboletas.

Borboletas brancas
São alegres e francas.

Borboletas azuis
Gostam muito de luz.

As amarelinhas
São tão bonitinhas!

E as pretas, então...
Oh, que escuridão!

Análise do poema As Borboletas

A característica mais importante imputada às borboletas no poema de Vinicius de Moraes é a cor. Logo no princípio do poema o eu-lírico lista as cores dos insetos destacando o aspecto visual. A cor é, portanto, o elemento distintivo que separa os animais em categorias: as brancas, as azuis, as amarelas e as pretas.

O leitor não saberá ao longo dos versos mais nenhum detalhe sobre as criaturas, apenas que elas se diferenciam umas das outras pela tonalidade e que partilham os mesmos gostos (todas brincam na luz, são alegres e francas).

As borboletas são, portanto, caracterizadas pelo seu tipo físico. É importante sublinhar que o poema não é baseado propriamente em uma ação (nada de especial acontece ao longo dos versos), mas sim em uma descrição. Uma peculiaridade: é curiosa a escolha o uso do verbo brincar, atribuindo características humanas aos insetos sublinhando um aspecto lúdico da composição. Dessa forma as borboletas parecem se aproximar das crianças.

Sobre a forma do poema

Em termos sintáticos os versos são construídos apoiados basicamente em substantivos e adjetivos. Há também um notável emprego da repetição que proporciona um jogo de sons.

Aliás, o uso de rimas é empregado de modo a gerar um efeito de musicalidade - repare como brancas rima com francas, azuis rima com luz, amarelinhas rima com bonitinhas, então rima com escuridão. Essa estratégia facilita a memorização por parte da criança.

Escute o poema As Borboletas

Prefere ouvir o poema? Então confira os versos de As Borboletas na voz de Gal Costa.

Sobre a publicação do poema

As Borboletas, publicado em 1970, foi musicado posteriormente e pertence à obra A Arca de Noé, voltada para o público infantil.

Os poemas para crianças foram feitos inicialmente para Susana (1940), Pedro (1942), Georgiana (1953) e Luciana (1956), filhos do próprio poetinha. Muito desse material dedicado aos mais novos foi parar na gaveta até ser desenterrado anos mais tarde por Vinicius de Moraes.

Não se sabe propriamente se As Borboletas foi escrito durante a infância dos filhos do poeta e ficou arquivado ou se foi uma criação mesmo composta em 1970, ano da sua publicação.

O disco L’Arca – Canzoni per Bambini, di Vinicius de Moraes, que contém As Borboletas, foi lançado inicialmente na Itália. A gravação foi realizada em parceria com o argentino Luis Enríquez Bacalov (1933), que assumiu a direção de orquestra do LP.

L’Arca
Capa do disco italiano L’Arca.

Posteriormente a criação musical que fez enorme sucesso no exterior chegou ao Brasil musicada por Rogério Duprat e Toquinho.

Em 1970 o livro Arca de Noé foi lançado no nosso país.

Arca de Noé
Capa da primeira edição do livro Arca de Noé lançado no Brasil em 1970.

Ouça A Arca de Noé no Spotify

Saiba mais sobre Vinicius de Moraes

Conhecido popularmente como poetinha, Vinicius de Moraes nasceu no Rio de Janeiro e se tornou um dos maiores nomes da literatura brasileira.

Compositor, poeta, dramaturgo e diplomata, Vinicius é autor de uma série de clássicos como Garota de Ipanema e Chega de Saudade. Em termos musicais ele foi dos maiores nomes da Bossa Nova.

Vinicius de Moraes
Retrato de Vinicius de Moraes.

Formado em Direito pela Faculdade Nacional do Rio de Janeiro, Vinicius publicou seu primeiro livro de poemas - O Caminho Para a Distância - em 1929. Nunca atuou como advogado, mas trabalhou como crítico de cinema e diplomata.

Em termos literários foi autor de grandes criações como o Soneto de Fidelidade e o Soneto do Amor Total. Vinicius também foi autor de uma série de poemas infantis que entraram para o cânone da literatura brasileira. Essas criações foram inicialmente compostas para os filhos do criador - Susana (1940), Pedro (1942), Georgiana (1953) e Luciana (1956) - mas depois acabaram por ganhar o mundo.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).