Death Note, um clássico do anime


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Death Note é uma série japonesa de anime baseada na coleção de mangá escrita por Tsugumi Ohba e ilustrada por Takeshi Obata, entre os anos de 2003 e 2006.

Composta por 37 episódios, a série foi dirigida por Tetsurō Araki e produzida pela Madhouse, tendo sido lançada originalmente no final de 2006.

A narrativa de suspense e fantasia já se tornou um verdadeiro clássico para os apreciadores do gênero, conquistando uma grande legião de fãs, e está disponível na Netflix.

Cartaz da série

Atenção: a partir deste ponto, você vai encontrar spoilers!

Sinopse e trailer de Death Note

Light é um adolescente responsável e um aluno brilhante, filho de uma figura importante da polícia japonesa. A sua vida se altera quando encontra o "Caderno da Morte" e o seu proprietário, um Shinimigami chamado Ryuk.

Através daquelas páginas, Light passa a conseguir matar qualquer pessoa, desde que conheça o seu rosto e escreva o seu nome no caderno. Com o objetivo de construir uma sociedade mais justa, ele começa a matar os criminosos da região.

Tentando se manter anônimo e travando uma longa batalha contra as forças policiais, Light conhece um adversário à altura: L., conhecido internacionalmente pelos seus poderes de dedução.

Confira o trailer legendado abaixo:

O estranho mundo dos Shinigamis

Death Note, assim como outras produções culturais japonesas, recupera as figuras mitológicas dos Shinigamis, deuses ou espíritos da morte, responsáveis por conduzir as almas até "ao outro lado".

Aqui, o objetivo deles é terminar com as vidas dos humanos: cada um tem um caderno e sempre que escreve o nome de alguém, determina a hora da sua morte. O tempo de vida desse indivíduo é acrescentado à "conta" do Shinigami, tornando essas entidades praticamente imortais.

Mundos dos Shinigamis.

Num mundo cinzento e deserto, que é a realidade deles, encontramos Ryuk, uma criatura antropomórfica bem "esquisitona" e cheia de personalidade. Como conseguiu enganar o Rei, ele passou a ter dois cadernos da morte e decidi usar um deles para se divertir.

Ryuk também é viciado em comer maçãs e prefere as da nossa realidade, que parecem ser muito mais saborosas. Assim, e por estar entediado e em busca de uma nova aventura, ele deixa o seu caderno cair no mundo dos humanos.

Light encontra um caderno e um Shinigami

Light Yagami, o protagonista da narrativa, é um adolescente bastante concentrado nos estudos, filho de uma importante figura da polícia japonesa. Mesmo sendo inteligente, carismático e o melhor aluno da classe, ele também parece estar entediado com a vida que leva.

Durante uma aula, está distraído olhando pela janela quando vê um caderno caindo do céu que desperta a sua curiosidade. Depois de encontrar o objeto e examiná-lo, lê as suas regras e pensa que se trata de uma brincadeira.

Light encontra o caderno da morte

Mesmo assim, depois de testemunhar episódios quotidianos de violência, resolve testar o caderno e escrever o nome de alguns bandidos, provocando a sua morte quase instantânea. É deste modo que Light descobre que detém um enorme poder nas suas mãos.

Percebendo que pode matar praticamente qualquer pessoa sem levantar suspeitas, Light decide que construir um mundo melhor e eliminar a violência da sociedade, pensando em si mesmo como um veículo da justiça.

Começa assim o seu trabalho diligente: durante o dia se dedica aos estudos, durante a noite assiste às notícias e escreve o nome dos criminosos no seu caderno.

Light e Ryuk.

Depois de algumas semanas, a polícia e a mídia começam a perceber a ligação entre as mortes, atribuindo a culpa a um assassino em série que batiza de "Kira".

É então que Light conhece Ryuk, a figura para lá de estranha que vai acompanhá-lo até morrer ou renunciar à posse do caderno. O protagonista começa a levar cada vez mais a sério a sua tarefa como Kira, com a crença de que será o deus desse novo mundo.

Ryuk deixa bem claro que não vai ajudá-lo em nada e que está ali para se divertir. Pelo contrário, ele fica assistindo ao desenrolar das ações e as comenta, com um tom bem-humorado.

As regras do Death Note: como funciona?

É claro que uma arma tão poderosa não poderia existir sem um pequeno manual de instruções. As regras para a sua utilização estão escritas logo no começo do caderno e vão sendo explicadas pelos Shinigamis.

Abaixo, reunimos as mais importantes, para você acompanhar tudo:

  1. O humano cujo o nome for escrito nesse caderno morrerá.
  2. A escrita do nome não terá efeito se o escritor não tiver em mente o rosto da vítima.Por tanto outra pessoa com o mesmo nome não será afetada.
  3. Se a causa da morte for escrita até 40 segundos depois do nome da pessoa seguindo a unidade de tempo dos humanos, assim será feito. Se a causa da morte não for especificada a pessoa morrerá de uma parada cardíaca.
  4. Após a causa da morte, os detalhes da morte devem ser fornecidos nos próximos 6 minutos e 40 segundos.
  5. Após este caderno tocar no solo, ele passa a ser de propriedade do mundo humano.
  6. O proprietário do caderno poderá ver e ouvir o shinigami, dono original do caderno.
  7. O primeiro humano a tocar no Death Note logo após esse chegar ao mundo humano, será seu novo proprietário.
  8. O humano que utilizar o caderno não poderá ir para o céu e nem para o inferno.
  9. Se a causa da morte for especificada como parada cardíaca seus detalhes poderão ser manipulados, como locas, data e hora.
  10. Mesmo não sendo proprietário do caderno, qualquer humano que o toque poderá ver e ouvir o Shinigami que segue o humano atual proprietário do caderno.
  11. A pessoa em posse do caderno será seguida por um shinigami até morrer. Esse shinigami deve escrever o nome da pessoa em seu próprio caderno (caso tenha mais de um) na hora de sua morte.
  12. Se um humano utilizar o caderno, o Shinigami deverá se apresentar ao humano em um período de 39 dias após o primeiro uso.
  13. O Shinigami dono do caderno não poderá ajudar o humano a utilizá-lo, e não tem a obrigação de explicar as regras que regem ao humano que o possui. Um Shinigami pode estender sua expectativa de vida usando o caderno, mas os humanos não podem fazê-lo.
  14. O humano com posse do Death Note pode obter os Olhos de Shinigami, e com esse poder o humano poderar ver os nomes e expectativas de vida de outros humanos apenas os observando, mas para isso, o humano proprietário do Death Note deve sacrificar metade de sua expectativa de vida pelos Olhos de Shinigami.
  15. Se um Shinigami usar seu próprio Death Note para matar um humano com o objetivo de ajudar outro humano, ele mesmo morrerá, mesmo não tendo sentimentos amorosos com o mesmo.
  16. A causa da morte deve ser fisicamente possível em todos os sentidos. Se envolver doenças, deve haver um tempo hábil para elas se manifestarem. Se envolver locais, deve ser possível que a vítima esteja nele. Qualquer inconsistência na causa da morte causará o ataque cardíaco.
  17. O âmbito específico da condição da morte também não é conhecido pelos Shinigamis. Assim sendo, deve-se testar e descobrir.
  18. Uma página extraída do Death Note, ou mesmo um fragmento da página, mantém todas as funcionalidades do caderno.
  19. O material para a escrita pode ser qualquer um (tinta, sangue, maquiagem, etc..). Porém o caderno só funciona se o nome for escrito de forma legível.
  20. A causa e os detalhes da morte podem ser escritas antes do nome. O proprietário tem 15 dias (conforme o calendário humano) para colocar o nome em frente à causa descrita.

Kira e L., um duelo de mentes brilhantes

Com o pai como vice-diretor da polícia, Light fica numa posição privilegiada para acompanhar todos os passos da investigação, encontrando formas de contorná-los. É então que as forças policiais chamam um antigo aliado e misterioso investigador conhecido por L.

Inicialmente, não conseguimos ver o seu rosto e as comunicações chegam através de um computador transportado por um homem encapuçado que atende pelo nome de W. Depois, descobrimos que essa figura é Watari, um homem mais velho que parece cuidar de L., que é, afinal, um adolescente.

L. investigando

Apesar das suas capacidades fora do vulgar, trata-se de um garoto da mesma idade de Light que escolhe manter o anonimato. Na verdade, o espectador nunca chega a conhecer o seu verdadeiro nome.

Desde o começo, o detetive percebe que o assassino deve ter ligações com a polícia e não demora muito a desconfiar do filho do vice-diretor. Yagami, sempre atento, percebe isso e vai encontrando diversos modos de desviar as atenções.

É engraçado reparar que os jovens são semelhantes e também muito diferentes. Enquanto Light mantém uma fachada de filho e estudante perfeito, de "bom moço", L. é estranho, quase não dorme nem usa sapatos e desafia várias convenções sociais.

L. e Light.

Quando fazem a prova final na escola, antes de ingressar na universidade, os dois se cruzam pela primeira vez e o detetive revela que é o L. Para poder vigiar os seus passos e incriminá-lo, convida Light para ajudar na investigação.

A dinâmica entre os dois é bastante complexa: por um lado se tornam rivais, por outro vão desenvolvendo uma amizade porque se compreendem melhor do que ninguém.

Assim, os dois travam uma grande batalha intelectual, como se jogassem xadrez e tentassem adivinhar e antecipar o próximo passo um do outro

Misa é o segundo Kira

Tudo começa a fugir do controle de Light quando novas mortes começam a ser atribuídas ao Kira, sem terem sido causadas por ele. Através de vários vídeos enviados para uma emissora de TV, o novo assassino comunica com o público e vai matando pessoas aleatórias para provar o seu poder.

Light percebe que este "companheiro" não precisa saber o nome das pessoas, apenas conhecer o seu rosto, para eliminá-las. Assim, fica claro que ele terá trocado metade do seu tempo de vida pelos olhos de Shinigami que permitem conhecer os nomes de todo mundo.

Misa Amane, o segundo Kira

O novo Kira é Misa, uma jovem modelo que ganhou o seu caderno porque um Shinigami que a observava há muito tempo se apaixonou por ela. No momento em que ia ser assassinada por um stalker, a criatura resolveu matá-lo e salvou a vida dela, morrendo também em seguida.

Assim, aprendemos que um Shinigami só pode morrer por amor, se escolher salvar a vida de um ser humano. Rem, outro espírito da morte, desceu à terra e entregou o caderno a Misa, passando a acompanhá-la também. A garota tem uma história de vida triste já que os seus pais foram assassinados por um criminoso que depois foi punido por Light.

Apaixonada pelo verdadeiro Kira, que considera o seu salvador, ela acaba descobrindo a identidade de Light e vai até casa dele. Aí, declara o seu amor e assume uma postura submissa, mostrando que está disposta a tudo para ajudar o assassino e ser a sua namorada.

Light e Misa.

Com os seus poderes de persuasão, Lightconsegue manipulá-la e aceita o namoro, já que precisa dos olhos de Misa para descobrir o nome de L.

No entanto, este segundo Kira não consegue esconder as suas atividades tão bem como o protagonista e os seus métodos são diferentes, chamando atenção para a possibilidade de serem dois assassinos. Rapidamente, a relação de Light e Misa levanta suspeitas e ela começa a ser investigada, sendo depois presa e interrogada por L.

O plano maquiavélico de Light

Aqui começa uma série de reviravoltas na narrativa capazes de deixar o público de queixo caído com a esperteza do protagonista. Com Misa sendo interrogada, Light sabe que é uma questão de tempo até ser preso também e identificado como o verdadeiro Kira.

Assim, com a ajuda dos Shinigamis, cria um esquema mirabolante para escapar ileso, que só vamos compreendendo com ao longo dos episódios. Depois de Light enterrar os cadernos dos dois, Misa renuncia à sua posse e perde as memórias de tudo o que aconteceu.

Misa é presa e renuncia ao caderno.

Ele, por outro lado, se entrega para a equipe de investigação comandada pelo seu pai e por L., e fica preso por um bom tempo, a fim de provar a sua inocência. É aí que o próprio Light renuncia ao seu caderno e esquece do passado sangrento.

Algum tempo depois, quando começam a surgir mais mortes atribuídas ao Kira, Light e Misa acabam sendo ilibados, embora L. continue tendo as suas suspeitas. O protagonista, que não lembra de nada, contribui ativamente para a investigação e logo descobrem que o assassino está entre os acionistas de uma grande empresa, a Yotsuba.

Nesse meio tempo, Rem, a Shinigami, faz com que Misa toque numa folha do caderno e consiga voltar a vê-la, revelando que Light é o verdadeiro Kira. Misa ajuda a polícia a descobrir o novo dono do caderno, que finalmente vai parar nas mãos de L. No entanto, quando Light toca no objeto, recupera todas lembranças.

Light e os Shinigamis.

Através do seu sorriso e do brilho maléfico no olhar, percebemos que tudo não passou de um plano muito bem elaborado por Light. Depois de esconder um dos cadernos, ele pediu a Rem que escrevesse regras falsas no segundo, para desviar as atenções e o entregasse a outra pessoa.

Esse novo Kira deveria ser alguém sedento de poder e dinheiro, que só cometesse atos para benefício próprio, já que desse jeito seria mais fácil achá-lo. Com o caderno, L. finalmente descobre as origens do poder do Kira mas continua sem conseguir provar a culpa do seu adversário, correndo um risco cada vez maior.

A morte de L. e os seus sucessores

A manipulação de Light é tão forte que atinge até Rem, quando ela concorda em matar L. para proteger Misa, mesmo sabendo que se transformará em cinzas por isso. Isso não surpreende o investigador que, na noite anterior, conversa com o rival e parece assumir a sua derrota.

Quando L. e Watari morrem subitamente, Light acaba ficando na frente da investigação e se fazendo passar pelo detetive. Neste ponto, quase podemos declarar a vitória do protagonista, mas a narrativa se altera de repente.

Descobrimos que L. em tempos vivia no Lar de Wammy, na Inglaterra, um orfanato para crianças sobredotadas fundado por Watari, que afinal era um cientista e inventor milionário. Depois da sua morte, existem dois possíveis sucessores: Neon, o mais novo, e Mello, que já é adolescente.

Near, substituto de L.

Como vivem em constante competição, Mello não aceita colaborar com Near, e o garoto viciado em montar puzzles fica responsável pelo caso. Reunindo uma equipe com agentes do FBI, ele começa a investigar e desconfia de Light, o impostor que assumiu o lugar de L.

Near liga para a polícia japonesa e se apresenta como N., anunciando que vai resolver o caso e insinuando que o assassino está entre eles. Já Mello, que quer ultrapassá-lo, sequestra a irmã de Light para obter o caderno em troca.

Quem vai resgatá-la é o Vice-diretor Yagami, pai de Light, que faz a troca com Ryuk pelos olhos de Shinigami. No entanto, embora veja o nome verdadeiro de Mello, o homem não é capaz de escrever no caderno e sai da situação gravemente ferido.

Morte do vice-diretor Yagami.

A cena é marcante porque evidencia a ausência de emoções de Light, que não se mostra abalado com a morte do pai. Pelo contrário, até ao último momento a sua única preocupação é descobrir o nome de Mello.

Concentrado em continuar vencendo, o protagonista sente que ainda luta contra L., mesmo depois da sua morte, agora através dos seus sucessores.

O Reino de Kira e batalha com N.

Com a passagem dos anos e a total impunidade, os efeitos do Kira na sociedade começam a ser cada vez mais visíveis. Como todas as pessoas vivem com medo e em vigilância permanente, a figura misteriosa é encarada por muita gente como portadora de justiça.

Até o governo dos Estados Unidos da América se posiciona a favor do Kira, que vai ganhando uma popularidade cada vez maior e tem até um programa de televisão dedicado a ele. Endeusado por esse verdadeiro culto, ele manipula os seus seguidores para despistar N.

Takada, uma jornalista que foi colega de faculdade de Light, é escolhida para ser a sua porta-voz e Mikami, o seu maior admirador, se torna o mais novo Kira. Acreditando que trabalha em nome da justiça, ele chama Light de "Deus" e segue todas as suas ordens.

Mikani com olhos de Shinigami.

Assim, ele esconde o verdadeiro caderno e cria uma cópia, onde finge escrever para chamar a atenção de Near. Quando Light e N. marcam um encontro, a morte do segundo parece inevitável graças à dedicação de Mikami.

Brincando com vários bonequinhos que usa nos seus esquemas mentais, como se fossem peças de xadrez, Near espera a chegada de Light e sua equipe, sabendo que Mikami está por perto, esperando para eliminá-lo.

Calmamente, ele vai revelando para todos os presentes que o ajudante de Kira, vai chegar com os olhos de Shinigami e caderno, anotando o nome de todos. Aquele cujo nome não estiver escrito no caderno só pode ser o Kira; trata-se de uma prova irrefutável.

Percebendo que Mikami está escondido e já escreveu os nomes, Light ri e declara na frente de todos: "Ganhei!".

O final de Death Note e a vitória de Near

Depois de 40 segundos muito tensos, ninguém morre, para surpresa de Kira. Mikami é capturado e eles verificam que o único nome que não consta no caderno é o de Light Yagami.

É aí que Near revela que, na verdade, Light perdeu porque o verdadeiro caderno está com ele. Depois de Takada e Mikami provocarem a morte de Mello, N. começou a seguir os seus passos e encontrou o caderno da morte no cofre do seguidor de Kira.

Vitória de NearDescontrolado, o Kira começa a gargalhar, de declarando que é o "deus do novo mundo" e que conseguiu manter a sociedade segura durante 6 anos. Em seguida, declara que tem outro caderno e pega um pedaço de papel onde tenta escrever.

É nessa hora que Matsuda, policial que trabalhava com o seu pai, dá um tiro na sua mão para impedi-lo. Light continua tentando escrever com o próprio sangue e toma tiros pelos corpo todo.

Cheio de ferimentos, Light consegue fugir mas não pode contar com a ajuda de ninguém. Ao longe, podemos ver Ryuk segurando o caderno.

Ryuk escrevendo nome de Light.

Chorando, o protagonista vai lembrando como era a sua vida antes de encontrar o caderno da morte. Já quase inconsciente, Light vê o espírito do antigo rival e amigo, que parece vir buscá-lo.

Enquanto isso, Ryuk declara que Light Yagami perdeu a batalha; está na hora de escrever o seu nome no caderno e tirar a sua vida, como tinham combinado.

Afirmando que se divertiu no mundo humano, o Shinigami questiona, como se estivesse se despedindo:

Conseguimos aliviar um pouco do nosso tédio, você não acha?

Death Note: qual é o significado?

Death Note é uma série de anime cheia de esquemas, planos mirabolantes e batalhas mentais. Ryuk desce ao mundo humano para comer maçãs e assistir ao caos instaurado, avisando que quem usasse o caderno cairia em desgraça.

Light começa a viver em função do caderno da morte que encontrou. Todos os seus passos são premeditados e ele vai perdendo a sua humanidade, a ponto de não se importar com a morte do próprio pai.

Será que existe um fundo de justiça ou moralidade nas ações de Kira? O protagonista acredita que os seus crimes são justificados, que está matando como se cometesse um sacrifício pelo bem comum:

Sabia que matar era um crime mas era a única forma de corrigir as coisas...

Quando é derrotado por Near, Kira alega que conseguiu diminuir drasticamente a violência e até interromper guerras internacionais, graças às suas ações.

No entanto, mesmo que as suas intenções fossem verdadeiras, o protagonista foi dominado pela megalomania e pela sede de poder: o seu objetivo derradeiro era se tornar um deus.

Assim, no confronto final, Near aponta Light como um "mero assassino" que se deparou com a arma mais mortífera da humanidade e foi corrompido por ela.

Death Note 2: o one-shot de 2020

Death Note 2, o manga de 2020.

Depois de 14 anos, Death Note regressou no formato mangá, composto por 89 páginas. O one-shot Death Note 2 foi lançado em fevereiro de 2020 e conta com o regresso de personagens marcantes como o Shinigami Ryuk, desta vez comandado por Tanaka Nomura, um estudante que fica conhecido como "A-Kira".

Conheça também

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.