Art Déco


Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Doutora em Estudos da Cultura

Art Déco foi um movimento artístico de origem francesa que teve início nos anos 20 e acabou se espalhando pelas Américas tendo sobrevivido até a década de 50.

A estética, que se fez ver nas artes plásticas, gráficas, no cinema, na arquitetura, na música e no design, pode ser observada até os dias de hoje em monumentos como o Cristo Redentor, em esculturas de Victor Brecheret e nos quadros de Vicente do Rego Monteiro.

Estilo Art Déco

O Art Déco floresceu durante o período entreguerras (começo do século XX, mais especificamente entre 1918 e 1939), inicialmente na Europa.

O movimento teve o seu auge durante a década de 20, a partir da Exposion Internationale des Arts Décoratifs et Industriels Modernes, entre abril e outubro de 1925 (evento ocorrido em Paris).

A exposição apresentava peças dos mais diversos estilos: cubistas, futuristas, construtivistas, art noveau e Bauhaus. Os trabalhos, inicialmente luxuosos, eram produzidos tendo em vista uma burguesia abastada - os artistas faziam uso de obras-primas caras para comporem as suas peças.

Exposion Internationale des Arts Décoratifs et Industriels Modernes
Cartaz da Exposion Internationale des Arts Décoratifs et Industriels Modernes

Em termos gerais é possível afirmar que o movimento Art Déco foi bastante amplo tendo se manifestado a nível das artes visuais, gráficas, decoração, arquitetura, moda, cinema e música.

Ele também alcançou espaços bastante distintos tendo partido da Europa e se difundido pelas Américas do Norte e do Sul.

A decadência do art déco começa a ser percebida a partir de 1935.

A origem do nome Art Déco

O nome Art Déco vem do termo francês arts decoratifs, que quer dizer arte decorativa, e demonstra a intenção de ornamentação e não propriamente política ou engajada socialmente desse tipo de arte.

A expansão do Art Déco

Na década de 30, o Art Déco ganhou a América do Norte. Em 1934 houve uma exposição Art Déco no Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque responsável pela divulgação dessa estética.

Ao ganhar a América do Norte, o Art Déco sofreu uma modificação importante: a partir de então os artistas passaram a trabalhar com uma produção em maior escola e materiais mais acessíveis.

Os grandes nomes do Art Déco

Muitas foram as diferentes obras que se destacaram nesse período. Algumas delas foram as peças decorativas feitas em vidro e joias elaboradas por René Jules Lalique. Também ficaram bastante conhecidas as ilustrações de George Barbier.

René Lalique
Adereço de cabelo feito por René Lalique (1860-1945)
George Barbier
Ilustração de George Barbier (1882-1932)

Outros nomes importantes das artes plásticas foram os da pintora polonesa Tamara de Lempicka e o do escultor romeno Demetre Chiparus:

Tamara de Lempicka
Pintura de Tamara de Lempicka (1898-1980)
Demetre Chiparus
Escultura de Demetre Chiparus (1886-1947)

Mas o Art Déco não foi exclusivamente um movimento das belas artes, ele também encontrou ressonância na moda e no design de interiores.

Podemos destacar o trabalho dos estilistas Paul Poiret e Jeanne Paquin e também as peças dos designers de móveis Émile Jacques Ruhlmann e Jean Dunand.

Paul Poiret
Desenhos de Paul Poiret (1879-1944)
Émile Jacques Ruhlmann
Móvel desenhado por Émile Jacques Ruhlmann (1879-1933)

Cassandre foi igualmente um nome de referência da art déco. O seu trabalho se centrou principalmente na criação gráfica, em cartazes para publicidade de viagens de luxo, confira uma amostra da sua arte abaixo:

Cassandre
Cartaz feito por A.M.Cassandre (1901-1968)

Características da Art Déco

A art déco se notou em vários meios - nas artes plásticas, no cinema, na música, na moda, nas artes gráficas, no design - por isso é difícil reunir características que se fizeram notar em tantas plataformas distintas.

De toda forma, reunimos aqui algumas das principais características norteadoras dessa geração:

  • uma preocupação com a simetria, um estilo mais moderno;
  • uso de formas geométricas, abstratas;
  • emprego de linhas retas ou circulares, porém estilizadas;
  • representações sobretudo de mulheres e animais;
  • simplicidade da forma;
  • influência do cubismo, do futurismo e do construtivismo;
  • num primeiro período observamos a forte presença de um refinamento, requinte. Inicialmente o material utilizado foi de primeira linha, caro (bronze, prata, pedra jade, marfim), mas depois de ter chegado à América do Norte a art decó se popularizou para alcançar um público mais amplo.

Arquitetura Art Déco

A arquitetura Art Déco ficou marcada sobretudo por um rigor geométrico e pela predominância de linhas verticais. Com formas aerodinâmicas, esse estilo ficou conhecido mundo afora graças aos prédios icônicos construídos que se espalharam pelas grandes capitais.

Um exemplo de arquitetura Art Déco pode ser observado em edificações ilustres de Nova Iorque. Podemos citar a bela cúpula do edifício Chrysler, o clássico Empire State Building e o enorme Buffalo City Hall.

edifício Chrysler
Edifício Chrysler, situado em Nova Iorque
Empire State Building
Empire State Building, situado em Nova Iorque
Buffalo City Hall
Buffalo City Hall, situado em Nova Iorque

Fora dos Estados Unidos, mais ainda no âmbito das Américas, devemos citar aqui o Cristo Redentor, erguida no Rio de Janeiro, que é considerada a maior escultura Art Déco do mundo.

Cristo Redentor
Cristo Redentor, situado no Rio de Janeiro

Leia o artigo completo sobre o Monumento Cristo Redentor.

Art Déco no Brasil

No nosso país recebemos as primeiras influências do Art Déco através de escultores e arquitetos que divulgaram o novo estilo a partir do final dos anos 20. A estética perdurou até os anos cinquenta.

Arquitetura Art Déco no Brasil

Em termos de arquitetura, a nossa versão da estética inicialmente desenvolvida na França aspirou contornos mais limpos e claros.

De acordo com o pesquisador Márcio Alves Roteir, presidente do Instituto Art Déco Brasil, em entrevista concedida ao Estadão:

O Rio, capital da República, viu nascer no governo Vargas, entre 1930 e 1945, uma série de prédios governamentais, a maioria Art Déco. Em 1938, Getúlio promoveu a exposição O Brasil Novo, tornando o estilo a linguagem oficial do período.

Dois exemplos clássicos desse tipo de construção - para além do Cristo Redentor - podem ser observadas no Teatro Carlos Gomes e no Relógio da Central do Brasil, ambos situados no Rio de Janeiro.

Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro
Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro
Relógio da Central do Brasil, no Rio de Janeiro
Relógio da Central do Brasil, no Rio de Janeiro

Em São Paulo outros exemplos de construção em Art Déco são a Biblioteca Mário de Andrade, o Jockey Club e o antigo edifício do Banco de São Paulo.

Banco de São Paulo
Banco de São Paulo
Biblioteca Mario de Andrade, em São Paulo
Biblioteca Mario de Andrade, em São Paulo

Artes Plásticas Art Déco no Brasil

Dois foram os principais nomes que fizeram história no estilo Art Déco no Brasil. O pintor Vicente do Rego Monteiro (1899-1970) e o escultor Victor Brecheret (1894-1955) adotaram a estética e foram os responsáveis pela divulgação do movimento no Brasil.

Vicente do Rego Monteiro
Quadro O Lobo e a Ovelha (1925), de Vicente do Rego Monteiro
Tocadora de Guitarra (1923), de Victor Brecheret
Tocadora de Guitarra (1923), de Victor Brecheret

Conheça também

Atualizado em
Rebeca Fuks
Rebeca Fuks
Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010), mestre em Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2013) e doutora em Estudos de Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e pela Universidade Católica Portuguesa de Lisboa (2018).