Filme Vice, de Adam McKay


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Protagonizado por Christian Bale, Vice é um filme biográfico que conta a história de Dick Cheney, o vice-presidente super poderoso dos Estados Unidos durante a era de George W. Bush (2001-2009).

Desconhecido por um grande número de pessoas, Dick foi um dos homens que, trabalhando muitas vezes a partir dos bastidores, teve um enorme impacto na política norte-americana.

Baseado em fatos reais, o longa metragem conta a história fascinante desse sujeito que veio do nada e conseguiu alcançar aquilo que tanto almejava: um cargo chave politicamente no seu país. 

O filme intercala cenas reais com gravações contemporâneas e conta o percurso pessoal e profissional de Dick Cheney desde o casamento com Lynne  (interpretada por Amy Adams). O filme recebeu o Bafta 2019 na categoria Melhor Montagem.

Vice recebeu um Globo de Ouro na categoria Melhor Ator de Comedia ou Musical (o prêmio foi para Christian Bale).

O longa está indicado no Oscar 2019 para oito categorias. São elas: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Edição, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Maquiagem e Cabelo.

Cartaz do filme Vice.
Cartaz do filme Vice.

Resumo

Dick Cheney (vivido por Christian Bale) foi chefe de gabinete, secretário de segurança e CEO de uma grande empresa até alcançar o cargo de vice-presidente no governo de George W. Bush (encenado por Sam Rockwell). Mas antes de galgar a fama ele era apenas um zé ninguém, frequentemente tomado pelo vício do álcool.

Dick Cheney jovem e Christian Bale, que interpreta seu papel no filme.
Dick Cheney jovem e Christian Bale, que interpreta seu papel no filme.

Apaixonado por Lynne (interpretada por Amy Adams), seu amor de juventude, mãe das suas duas filhas, sua grande assessora e articuladora, Cheney saiu de uma vez dessa vida sem rumo e foi alcançando gradualmente cada vez mais poder na atmosfera política norte-americana. 

Um exemplo da importância política de Lynne pode ser comprovada quando Cheney se candidatou ao Congresso por Wyoming. Durante a campanha, o candidato descobriu que tinha um princípio de infarto. Com a impossibilidade do marido de cumprir os compromissos de campanha (os médicos haviam proibido expressamente tal atitude), Lynne assumiu os microfones e passou a fazer os discursos em seu lugar. 

Cheney começou a sua carreira política em Washington sendo assessor direto de Donald Rumsfeld (vivido por Steve Carell). Ganhando cada vez mais experiência e sabendo se movimentar de modo esperto, Dick foi fazendo algumas alianças e costurando possíveis acordos.

Quando George Bush (o pai) foi eleito presidente, Cheney alcançou o cargo de secretário de Defesa (durante os anos 1989 e 1993, ou seja, no período da primeira Guerra do Golfo). Naquela época, ele era o sexto na linha de sucessão para a presidência.

O desejo de alcançar mais poder fez com que Dick cogitasse se candidatar mas, após receber pesquisas sobre as intenções de voto, julgou mais prudente abandonar os planos. 

Cheney migrou então para a iniciativa privada e tornou-se CEO de uma grande companhia petrolífera, a Halliburton.

Os anos passaram com o protagonista afastado do universo da política até que a grande virada do longa metragem acontece. George W. Bush (o filho), ciente da sua inexperiência e da necessidade de ter ao lado alguém vivido naquele universo, convidou Cheney para ser o seu vice-presidente. 

Depois de alguma relutância, Dick aceitou a proposta porque percebeu como o candidato à presidência era "verde" e como poderia se aproveitar da sua pouca experiência para possuir poder. 

– Eu quero você de vice. Que tal?

– George… eu sou CEO de uma grande empresa. Já fui Ministro da Defesa e chefe da Casa Civil. A vice-presidência é um cargo simbólico. Mas, agora… e se a gente fizer um acordo?

Nessa conversa de negociação, o futuro vice irá conseguir a autonomia que desejava para gerir áreas chave como a gestão militar e a política externa.

Durante a era Bush, entre os anos 2001 e 2009, estourou uma das maiores crises norte-americana. Em 11 de setembro de 2001 ocorreram os atentados mais marcantes do Ocidente e, onde todos viram o desespero, Cheney encontrou uma possibilidade para mandar ainda mais. 

Alcançando poderes usualmente atribuídos exclusivamente ao presidente, Cheney avançou em reuniões com a CIA e coordenou ataques militares no Iraque, no Afeganistão e em países do Oriente Médio que acreditava estarem, de alguma maneira, ligados ao atentados.

Dando novas interpretações aos códigos civis durante o período em que esteve à frente da vice presidência, autorizou a realização de sessões de tortura e de uma série de procedimentos ilegais para seguir em frente com as investigações.

Foi um dos maiores articuladores da guerra e comandou um período negro da história norte-americana, que o filme denuncia com abuso de administração e poder.   

Polêmico, ambicioso, muitas vezes com escrúpulos questionáveis, o Cheney de Adam McKay é uma personagem complexa e multifacetada que tem a sua carreira destrinchada ao longo das duas horas do filme biografia. 

Retrato de Dick Cheney, homem que inspirou a criação do longa Vice.
Retrato de Dick Cheney, homem que inspirou a criação do longa Vice.

Análise de Vice

Dick Cheney foi escolhido o mais novo chefe de gabinete da história! É incrível. É um sonho. É real.

A história contada em Vice narra a ascensão de um sujeito comum que acabou por alcançar um poderosíssimo cargo no contexto norte-americano.

Veremos agora algumas particularidades do longa que fizeram do filme uma produção peculiar:

A história entremeada com a metáfora dos animais

Na cena em que o novo chefe de gabinete resolve comprovar exatamente quanto poder o presidente possuía, Dick vai ao Office of Legal Counsel e afirma que gostaria de reintegrar a Autoridade Executiva.

Quem se reúne com Dick é Antonin Scalia, um advogado bastante jovem do Departamento de Justiça que mais tarde viria a se tornar integrante do Supremo Tribunal.

É ele que apresenta ao político a teoria do executivo unitário. Segundo Scalia, há uma interpretação dada à lei que confere ao presidente o direito ao poder de Absoluta Autoridade Executiva. Scalia sublinha a expressão Poder Absoluto. 

Alguns juristas, ele Scalia inclusive, faziam essa leitura do segundo artigo da Constituição. A interpretação dá ao presidente um poder supremo como o que os reis, ditadores e faraós tinham: de mandar e desmandar, iniciar guerras, concentrar em si uma autoridade absoluta. 

A câmera nesse momento do diálogo entre Scalia e Cheney se aproxima destacando o sorriso escancarado de Dick diante da resposta que ouviu de Scalia. A cena que se segue é uma imagem de uma caça:

A cena da caça é intercalada durante uma conversa de Dick com um jurista.
A cena da caça é intercalada durante uma conversa de Dick com o jurista Scalia.

A inserção da imagem aparentemente fora de contexto é uma metáfora da corrida e da competição pelo domínio. Dick provavelmente seria representado pelo leão, que corre atrás da sua presa afim de alcançar o seu objetivo final: o poder.  

Uma segunda metáfora animal aparece quando George W. Bush chama Dick em seu escritório para os dois conversarem sobre uma possível parceria. A ideia era transformar Cheney em vice-presidente.

Ao longo do diálogo são intercaladas imagens do fundo da água, com um peixe nadando em meio a uma superfície pouco clara. Quando George W. Bush finalmente faz a pergunta que Dick tanto deseja ouvir ("Quer ser vice-presidente?"), a imagem que aparece é a de um sujeito na pescaria, lançando o anzol para a água:

A metáfora da pescaria é usada quando Bush convida Dick para ser vice presidente.
A metáfora da pescaria é usada quando George W. Bush convida Dick para ser vice-presidente.

A metáfora também aparece mais tarde, quando os dois estão conversando sobre a possibilidade da vice presidência. Dick avança em seu discurso argumentando que é CEO de uma grande empresa e que já teve cargos políticos importantes, sendo a vice presidência um cargo meramente simbólico.

É nessa ocasião que lança a sua condição para ser vice-presidente. Sua exigência é que tenha acesso ao poder e às decisões cruciais como a política externa e a gestão militar. Quando George concorda com o plano, a imagem da pescaria é retomada e o peixe morte a isca. 

Competição e ambição

Lynne no princípio do filme, em uma reunião com políticos, resume a sensação que tem acerca do casal:

Metade da sala quer ser nós, a outra metade nos teme.

Ao longo do filme vemos como a constatação da mulher de Dick Cheney parece resumir a história do par.

O casal que sabe caminhar nos meandros da política e usufruir da rede de contatos que cria é simultaneamente amado, invejado e temido. 

Antes de qualquer aliança política, Dick e Lynne tem um acordo profundamente estabelecido entre os dois. Além de marido e mulher eles são companheiros no trabalho e articulam juntos o futuro da família e do país. 

O casal da vida real Dick Cheney e Lynne.
O casal da vida real Dick Cheney e Lynne.

Quando é convidado para ser vice-presidente, Lynne a princípio se opõe, achando que o marido já teve cargos muito mais importantes para se conformar com esse posto simbólico. Mas, após voltar da reunião com George W. Bush, Cheney reflete sobre o tema e constata que:

ninguém mostrou ao mundo o verdadeiro poder da Presidência Americana.

Metaficção, o filme dentro do filme

Aos 47 minutos de Vice os créditos sobem dando a ideia ao espectador de que o filme acabou. Esse suposto filme se encerraria então em 1999 e registraria um período pontual da vida de Cheney: a entrada para a política e alguns aspectos pontuais da sua biografia.

A música e a disposição das imagens e do texto faz parecer que se trata de uma história com um final feliz. Chegamos a ver o destino dos personagens Lynne, por exemplo, é descrita como tendo publicado uma série de livros, Dick, por sua vez, contorna seu problema cardíaco, o casal ganha netos e aproveita uma aposentadoria tranquila.

Quando o espectador começa a acreditar que o filme de fato se encerrou, surge uma nova cena, já fazendo menção à nova fase da vida de Dick, com a aliança com George W. Bush. É como se o filme se dividisse em duas partes: um Cheney mais novo e mais inexperiente e um mais ambicioso e maduro. 

O político deixa de lado a sua aposentadoria, a sua estabilidade e o seu anonimato para ocupar o lugar de vice-presidente dos Estados Unidos, usurpando, muitas vezes, o poder do próprio presidente.

Trailer

Ficha técnica

Título originalVice     
Lançamento25 de dezembro de 2018
DiretorAdam McKay
RoteiristaAdam McKay
GêneroDrama, biografia
Duração2h12m
Atores principaisChristian Bale, Amy Adams, Steve Carell 
Prêmios

Vencedor do Globo de Ouro 2018 na categoria Melhor Ator de Comédia ou Musical (com Christian Bale).
Vencedor do Bafta 2019 na categoria Melhor Montagem.
Indicado ao Oscar 2019 em oito categorias (Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Original, Melhor Edição, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Maquiagem e Cabelo).

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Graduada em Letras, mestre em Literatura e doutora em Estudos de Cultura, trabalhou durante dez anos como editora assistente e executiva em editoras no Brasil e em Portugal.