Stonehenge: o monumento pré-histórico de pedras


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e pesquisadora

Stonehenge é um grande monumento feito de pedras, localizado na Inglaterra.

Há cerca de 3000 a.C. essa obra começou a ser construída e, segundo estudiosos, levou por volta de dois mil anos para ser finalizada.

A construção é considerada uma das mais monumentais e fantásticas do período pré-histórico, sendo um dos cartões postais da Grã-Bretanha e tombado como patrimônio mundial.

Onde fica e o que é Stonehenge?

São enormes rochas dispostas de maneira circular que, mesmo com muitos anos de investigação, causam ainda questionamentos e aguçam a curiosidade de historiadores e arqueólogos, além do público em geral.

A construção encontra-se no condado de Wiltshire, a 137 quilômetros de Londres, capital da Inglaterra. É constituída por círculos de pedras com até 5 metros de altura, as mais pesadas chegando a pesar 50 toneladas e as menores com cerca de 5 toneladas.

Stonehenge monumento

Foram as pessoas do período neolítico que ergueram a estrutura. Isso significa que elas não dominavam a escrita e os metais, mas já haviam desenvolvido instrumentos criados a partir de pedras polidas.

Essa foi uma obra grandiosa que demorou muito tempo para ser finalizada. Sabe-se que foi realizada em períodos distintos, alongando-se cerca de dois milênios entre seu início e seu término.

Outro dado importante é que provavelmente a construção ficou abandonada também por longo tempo.

Assim, a primeira fase da obra data de 3100 a.C, quando foi construído um fosso em formato circular, com diâmetro de 98 metros. Além dele, 56 aberturas foram cavadas dispondo um círculo.

Em um segundo momento, 2100 a.C, uma "avenida" de 3 quilômetros foi aberta. Já na fase final, em 2000 a.C, as rochas foram finalmente erguidas, tanto as que formam os pilares, quanto as pedras menores que formam um anel.

Também foram criados nessa época dois círculos com 30 cavidades cadas um, que talvez estivessem prontos para acolher mais rochas, entretanto isso não aconteceu.

As pedras de Stonehenge: como foram fixadas?

Através de estudos constatou-se que essas rochas foram retiradas de pedreiras distantes até 400 quilômetros do local. No trajeto em solo, elas foram transportadas por trenós puxados por muitos homens. Já no caminho que passava pelo mar e rios, foram amarradas em rudimentares canoas.

Chegando ao local, eram feitos profundos buracos na terra, e com o auxílio de alavancas as pedras eram encaixadas no solo, sendo fixadas com outras pequenas rochas.

Eram feitas ainda plataformas de madeira, a fim de erguer mais uma rocha na parte superior das pedras dispostas em pares, chamadas de trilithons.

Os mistérios de Stonehenge: por que foi construído?

O principal enigma por trás desse grandioso feito, é sem dúvida, as motivações que levaram os seres humanos a construí-lo.

Apesar de não se ter clareza da finalidade do monumento, pela falta de registros escritos e pelo grande espaço temporal que nos separa, existem algumas hipóteses.

Há estudos que sugerem que Stonehenge foi criado com o intuito de ser uma espécie de observatório dos astros celestes, isso porque a maneira que as pedras foram dispostas alinham-se com o sol e a lua, dependendo do momento do ano.

Stonehenge
O sol adentrando a arquitetura circular de Stonehenge

Outra tese é de que o local constituía um centro religioso, de cura, talvez um lugar para a reunião de druidas (intelectuais celtas).

Além disso, foram descobertos restos mortais de pessoas que provavelmente faziam parte da elite daquela civilização, o que sugere um cemitério.

Interferências de historiadores em Stonehenge

O sítio arqueológico foi descoberto por volta do século XIII.

No século XX os estudos em torno do lugar foram intensificados e interferências foram feitas a fim de tentar "reconstituir" a construção original. Assim, pedras que estavam caídas foram reerguidas.

Contudo, tais intervenções podem ter modificado a cena - mesmo com os estudiosos garantindo que não. O fato despertou questionamentos acerca da preservação de patrimônios históricos.

Você também pode se interessar: Taj Mahal, na Índia: história, arquitetura e curiosidades

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, pesquisadora e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.