Filme A vida invisível


Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora e artista visual

A vida invisível é um filme brasileiro do diretor Karim Aïnouz lançado em 2019.

É uma obra cinematográfica inspirada no livro A vida invisível de Eurídice Gusmão (2016), da escritora e jornalista pernambucana Martha Batalha.

A produção participou do Festival de Cannes, ganhando o prêmio Um certo olhar e foi a escolhida para representar o país na busca pelo Oscar de 2020, mas não foi selecionada.

(Atenção, o artigo contém spoilers!)

Trailer e sinopse de A vida invisível

A vida das irmãs Guida (Julia Stockler) e Eurídice (Carol Duarte) é narrada nesse drama que se passa, na maior parte do tempo, nos anos 40 e 50.

Aqui, vemos duas mulheres que têm suas vidas atravessadas pela ignorância masculina e acabam se distanciando.

Guida apaixona-se por um jovem estrangeiro e decide seguir com ele, deixando a família. Ao retornar, é impedida pelo pai de pertencer ao núcleo familiar novamente.

Enquanto isso, Eurídice, a irmã mais nova, constrói uma trajetória aparentemente "ideal", exercendo os papéis de mãe, esposa e filha, mas deixando de lado o grande sonho de ser pianista.

Por conta desse infeliz desencontro, ambas passam a vida toda buscando uma pela outra.

Resumo e análise crítica do filme A vida invisível

A trama, definida como um "melodrama tropical", vem agradando o público e crítica ao proporcionar uma experiência sensível, emocionante e que traz muitas reflexões sobre o sistema patriarcal em que vivemos.

Trata-se de um filme de romance, entretanto, o afeto declarado é o amor entre irmãs e a solidariedade entre mulheres, que convencionou-se chamar hoje em dia de sororidade.

Filme A vida invisível

Assim, a história busca evidenciar as agruras de toda uma sociedade ao exibir as situações pelas quais as personagens passam. Situações essas que tem o poder de deixar marcas em seus corpos e, sobretudo, em suas pisques.

A fuga de Guida

Logo no início da história, a jovem Guida encanta-se por Yorgos, um marinheiro grego, e resolve fugir com ele para a Grécia.

Essa decisão é tomada devido ao temperamento impulsivo e vibrante da personagem, que anseia viver amores intensos e desfrutar a vida em toda a sua potência, o que vai contra a educação conservadora e polida que recebeu em sua família, de origem portuguesa.

Assim, Guida parte e deixa uma carta para os pais e para sua irmã Eurídice, que fica desconsolada.

Nesse momento, identificamos o caráter rebelde de Guida, que não se contenta com aquela vida vigiada e busca autonomia e prazer.

O casamento de Eurídice

Já a irmã Eurídice é uma moça introspectiva e bem comportada. Mas ainda assim, tem seus anseios e deseja viver de música, tocando piano em Viena, na Áustria.

De qualquer forma, para enquadrar-se na sociedade, ela acaba casando-se com Antenor (Gregório Duvivier). A festa de casamento é marcada por euforia, ansiedade, melancolia e medo, pois percebe-se nitidamente que Eurídice não nutria sentimentos fortes pelo noivo.

filme a vida invisível

A noite de núpcias é extremamente impessoal, exibindo a completa falta de sintonia entre os dois.

Mas, para além disso, e o que é pior, denota a violência sexual a que as mulheres estão sujeitas, ainda que dentro do casamento (estupro marital), o que a torna uma agressão invisibilizada.

Aqui, há a denúncia da ideia de "posse" sobre o corpo feminino, como se esse corpo pertencesse ao homem, e não à própria mulher.

Nesse contexto, cabe a expressão amplamente difundida no feminismo: "meu corpo, minhas regras". Expressão que também se aplica em muitos outros momentos, por exemplo quando, mais tarde, Eurídice se vê grávida e não deseja ser mãe, mas acaba seguindo com a gestação.

O retorno de Guida

Passado algum tempo, Guida retorna ao Rio de Janeiro, pois sua relação com o marinheiro não foi como ela esperava. A jovem, que nessa altura está gestante, volta à casa dos pais.

A princípio, sua mãe a recebe com surpresa, mas a acolhe. Depois, a jovem vai até seu pai, que estava limpando um peixe na varanda da casa.

O patriarca, interpretado por Antonio Fonseca, ao olhar sua filha grávida e perceber que ela estava sem marido, tem um surto de ira e a expulsa de casa. Quando questionado sobre Eurídice, o pai mente dizendo que ela havia se mudado para Viena.

Esse é um dos momentos mais intensos do filme, contando com atuações viscerais e elementos simbólicos que nos mostram toda a violência contida na situação.

Um desses elementos é a forma como o pai limpa o peixe e esfrega suas mãos sujas no rosto da filha grávida, aguçando outros sentidos no público, além da visão.

A impotência da mãe e a mentira sobre o paradeiro de Guida

A mãe das jovens é uma mulher igualmente silenciada. Ela gostaria de estar em contato com a filha, mas não consegue enfrentar o marido e acaba por acatar suas ordens.

Assim, quando Eurídice pergunta sobre sobre sua irmã, ela não conta que Guida havia retornado.

A eterna busca de Eurídice e Guida

As irmãs passam toda a vida tentando se reencontrar. Elas nutrem um amor imenso uma pela outra e sabem que a existência de ambas seria muito diferente se estivessem próximas, apoiando-se em seus dramas.

Elas desenvolvem então, relações de amizade e parceria com outras mulheres, que as ajudam a seguir em frente.

filme a vida invisível

Assim, Eurídice chega a contratar um detetive para saber se encontra informações sobre Guida. Enquanto isso, a irmã escreve incontáveis cartas e envia para a casa dos pais, para que eles encaminhem as correspondências à Viena, onde onde teoricamente a pianista mora.

Tais cartas nunca foram entregues e as duas têm que aprender a lidar com uma ausência forçada, fruto da violência de uma estrutura machista e opressora.

A participação de Fernanda Montenegro: Eurídice na velhice

Fernanda Montenegro é um nome de peso na trama. A aclamada atriz faz participação no filme como Eurídice na fase idosa.

Na história há uma grande passagem de tempo que nos leva para o enterro de Antenor, marido de Eurídice. Então a vemos nesse momento imersa em lembranças e vazio.

Filme A vida invisível

Sem a presença do marido, ela e seus filhos resolvem abrir o cofre que Antenor escondia e, para sua surpresa, lá estão todas as cartas que Guida tinha mandado durante a vida.

Dessa maneira, Eurídice descobre que havia sido enganada por tantos anos e que, na verdade, sua irmã estava mais próxima do que imaginava, morando na mesma cidade, sob o mesmo sol escaldante.

Eurídice vai em busca de saber o paradeiro de Guida, mas infelizmente a irmã já havia falecido.

Fernanda Montenegro não tem muito tempo de tela, entretanto, sua magnífica interpretação vem "coroar" o filme, fazendo uma síntese das emoções vividas pelas duas irmãs e também pelo público.

Ficha técnica e pôster de A vida invisível

Título do filme A vida invisível
Ano de lançamento 2019
Direção Karim Aïnouz
Elenco principal Carol Duarte, Julia Stockler, Gregório Duvivier, Fernanda Montenegro
Gênero drama, romance
Duração 2h20
Classificação 16 anos

pôster do filme A vida invisível

Entrevista com o diretor Karim Aïnouz e filmes de destaque

Confira a entrevista que Karim Aïnouz cedeu ao Canal Brasil contando um pouco sobre o filme e o processo de filmagem.

O cineasta cearense é bastante reconhecido e exibe filmes aclamados em seu currículo. Veja algumas dessas produções que se destacam em sua trajetória:

  • Madame Satã (2002)
  • O céu de Suely (2006)
  • Viajo porque preciso, volto porque te amo (2009)
  • A praia do futuro (2014)

Leia também

Laura Aidar
Laura Aidar
Arte-educadora, artista visual e fotógrafa. Licenciada em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2007 e formada em Fotografia pela Escola Panamericana de Arte e Design, localizada em São Paulo, em 2010.