Livro 1984, de George Orwell


O romance 1984, do escritor britânico George Orwell, é uma distopia escrita em 1949 que projeta como seria a vida no futuro distante de 1984.

Resumo

A obra-prima de George Orwell se inicia situando o leitor no tempo e no espaço:

Era um dia frio e ensolarado de abril, e os relógios batiam treze horas. Winston Smith, queixo enfiado no peito no esforço de esquivar-se do vento cruel, passou depressa pelas portas de vidro das Mansões Victory, mas não tão depressa que evitasse a entrada de uma lufada de poeira arenosa junto com ele.

O totalitarismo é o mote que embala a narrativa passada em Londres, no ano de 1984. No mundo ficcional criado por Orwell, existem inúmeros televisores monitorando e controlando a população, nenhum cidadão tem mais direito a privacidade.

O protagonista da história é logo apresentado no primeiro parágrafo: o solitário Winston Smith, alocado no Departamento de Documentação do Ministério da Verdade, é um dos funcionários responsáveis pela propaganda e pela reescrita do passado. 

Pertencendo a classe média-baixa, a sua função é reescrever os jornais e documentos antigos de modo a apoiar o partido no poder. O que não pode ser reescrito é destruído, essa é a maneira que o Estado encontra para manter-se no poder. Winston é membro do Partido Externo e detesta seu trabalho e o governo.

O que chamamos de governo no romance é regido pelo Grande Irmão, um ditador e líder do Partido. Apesar de nunca ter sido visto pessoalmente, o Grande Irmão tudo vê e controla. No Estado já não existem leis, impera uma única ordem categórica e absoluta: todos devem obedecer.

Era uma dessas pinturas realizadas de modo a que os olhos o acompanhem sempre que você se move. O GRANDE IRMÃO ESTÁ DE OLHO EM VOCÊ, dizia o letreiro, embaixo.

A propaganda é uma das bases do regime, que garante a manutenção do poder. Há quem diga que o personagem ficcional foi inspirado em Stalin.

Julia é a heroína da história, uma mulher bem humorada que tem o mesmo espírito contestador de Winston. Quando se encontram imediatamente se identificam e começa a brotar o amor. O casal pede transferência dos respectivos postos de trabalho e consegue trabalhar junto.

A alegria, no entanto, dura pouco. Winston e Julia são desmascarados e presos. Ambos não resistem as pressões dos interrogatórios e denunciam um ao outro. 

Sobre a publicação

Originalmente lançado em 8 de junho de 1949 (cinco dias depois nos EUA), o livro foi traduzido para mais de 65 países e foi adaptado para o cinema, para a televisão, para os quadrinhos e até para a música.

Orwell assume ter se inspirado na reunião dos líderes do Aliados na Conferência de Tehran, em 1944, para construir a sua ficção.

O desejo original do autor era batizar o livro com o título The last man in Europe, mas, segundo o biógrafo Bernard Crick, o editor Frederic Warburg acabou conseguindo convencê-lo a adotar como título somente o ano 1949. A publicação foi um sucesso de vendas.

1984
Primeira edição do livro 1984.

Adaptações para o cinema

Filme 1984, do diretor Michael Anderson

Em 1956, o diretor britânico Michael Anderson adaptou para as telas de cinema o romance de George Orwell. O roteiro foi assinado por Ralph Gilbert Bettison e William Templeton. Juntos, toparam a árdua tarefa de transposição das páginas do livro para o cinema. O elenco contava com Edmond O'Brien, Jan Sterling e Michael Redgrave.

Cartaz da adaptação cinematográfica dirigida por Michael Anderson.
Cartaz da adaptação cinematográfica dirigida por Michael Anderson.

Filme 1984, do diretor Michael Radford

No próprio ano de 1984, o diretor britânico Michael Radford lançou uma nova versão longa metragem para o cinema. Quem assinou o roteiro foi o próprio diretor em parceria com Jonathan Gems. O elenco teve a participação de John Hurt, Richard Burton, Suzanna Hamilton e Cyril Cusack.

Sobre o autor

George Orwell foi o pseudônimo escolhido pelo jornalista, ensaísta e romancista Eric Arthur Blair. O autor nasceu em Montihari (uma pequena cidade em Bengala), no dia 25 de junho de 1903. Era filho de um funcionário colonial inglês agente do Departamento Britânico de Ópio.

Orwell trabalhou na Polícia Imperial da Índia, mas acabou abandonando o cargo porque já sabia que queria tornar-se escritor. Lançou Na pior em Paris e Londres, seu primeiro livro, em 1933.

Mudou-se para Paris onde teve uma vida boêmia. Foi para a Espanha lutar contra o franquismo em 1936.

Criou o também celebrado romance A revolução dos bichos, em 1945. Orwell já previa:

“Viveremos uma era em que a liberdade de pensamento será de início um pecado mortal e mais tarde uma abstração sem sentido.”

Na vida pessoal, casou-se com Eileen e adotou o pequeno Richard Horatio Blair. Em março de 1945, o escritor ficou viúvo após o falecimento da esposa em decorrência de problemas com a anestesia aplicada em uma cirurgia.

David Astor, um amigo dos tempos da edição, emprestou uma casa da família para que Orwell passasse algum tempo. A propriedade estava situada na ilha escocesa de Jura, perto de Islay, afastada do resto da sociedade.

A casa não possuía sequer eletricidade e o rádio era a única forma de comunicação com o mundo exterior. Foi nesse contexto, e também severamente acometido por uma tuberculose, que o escritor compôs seu último livro, 1984, e morreu sete meses depois da publicação ter sido lançada.

Após entregar o manuscrito, foi internado em uma clínica em Cotswolds para tratar a tuberculose. O próprio autor confessou ao melhor amigo: “Eu deveria ter feito isso há dois meses, mas eu queria terminar aquele livro sangrento”. Naquela altura os acometidos pela tuberculose contavam com pouquíssimas possibilidades de cura.

Orwell não resistiu a doença e faleceu precocemente, com apenas 46 anos. Seu funeral foi realizado nos jardins na igreja de Sutton Courtenay, em Oxfordshire, organizado pelo grande amigo David Astor.

George Orwell
Retrato de George Orwell.

1984 e o big brother  (O grande irmão)

A produtora holandesa Endemol criou um reality show chamado Big Brother, o nome do mais sinistro personagem do livro de Orwell. Apesar de muitas pessoas relacionarem a escolha do nome do show com o livro 1984, o criador John de Mol nega veementemente que haja qualquer relação.

Big brother

Leia o livro na íntegra

1984 encontra-se disponível para download gratuito em formato pdf.

Conheça também