Música Fear of the dark


Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Composta por Stephen Percy Harris, baixista e principal compositor do conjunto Iron Maiden, a música Fear of the dark é a última faixa do disco homônimo lançado em 1992 pela banda de heavy metal britânica.

A canção é uma das mais famosas do conjunto, assim que foi lançada ocupou o topo das paradas de sucesso na Inglaterra e permaneceu durante anos a fio no set list dos shows.

Letra

I am a man who walks alone
And when I'm walking a dark road
At night or strolling through the park

When the light begins to change
I sometimes feel a little strange
A little anxious when it's dark

Fear of the dark
Fear of the dark
I have a constant fear that something's always near
Fear of the dark
Fear of the dark
I have a phobia that someone's always there

Have you run your fingers down the wall
And have you felt your neck skin crawl
When you're searching for the light?
Sometimes when you're scared to take a look
At the corner of the room
You've sensed that something's watching you

Fear of the dark
Fear of the dark
I have a constant fear that something's always near
Fear of the dark
Fear of the dark
I have a phobia that someone's always there

Have you ever been alone at night
Thought you heard footsteps behind
And turned around and no one's there?
And as you quicken up your pace
You find it hard to look again
Because you're sure there's someone there

Fear of the dark
Fear of the dark
I have a constant fear that something's always near
Fear of the dark
Fear of the dark
I have a phobia that someone's always there

Fear of the dark
Fear of the dark
Fear of the dark
Fear of the dark

Fear of the dark
Fear of the dark
Fear of the dark
Fear of the dark

Watching horror films the night before
Debating witches and folklore
The unknown troubles on your mind
Maybe your mind is playing tricks
You sense and suddenly eyes fix
On dancing shadows from behind

Fear of the dark
Fear of the dark
I have a constant fear that something's always near
Fear of the dark
Fear of the dark
I have a phobia that someone's always there

Fear of the dark
Fear of the dark
I have a constant fear that something's always near
Fear of the dark
Fear of the dark
I have a phobia that someone's always there

When I'm walking a dark road
I am a man who walks alone

A música trata do medo da escuridão, que potencia visões de assombrações, figuras sobrenaturais e delírios.

O nome científico para a condição de medo do escuro e da noite é nictofobia. Trata-se de um transtorno bastante frequente em crianças e adultos que se veem apavorados em ambientes sem luz, temendo que algo suscite a partir da escuridão. 

O autor da música, Steve Harris, possui essa característica.

O personagem principal da música é um homem que tem medo de escuro. Enquanto caminha sozinho, em um parque, durante a noite, tem sensações estranhas e suspeita ser vítima de criaturas horrorosas que decidem o assombrar. 

A música é iniciada com a localização do sujeito não nomeado no tempo (à noite) e no espaço (nas ruas escuras):

I am a man who walks alone
And when I'm walking a dark road
At night or strolling through the park

Ele fica totalmente paranoico porque a sua imaginação está trabalhando além do tempo. Segundo o próprio compositor, a canção é sobre estar com medo, mas não saber o que fazer.

Todo mundo tem um medo secreto de algo, que muitas vezes nem sequer tem contornos definidos. O verso

I have constant fear that something's always near

é bastante aberto uma vez que "something" pode significar qualquer coisa, desde o medo de almas penadas passando por assombrações, monstros até qualquer tipo de criaturas paranormais.

A letra de Steve Harris intencionalmente não nomeia aquilo que provoca medo, é uma forma de cada um projetar na canção seus próprios temores individuais. 

O verso "I have a phobia that someone's always there" repete outra palavra bastante vaga: "someone" quer dizer alguém e pode ser usado para se referir a diversos tipos de entidade. 

O escuro inspira medo e ansiedade não apenas para quem está ao lado de fora - na rua ou em um parque - e vê a noite cair.

Mesmo supostamente seguro entre quatro paredes o pânico pode surgir, e é o que sugere a letra quando o personagem não consegue encontrar um interruptor da luz, situação tão frequente e cotidiana:

Have you run your fingers down the wall
And have you felt your neck skin crawl
When you're searching for the light?

O medo é resultado da imaginação da pessoa que, estimulada por filmes de terror ou conversas casuais sobre criaturas sobrenaturais, enxerga elementos que a partida não existem.

A sombra é um exemplo dado por Harris de algo que pode passar despercebido ou, a partir dela, fazer com que se fantasie entidades assustadoras. O próprio compositor reconhece:

Maybe your mind is playing tricks

Talvez seja a sua mente que esteja pregando truques.

É possível encontrar no youtube o vídeo da apresentação realizada ao vivo, para uma multidão, no Rock in Rio 2001. A reprodução de Fear of the dark já foi assistida mais de dezesseis milhões de vezes:

Tradução

Sou um homem que anda sozinho
E quando ando em uma estrada escura
De noite ou passeando pelo parque

Quando as luzes começam a mudar
Às vezes me sinto um pouco estranho
Um pouco ansioso quando está escuro

Medo do escuro, medo do escuro
Tenho medo constante de que algo esteja sempre perto
Medo do escuro, medo do escuro
Tenho uma fobia de que alguém esteja ali

Você já correu seus dedos pela parede
E sentiu a pele da sua nuca arrepiar
Quando estava procurando a luz?
Algumas vezes quando você está com medo de olhar
No canto da sala
Você sente que alguma coisa está observando você

Medo do escuro, medo do escuro
Tenho medo constante de que algo esteja sempre perto
Medo do escuro, medo do escuro
Tenho uma fobia de que alguém esteja ali

Você alguma vez já esteve sozinho a noite
Pensou que ouviu passos atrás de você
E se virou e não havia ninguém lá?
E, à medida que acelera seu passo
Você acha difícil olhar novamente
Porque tem certeza de que alguém está ali

Medo do escuro, medo do escuro
Tenho medo constante de que algo esteja sempre perto
Medo do escuro, medo do escuro
Tenho uma fobia de que alguém esteja ali

Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro

Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro
Medo do escuro

Assistindo a filmes de terror na noite anterior
Falando sobre bruxas e folclore
Os problemas desconhecidos na sua mente
Talvez sua mente esteja pregando truques
Você sente, e subitamente seus olhos fixam
Em sombras dançantes do além

Medo do escuro, medo do escuro
Tenho medo constante de que algo esteja sempre perto
Medo do escuro, medo do escuro
Tenho uma fobia de que alguém esteja ali

Medo do escuro, medo do escuro
Tenho medo constante de que algo esteja sempre perto
Medo do escuro, medo do escuro
Tenho uma fobia de que alguém esteja ali

E quando ando em uma estrada escura
Sou um homem que anda sozinho

Curiosidades e números

A canção, que tem sete minutos e dezesseis segundos de duração na gravação original, é a única do álbum que continua sendo cantada pelos Iron Maiden nos shows até os dias de hoje.

De acordo com o Spotify, a faixa é a segunda mais tocada da banda na plataforma, reunindo 55 milhões de streams. Se convertêssemos o número de transmissões em tempo contínuo da música, chegaríamos a um número espantoso: ouviríamos Fear of the dark cerca de 700 anos sem parar.

Fear of the dark também faz parte da trilha sonora do jogo de computador Ed Hunter, a música toca durante o nível 4 (Graveyard).

Álbum Fear of the dark

O disco Fear of the dark foi lançado no dia 11 de maio de 1992, nos Estados Unidos, e é o nono trabalho em estúdio da banda Iron Maiden. A gravadora responsável foi a EMI, com a produção assinada por Martin Birch.

Ao todo, o disco reúne doze faixas e é o último com a participação de Bruce Dickinson, que resolveu se distanciar do grupo para seguir carreira solo. 

Fear of the dark foi o álbum sucessor de No Prayer for the Dying, que havia sido lançado em 1990 sem grande repercussões.

A capa assustadora do disco é uma criação do ilustrador inglês Melvyn Grant e retrata o mascote do grupo, chamado Eddie, imiscuído a um tronco de uma árvore seca com uma lua cheia ao fundo.

Esse foi o primeiro trabalho que Melvyn fez para os Iron Maiden, no entanto a parceria acabou rendendo frutos e ele assinou uma série de capas que vieram a seguir. O capista mais utilizado pelo grupo de heavy metal foi Derek Riggs, Melvyn Grant, porém, é o segundo da lista com mais colaborações.

A banda britânica fez três shows do Fear of the Dark Tour no Brasil entre final de julho e princípio de agosto de 1992. Foi um show no Rio de Janeiro, um em São Paulo e um em Porto alegre.

Capa do álbum Fear of the dark.
Capa do disco Fear of the dark.

As faixas do álbum são:

1. Be Quick or Be Dead

2. From Here to Eternity

3. Afraid to Shoot Strangers  

4. Fear Is the Key  

5. Childhood's End  

6. Wasting Love  

7. The Fugitive  

8. Chains of Misery  

9. The Apparition 

10. Judas Be My Guide  

11. Weekend Warrior 

12. Fear of the Dark  

Em 1995, o disco Fear of the dark foi relançado com um CD bônus contendo as seguintes faixas:

1. Nodding Donkey Blues

2. Space Station No. 5

3. I Can't See My Feelings

4. Roll Over Vic Vella

5. No Prayer for the Dying

6. Public Enema Number One

7. Hooks in You

Iron Maiden

O conjunto de heavy metal Iron Maiden surgiu na Inglaterra, em 1975, fundado pelo baixista Steve Harris, e logo reuniu uma horda de fãs. A banda foi uma das integrantes principais do movimento NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal).

O nome escolhido pelo conjunto faz uma referência a um instrumento de tortura medieval. 

Além de Steve Harris no baixo e no backing vocal, a banda era composta por Nicho Mcbrain na bateria, Bruce Dickinson nos vocais e Dave Murray e Janick Gers nas guitarras. 

O vocalista da banda, Bruce Dickinson, um professor de História, já confessou ao longo das inúmeras entrevistas que concedeu sobre o conjunto, que o intuito sempre foi criar músicas com um caráter épico e mitológico.  

Logo após o lançamento de Fear of the dark, Bruce Dickinson resolveu seguir carreira solo, tendo sido substituído por Blaze Bayblade. Sobre a saída da banda, Bruce afirmou em entrevista concedida a revista Kerrang!: 

Eu tenho a minha versão dos eventos e ele tem a dele. Tudo se resume a como você vê o mundo. Para Steve, o Maiden é mais importante do que qualquer coisa. Para mim, há algumas coisas que são mais importantes do que a banda. Eu não sabia que ia ser uma grande coisa quando saí, mas assim que eu saí do palco e olhei para o público eu pensei 'M**! Se eu correr por aí sorrindo como um tolo, o público vai pensar: "Que idiota! Se ele está tão feliz, por que ele está indo embora? " E se eu vagar por aí parecendo um miserável, eles se perguntarão por que pagaram 20 libras por um ingresso para ver um trapaceiro. 

Eu estava de saco cheio. Algumas noites o público era hostil. Era como fazer um show em um velório! Algumas noites eu gostava, mas em outros eu estava pensando, 'eu gostaria de não estar aqui!'. 

No momento em que deixei o Maiden, fiz um acordo comigo mesmo de que não faria nunca mais nada que não acreditasse. Steve e eu sempre costumamos nos confrontar. (...) Depois de um show em Newcastle em 82, íamos sair, já estávamos com as mangas arregaçadas. Mas aprendemos a viver um com o outro. E se Steve não tivesse essa personalidade, o Maiden nunca teria existido

No entanto, em 2000, Bruce retornou ao seu posto como vocalista dos Iron Maiden.  

Atualmente a banda detém números espantosos: são mais de 90 milhões de álbuns vendidos, mais de 2.000 apresentações ao vivo em 63 países e 16 álbuns de estúdio produzidos.

Iron Maiden.
Iron Maiden.

Conheça também

Rebeca Fuks
Graduada em Letras, mestre em Literatura e doutora em Estudos de Cultura, trabalhou durante dez anos como editora assistente e executiva em editoras no Brasil e em Portugal.