Música Chega de Saudade


Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes

Chega de Saudade é um tema com letra de Vinicius de Moraes e música de Antônio Carlos Jobim, composto em 1956. Gravada por diversos artistas, a canção se tornou célebre sobretudo na versão de João Gilberto, de 1958. Na sua voz, acabou sendo considerada o marco fundador da Bossa Nova.

Até hoje, continua sendo uma das músicas nacionais mais escutadas naqueles momentos de melancolia, em que estamos sentindo a falta de alguém.

Você também adora Chega de Saudade? Então venha conhecer mais sobre a música.

Chega de Saudade: música e letra

Vai, minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade
A realidade é que sem ela não há paz
Não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim

Não há paz
Não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim

Não quero mais esse negócio de você longe de mim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

Análise da música Chega de Saudade

A música segue a estrutura de um choro, gênero musical popular também conhecido por "chorinho" que surgiu no século XIX, no Rio de Janeiro. O choro se caracteriza pelas suas improvisações e modelações, combinando influências de diversos ritmos.

Primeira parte

Vai, minha tristeza
E diz a ela que sem ela não pode ser
Diz-lhe numa prece
Que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade
A realidade é que sem ela não há paz
Não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Chega de Saudade é o desabafo de um sujeito lírico que está sofrendo com a falta da amada, da qual se separou. Personificando a tristeza, fala com ela e pede que vá procurar a mulher que ele ama e conte sobre o estado em que se encontra.

Implora que traga a namorada de volta porque, sem ela, o eu lírico entrou num estado de apatia, não sendo capaz de aproveitar a vida nem ver o lado bom das coisas.

Pelas suas palavras, percebemos que se sente preso nessa nostalgia, à qual parece condenado eternamente. Acredita, no entanto, que a salvação pode estar a caminho.

Segunda parte

Mas, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos, e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com esse negócio de você viver sem mim

Começa, então, a fantasiar com a possibilidade de voltarem a estar juntos. Imaginando a felicidade futura, enumera aquilo que faria se tivesse a mulher amada do seu lado novamente.

Uma das características que fazem de Chega de Saudade uma canção como poucas é a notória delicadeza com que o sujeito lírico fala sobre rever o ser amado. Isso fica mais explícito, por exemplo, com o uso dos diminutivos ("peixinhos", "beijinhos").

Imagina, assim, o reencontro amoroso como um momento mágico, recebendo a apaixonada com beijos, abraços e "carinhos sem ter fim".

Terceira parte

Não quero mais esse negócio de você longe de mim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim

No final da canção, o sujeito fala diretamente ela, repetindo que não está aguentando mais a separação. Deste modo, a música parece ser uma declaração de amor e, possivelmente, uma tentativa de recuperar a mulher de quem gosta.

Chega de Saudade e a Bossa Nova

Chega de Saudade é apontada como a música que iniciou a Bossa Nova, gênero musical brasileiro que surgiu na década de 50. Entre os criadores do movimento estava João Gilberto, acompanhado por Tom Jobim e Vinícius de Moraes, os compositores da canção.

Capa do disco Chega de Saudade, de 1959.
Capa do disco Chega de Saudade, de 1959.

Lançado no álbum homônimo, de 1959, o tema de destacava pelo modo como Gilberto cantava e pela batida que criou no seu violão. Era isso, afinal, que a Bossa Nova estava procurando: uma nova forma de cantar e tocar samba.

A gravação de João Gilberto foi, deste modo, a porta de entrada para um novo universo musical que acabou sendo celebrado pelo mundo inteiro.

Se quiser conhecer outros temas do gênero musical, confira as músicas mais importantes da Bossa Nova.

História e outras versões da música

Inicialmente a música foi gravada em abril de 1958 por Elizeth Cardoso, com João Gilberto no violão. O tema foi lançado no disco Canção do Amor Demais, do mesmo ano.

Alguns meses depois, o músico gravaria a sua versão, que veio a se tornar a mais célebre e também a abrir as portas para a Bossa Nova. Na mesma época, a canção também foi gravada pelo conjunto vocal Os Cariocas, um dos mais antigos do Brasil.

Posteriormente, Chega de Saudade foi regravada por vários artistas brasileiros e internacionais, em versões bastante diferentes. Uma das que não podemos deixar de mencionar é a de Antônio Carlos Jobim, que interpreta de forma magistral a música que ajudou a compor.

Sobre João Gilberto

João Gilberto Prado Pereira de Oliveira (10 de junho de 1931 — 6 de julho de 2019) foi um brilhante músico e compositor brasileiro.

Criativo, inovador e talentoso, é considerado uma figura essencial na evolução da música nacional e também o fundador da Bossa Nova.

João Gilberto e a mulher, 1964
João Gilberto e a primeira mulher, Astrud, em 1964. (Jornal do Brasil)

O seu trabalho, marcado por uma sonoridade singular, foi também um dos maiores responsáveis pela divulgação da música brasileira pelo resto do mundo.

Amado no Brasil, o músico era profundamente admirado em outros locais, como os Estados Unidos da América e a Europa, onde venceu vários prêmios.

Cultura Genial do Spotify

Você é fã de Bossa Nova? Nós também! Escute as músicas que selecionamos na playlist abaixo:

Conheça também

Carolina Marcello
Carolina Marcello
Mestre em Estudos Literários, Culturais e Interartes (2014) e licenciada em Estudos Portugueses e Lusófonos (2011) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.