Análise do poema Ou isto ou aquilo de Cecília Meireles


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

O poema Ou isto ou aquilo, incluído na obra que leva o mesmo nome, publicada em 1964, é uma das maiores criações de Cecília Meireles (1901-1964) e fala sobre a dificuldade de escolhermos entre duas (ou mais) opções.

Toda escolha significa uma perda, e essa é a difícil conclusão que a poeta brasileira apresenta para as crianças.

Poema Ou isto ou aquilo na íntegra

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo…
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranquilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Análise e interpretação do poema Ou isto ou aquilo

Escrito para o público infantil, o poema Ou isto ou aquilo fala sobre a importância das escolhas e se identifica com a condição indecisa da criança.

Os versos mostram como as escolhas são obrigatórias, não escolher já é fazer uma escolha, não é possível fugir das situações que se apresentam no nosso dia a dia.

Viver é, portanto, optar por caminhos diferentes, e é essa dificuldade da qual não se pode fugir, que Cecília Meireles mostra aos pequenos leitores.

O poema gera identificação com a criança, que começa a ser apresentada aos dilemas da vida a medida que vai crescendo: brincar ou estudar? Correr ou ficar sossegado?

Através da poesia, o leitor vai tomando consciência de que, muitas vezes, é preciso abrir mão daquilo que se quer em nome de outra coisa que também se deseja. Frequentemente nos encontramos em situações onde é preciso sacrificar algo para conseguir a outra hipótese.

Os versos de Cecília Meireles têm uma importante função didática e ensinam aos pequenos - aproveitando também para relembrar os adultos - que devemos aceitar que, ao escolher, vamos sempre perder aquilo que não foi escolhido.

Escolher é, portanto, de uma certa forma, sinônimo de sofrer, e Ou isto ou aquilo nos ajuda a aceitar a incompletude, a processar a falta e a nos conformarmos de que não podemos ter tudo o que queremos.

Através da poesia, a criança compreende, com exemplos práticos, as consequências da escolha: “se calça a luva e não se põe o anel / ou se põe o anel e não se calça a luva!”. Pequenas situações, como a necessidade de se optar pela luva ou pelo anel, ilustram uma das muitas dificuldades que nós, leitores, iremos encontrar assim que nos levantamos da cama.

Os exemplos dados por Cecília Meireles são propositalmente ilustrativos, muito visuais e cotidianos (presentes no universo da infância). São elementos com os quais toda criança pode se relacionar rapidamente, facilitando a sua compreensão do dilema que é introduzido.

Ouça o poema Ou isto ou aquilo

Livro Ou isto ou aquilo

Lançado em 1964, o livro Ou isto ou aquilo reúne 57 poemas. A obra é um clássico da literatura brasileira infanto-juvenil que vem percorrendo gerações.

Livro Ou isto ou aquilo de Cecília Meireles

Na coletânea, Cecília Meireles - que foi professora da educação infantil - brinca com as palavras e apresenta o mundo às crianças a partir de um olhar leve e simples.

Os poemas trazem exemplos cotidianos e práticos com os quais a criança pode facilmente se relacionar.

Outro elemento comum nas criações tão diferentes é que, em todos os poemas há muito uso da repetição e se procura alcançar uma musicalidade de modo a facilitar a memorização.

Ou isto ou aquilo fala sobre o universo infantil: os jogos, a relação entre as crianças, as brincadeiras, os dilemas que vão se apresentando. Apesar de ter muitos temas leves, a obra também não foge de assuntos complicados como a solidão, o medo e a angústia. Embora sejam questões difíceis de serem abordadas com as crianças, os temas são apresentados com delicadeza, o que facilita a absorção.

O livro também é rico porque reúne vários gêneros de composição como cantigas de ninar, parlengas e trava-línguas.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).