Música Believe, de Cher


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Believe foi um dos maiores sucessos de público e vendas da cantora norte-americana Cher. Foi com a canção, que viria a se tornar um dos ícones do pop, que a cantora tornou-se a mulher mais velha da história a ocupar o primeiro lugar nas paradas de sucesso. Na época de lançamento de Believe, Cher tinha 52 anos.

O single vendeu mais de 11 milhões de cópias e foi o primeiro grande sucesso da indústria musical a fazer uso do Auto-tune, uma ferramenta para correção da voz lançada em 1997.

Sucesso nas casas noturnas, Believe é um hit de pista de dança que incentiva o ouvinte a seguir em frente após um relacionamento amoroso fracassado.

A música recebeu o Grammy de Melhor Música para Dançar no ano de 1999.

Letra

No matter how hard I try
You keep pushing me aside
And I can't break through
There's no talking to you
It's so sad that you're leaving
It takes time to believe it
But after all is said and done
You're gonna be the lonely one

Do you believe in life after love?
I can feel something inside me saying
I really don't think you're strong enough, now
Do you believe in life after love?
I can feel something inside me say
I really don't think you're strong enough, now

What am I supposed to do
Sit around and wait for you
Well, I can't do that
And there's no turning back
I need time to move on
I need a love to feel strong
'Cause I've got time to think it through
And maybe I'm too good for you

Do you believe in life after love?
I can feel something inside me saying
I really don't think you're strong enough, now
Do you believe in life after love?
I can feel something inside me say
I really don't think you're strong enough, now

Well, I know that I'll get through this
'Cause I know that I am strong
I don't need you anymore
I don't need you anymore
I don't need you anymore
No I don't need you anymore

Do you believe in life after love?
I can feel something inside me saying
I really don't think you're strong enough, now
Do you believe in life after love?
I can feel something inside me say
I really don't think you're strong enough, now
Do you believe in life after love?
I can feel something inside me say
I really don't think you're strong enough, now
Do you believe in life after love?
I can feel something inside me saying
I really don't think you're strong enough, now

Análise da letra

A música de Cher fala sobre o fim de um relacionamento amoroso e sobre a frustração de ter investido tanto tempo e energia naquele parceiro que não a valorizava. A canção é um hino que estimula todos a superarem o abandono amoroso.

Believe começa com a confissão do eu-lírico, que diz já ter tentado de tudo para que a relação desse certo:

No matter how hard I try (Não importa o quanto eu tente)
You keep pushing me aside (Você continua me colocando de lado)
And I can't break through (E não consigo acabar com isso)
There's no talking to you (Não existe conversa com você)

O sujeito finalmente chega a conclusão que não adianta levar a frente a relação porque o outro continuará o esnobando. Por esse motivo ele resolve que o mais sensato é desistir do relacionamento a dois.

O eu-lírico chega a decisão final de que já não há acerto possível porque nenhuma conversa resulta e a postura do outro não muda.

Apesar de saber que racionalmente a decisão tomada é a melhor, ele sofre com o fim do relacionamento:

It's so sad that you're leaving (É tão triste você estar partindo)
It takes time to believe it (Leva tempo para acreditar nisso)
But after all is said and done (Mas depois de tudo o que foi dito e feito)
You're gonna be the lonely one (Você é aquele que vai ficar sozinho)

A dor do término da relação só passa com o tempo, é o que a letra tenta transmitir. Só com o decorrer dos dias a decisão parece assentar e o sujeito vai se dando conta da escolha tomada. 

Após o fim da relação, o eu-lírico afirma que sai ferido e magoado, mas por ter tentado tudo o que era possível deixa a cena de cabeça erguida e com a consciência tranquila. E é justamente por sair bem resolvido com o término - com maturidade - que conclui que o outro é que irá ficar sozinho no futuro. 

O refrão pop entoado por Cher gira em torno de uma pergunta cabal:

Do you believe in life after love? (Você acredita em vida após o amor?)

A cantora norte-americana traduz em palavras aquela que é a maior dúvida de todos aqueles que tiveram o coração partido. Será possível amar novamente? Como confiar e se entregar outra vez depois do trauma de uma má experiência?

O foco volta, logo a seguir, a ser o antigo amado e a mudança de olhar do sobre ele. O eu-lírico agora o vê com outros olhos:

I can feel something inside me saying (Eu consigo sentir algo dentro de mim dizendo)
I really don't think you're strong enough, now (Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora)

Esse é um sentimento também muito frequente entre os apaixonados, se durante a relação o parceiro era altamente idealizado, agora, com o fim, ele já é visto com outros olhos, mais realistas, capazes de identificar as falhas e os defeitos. A letra sublinha o "now", isto é, porque só agora se consegue olhar com essa perspectiva.

A seguir a canção parece encenar um diálogo entre os dois durante a discussão da relação que teria levado a conclusão do relacionamento:

What am I supposed to do (O que eu deveria fazer)
Sit around and wait for you (Sentar e esperar por você?)
Well, I can't do that (Bem, não posso fazer isso)
And there's no turning back (E não existe mais volta)

Através do trecho acima podemos concluir que o eu-lírico está decidido com a sua escolha e já não há possibilidade de retorno, o relacionamento de fato acabou.

Depois de olhar para atrás, tomar a sua decisão bem pensada e comunicar ao antigo parceiro, o eu-lírico olha para frente, reconhecendo a necessidade de mirar no futuro, apesar da dor sentida no presente:

I need time to move on (Eu preciso de tempo para seguir em frente)
I need a love to feel strong (Eu preciso de um amor para sentir-me forte)
'Cause I've got time to think it through (Pois eu tive tempo para pensar em tudo)
And maybe I'm too good for you (E talvez eu seja boa demais para você)

A canção segue apontando para o porvir, imaginando um cenário luminoso, de superação e de momentos bons ao lado de nova companhia.

A letra repete que se é forte e resistente, plenamente capaz de superar todas as dificuldades pontuais que vão aparecendo ao longo do percurso. 

Well, I know that I'll get through this (Bem, eu sei que irei superar tudo isso)
'Cause I know that I am strong (Pois eu sei que sou forte)
I don't need you anymore (Eu não preciso mais de você)
I don't need you anymore (Eu não preciso mais de você)
I don't need you anymore (Eu não preciso mais de você)
No I don't need you anymore (Não, eu não preciso mais de você)

Ao afirmar diversas vezes que "I don't need you anymore", o sujeito reconhece que houve um tempo de dependência, que precisava da presença do outro para sentir-se feliz. Na nova era que agora se inicia, no entanto, já não há essa necessidade de manter uma conexão com alguém que não o valoriza.

Believe é uma letra de auto-afirmação que proclama a liberdade e a independência de um amor que não faz bem. É uma canção que promove rápida identificação com a maior parte dos seres humanos que já tiveram relações amorosas em que não eram plenamente correspondidos e valorizados.

Tradução

Não importa o quanto eu tente
Você continua me colocando de lado
E não consigo acabar com isso
Não existe conversa com você
É tão triste você estar partindo
Leva tempo para acreditar nisso
Mas depois de tudo o que foi dito e feito
Você é aquele que vai ficar sozinho

Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim dizendo
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora
Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim falar
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora

O que eu deveria fazer
Sentar e esperar por você?
Bem, não posso fazer isso
E não existe mais volta
Eu preciso de tempo para seguir em frente
Eu preciso de um amor para sentir-me forte
Pois eu tive tempo para pensar em tudo
E talvez eu seja boa demais para você

Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim dizendo
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora
Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim falar
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora

Bem, eu sei que irei superar tudo isso
Pois eu sei que sou forte
Eu não preciso mais de você
Eu não preciso mais de você
Eu não preciso mais de você
Não, eu não preciso mais de você

Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim dizendo
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora
Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim falar
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora
Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim falar
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora
Você acredita em vida após o amor?
Eu consigo sentir algo dentro de mim falar
Eu realmente não te acho forte o suficiente, agora

Bastidores da criação da música

De acordo com o New York Times, Believe demorou quase nove anos para ser criada. A primeira versão teria sido inventada em 1990 pelo compositor Brian Higgins, que não gostou do resultado da criação. A música passou então a ser mexida por outros criadores e produtores: foram mais cinco compositores e pelo menos três produtores ajudando a esculpir um dos maiores sucessos da música pop.

Believe acabou por ser lançada no dia 19 de outubro de 1998 consagrada pela voz de Cher.

Foi o presidente da Warner Music do Reino Unido - Rob Dickins -, que lembrou-se de Cher para gravar a composição. Na época ela estava trabalhando em um álbum que pretendia transmitir muita animação e energia, sendo bastante voltado especialmente para o público gay.

Além de ter surgido em um timing importante na carreira da cantora norte-americana, Believe tocou em muitos pontos da vida pessoal de Cher que faziam com que ela se identificasse com a canção. Nesse contexto, Believe caiu como uma luva para a cantora e acabou se tornando um dos seus maiores sucessos.

É importante mencionar que a música originalmente criada por Higgins foi uma das pioneiras no uso do Auto-Tune, uma ferramenta computacional inventada em 1997 que pretendia corrigir as imperfeições vocais do artistas. Em Believe, no entanto, o uso do Auto-tune fez a voz de Cher parecer meio robótica.

Diante das muitas críticas que ouviu sobre o uso supostamente excessivo da ferramenta, Cher rebateu:

“'Todo mundo ama essa música, mas quer mudar essa parte dela. Eu disse [para o produtor]: 'Você pode mudar essa parte, mas só se for sobre o meu cadáver!' ”

Uma curiosidade sobre a música: Believe fez com que Cher alcançasse o topo das paradas britânicas fazendo dela a mulher mais velha (na época com 52 anos) a ocupar o primeiro lugar dos hits no Reino Unido. 

No ano de 1999 Cher foi indicada à três prêmios Grammy: Melhor gravação do ano (com o single Believe), Melhor álbum pop do ano (com Believe) e Melhor música para dançar (com Believe). Ela levou para casa o prêmio da última categoria.

Capa do álbum Believe, lançado em 1998.
Capa do álbum Believe, lançado em 1998.

O disco Believe, que abriga a canção homônima, é o vigésimo segundo álbum de estúdio da carreira da cantora. Ele contém as seguintes faixas:

  1. Believe
  2. The power
  3. Runaway
  4. All or nothing
  5. Strong enough
  6. Dov'e L'Amore
  7. Takin back my heart
  8. Taxi taxi
  9. Love is the groove
  10. We all sleep alone

Clipe

Dirigido por Nigel Dick, o vídeo se passa em uma boate e traz Cher dentro de uma vitrine sendo observada por todos os que estão dançando a volta.

No curta metragem ao som da música pop, o cenário da pista de dança abriga uma personagem que anda a procura do namorado. Ao final, ela o flagra com outra mulher.

Na última cena do clipe a namorada traída transforma-se em Cher.

Conheça também

Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018). Trabalhou durante dez anos como editora assistente e executiva em editoras no Brasil e em Portugal.